Neste quarto domingo da Páscoa celebramos em nossa liturgia o domingo do Bom Pastor. Em cada ano, Jesus o enviado do Pai, nos convida a estarmos atentos à sua voz para segui-lo às verdes pastagens que Ele preparou para cada um de nós. Por isso, no evangelho de João diz: “As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem” (Jo 10, 27). Este é o verdadeiro chamado que todos somos convocados: seguir a voz do Senhor e conhecê-lo cada dia mais, para assim viver a vida plena que Ele mesmo nos dá. Todos os anos o Papa Francisco sempre traz uma mensagem, nos animando a essa escuta da palavra do Senhor. Por isso, neste ano, o tema para o 59º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, é “Chamados para construir a família humana”, tema este ligado profundamente ao processo de sinodalidade que estamos vivendo.

O Papa nos chama a atenção para os quatros “tipos de chamados” que precisamos colocar em prática em nossa vida: Chamados à sinodalidade, ao cuidado, a olhar as potencialidades dos outros e principalmente a deixar-se olhar pelo amor misericordioso do Senhor. Sim, somos primeiramente chamados a viver o imenso amor misericordioso do Senhor, e assim, vivendo à sinodalidade, sempre descobrir e valorizar as mais variadas formas de realizar nossa vocação na Igreja e no mundo. Tudo isso se dá porque, a partir do batismo, todos somos membros do corpo de Cristo e, portanto, discípulos missionários do Senhor. Ser batizado nos torna os sujeitos ativos da evangelização, logo, sacerdotes e leigos formam um único povo de Deus, cada um exercendo seu ministério próprio, mas sempre unidos, para que o Reino de Deus se manifeste cada vez mais no mundo.

A partir da unidade, da sinodalidade, somos convidados a sermos guardiões uns dos outros, isto porque todos somos criaturas queridas e amadas por Deus, chamados a desenvolver a centelha divina existente em cada um de nós, contribuindo sempre para o desenvolvimento humano e o cuidando de nossa casa comum. Por isso, olhar para as potencialidades existentes em cada pessoa é um chamado importante a despertar em nós. Como bem nos recorda o Papa, fazemos isso inspirados no próprio Senhor que na “jovem de Nazaré viu a mãe de Deus; no pescador Simão, filho de Jonas, viu Pedro, a rocha sobre a qual podia construir sua Igreja; no publicano Levi, entreviu o apóstolo e evangelista; em Saulo, cruel perseguidor dos cristãos, viu Paulo, o apóstolo dos gentios”.

Como vocacionados do Pai e desejosos de ouvir e cumprir sua Palavra em nossa vida, precisamos nos questionar: Deus tem um olhar que sempre alcança a todos, vendo as potencialidades que todos têm, e nós, o que observamos nos irmãos e irmãs que estão ao nosso lado? O que vejo em mim? Será que me deixo alcançar pelo olhar de Deus que sempre nos chama? Estas e outras inquietações são suscitadas em nosso coração para que possamos deixa-lo ser cada vez mais moldado segundo o coração de Jesus, manso e humilde. Portanto, somos todos chamados a deixar-se olhar pelo Senhor e permitir fazer parte do mosaico que Ele mesmo monta com cada um de nós.

Cada um de nós, sendo parte deste mosaico de Deus, temos nosso brilho próprio, somos fundamentais para a construção de algo. Sabemos que cada peça do mosaico é de uma forma diferente, mas quando colocados juntos, podemos vislumbrar a imagem que surge dele. Assim sendo, a imagem que deve surgir da nossa união é justamente a imagem do Cristo, o nosso Bom Pastor. Deixar-se conduzir por Jesus é permitir que o Espírito Santo nos faça um com Ele, é permitir que a brisa suave do Senhor nos una sempre mais. Como bem nos recordou o Papa Francisco: a vocação se realiza, quando cada um de nós, olhados pelo amor misericordioso de Deus, realizamos com nossas vidas um diálogo vivido com profundidade, tornando nossa Igreja cada vez mais ministerial, mais humana e mais parecida com aquilo que o próprio Jesus, por meio do Espírito Santo desejou; temos vários dons, mas um só Espírito. Neste dia mundial de oração pelas vocações, rezemos cada vez mais para que sejamos um e permitamos que o Senhor, Bom Pastor, transforme sempre nossas vidas.

Padre Renato Aparecido Pelisson

Na noite de segunda-feira, 30 de agosto, o arcebispo dom Geremias Steinmetz presidiu a Santa Missa de encerramento do Mês Vocacional, na Paróquia São José Operário, Decanato Oeste. A Celebração Eucarística foi concelebrada pelo padre Oscar Londoño, reitor do Seminário Propedêutico, pelo frei Gentil Minatti Junior, OCD, e pelo padre Dirceu Júnior dos Reis, pároco da Paróquia São José Operário. A missa também contou com a presença de diáconos, religiosos e religiosas e seminaristas da arquidiocese.

 

Em sua homilia o arcebispo destacou a necessidade dos jovens se abrirem para a pessoa de Jesus e o convite que Ele não cansa de fazer. “Cristo vive, Ele nos salva e também nos envia. Quando o Senhor chama, Ele também capacita os escolhidos. Essa grande verdade faz com que os jovens se apaixonem pela Verdade da nossa fé. Ao mesmo tempo estar na Paróquia São José Operário é uma grande oportunidade de entendermos ainda mais o significado deste Ano de São José. José abriu generosamente o seu coração a Deus e foi obediente. Como nos diz o Papa Francisco: ‘todos nós nos identificamos de alguma forma com São José’. Ele é modelo de vida para todos nós”, disse dom Geremias.

 

Segundo o arcebispo para ser vocacionado é preciso ter São José como modelo de obediência, de ternura e de coragem criativa. “Dizer sim para Jesus Cristo é para jovens, homens e mulheres corajosas”, acrescentou. Ao final da celebração a coordenadora paroquial de liturgia, Isabel Angelo, expressou palavras de gratidão pela presença de testemunho dos padres, dos diáconos, religiosos e dos seminaristas e também expressou o compromisso da Paróquia São José Operário em rezar sempre pelas vocações na Igreja. 

 

Mês Vocacional
Durante o mês de agosto, o Serviço de Animação Vocacional (SAV) organizou uma intensa programação. A cada sexta-feira, uma live abordou as vocações: sacerdotal, matrimonial, religiosa e laical. No dia 22, os seminaristas peregrinaram ao Santuário Nossa Senhora Aparecida, Decanato Leste, e no dia 26, a Hora Santa no Santuário Eucarístico Mariano rezou pelas vocações.

 

Seminaristas das várias etapas formativas também lançaram o clipe da música A Barca, do padre Zezinho, com o objetivo de animar vocações ao ministério ordenado. 

 

Pascom Arquidiocesana

Foto de destaque: Guto Honjo

Fotos: Guto Honjo e Marcio Eduardo Vendrametro

 

 

 

Lançamos hoje a nova edição da Revista Comunidade, com uma matéria especial sobre a Vocação do Catequista, celebrada no último domingo, dia 29 de agosto. 

 

Confira os assuntos desta edição:

 

  • Palavra do Pastor: A família
  • Coluna Serva de Deus: Madre Leônia e sua opção de vida
  • Especial: Mais que vocação, uma missão
  • Reportagem: Cáritas assume Economia Solidária
  • Reportagem: Os Papas dos últimos tempos
  • Reportagem: Evangelização na América Latina e Caribe
  • Pergunta do Mês: Quando a dor é caso de psicólogo ou de direção espiritual?

Boa leitura!

 

 

Dentro da programação do Mês Vocacional, o Serviço de Animação Vocacional (SAV) da arquidiocese organizou, no dia 26 de agosto, a Hora Santa Vocacional, com as irmãs claretianas no Santuário Eucarístico Mariano. A oração foi conduzida pelo padre Wendel Perre dos Santos, vigário da Catedral Metropolitana de Londrina e teve transmissão ao vivo pelas redes sociais da arquidiocese.

 

“Nos reunimos para nossa hora de adoração ao Santíssimo para pedir ao Senhor que envie vocações sacerdotais, religiosas e leigos missionários para a Igreja pois, ‘a messe é grande, mas os operários são  poucos; pedi, pois, ao dono da messe que mande operários para a sua messe’ (Mt 9,37-38)”, fala irmã Ivanil Ferreira da Rosa, MC.

 

“Jesus viu que aquela multidão estava enfraquecida, abatida, como ovelha sem pastor”, fala a religiosa remetendo ao texto bíblico. “Também hoje, olhando para nós, para nosso mundo, para nossa situação no Brasil, de povo católico, Jesus novamente é tomado de compaixão. Ele nos vê enfraquecidos e abatidos como ovelhas sem pastor.”

 

A religiosa destaca que a Eucaristia foi sempre a força que impulsionou a vida e a missão da Serva de Deus Madre Leônia, que, como fundadora de uma congregação missionária, também sentiu nos ombros o que significa ter poucas filhas espirituais para enviar aos lugares carentes. “Não podemos continuar sem pastor, sem a força jovem para salvar os que estão caídos. Por isso rezamos, por isso pedimos: ‘Enviai Senhor…’”.

 

“É só através de nossas energias reabastecidas aos pés de Jesus Eucarístico é que podemos responder com generosidade ao chamado do MESTRE”, reforça a irmã. “Que nós SAV arquidiocesano, SAV – CRB Londrina e todo o povo de Deus possamos sentir cada vez mais a necessidade de ser agentes de transformação e de ajuda aos ‘jovens que querem servir como sacerdotes, como religiosas e religiosos os como leigos missionários para o bem do povo de Deus’.”

 

Pascom Arquidiocesana

Fotos: Márcio Eduardo Vendrametro

 

No último domingo, 22 de agosto, foi realizada a peregrinação anual dos seminaristas da Arquidiocese de Londrina ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova. Desde o tempo do episcopado de dom Orlando Brandes, a peregrinação ocorre durante o mês vocacional na intenção de agradecer à Senhora Aparecida por cuidar dessas vocações, pedir graças para perseverar respondendo ao chamado feito por Cristo e rogar à Mãe de Deus, Toda Santa, que interceda por novas vocações para nossa Igreja Particular.

 

O encontro contou com a participação de quase a totalidade dos seminaristas, estando presentes os que se encontram na etapa inicial (Propedêutico), os já seminaristas maiores da etapa discipular (Filosofia) e os da etapa da Configuração (Teologia). Também estiveram presentes quatro dos seminaristas que estão concluindo o seu ano de Síntese Pastoral.

 

A programação da romaria iniciou com a récita do terço pelas vocações, seguida da celebração da Eucaristia presidida pelo diretor espiritual dos seminários padre Valdomiro Rodrigues da Silva e concelebrada pelo reitor do Seminário Maior Teológico São Paulo VI, padre Paulo Henrique Rorato. Os diáconos permanentes Geraldo Luiz de Souza e Givan José Ferreira dos Santos se fizeram presentes, ambos são professores e colaboram diretamente com a dimensão intelectual dos seminaristas em duas das etapas formativas, a saber, Propedêutico e Teologia.

 

Na homilia, padre Valdomiro enfatizou que todos os cristãos leigos devem corajosamente dar o seu sim a Cristo, assim como os seminaristas que procuram corresponder dia a dia ao apelo do Senhor que os chamou e, embora tenham dificuldades, “a confiança naquele que chama é maior. A confiança e a segurança naquele que nos convida é maior”. Portanto, “a quem iremos, Senhor? Tu tens Palavra de vida eterna” (Jo. 6,69).

 

Rezemos por todas as vocações, em especial pelos seminaristas da arquidiocese, para que mantenham seus olhos fitos no Senhor que lhes chamou.

 

“Enviai, Senhor, operários para a vossa messe! Pois a messe é grande e poucos são os operários. Amém”.

 

Equipe Arquidiocesana SAV Londrina

 

Dia Mundial de Oração pelas Vocações tem como lema: ‘E prostrando-se o adoraram… e lhe ofereceram presentes” (Mt 1,11-12)

 

A Igreja celebra no quarto Domingo da Páscoa, próximo dia 25 de abril, o 58º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, quando as comunidades paroquiais e diocesanas do mundo todo se unem para suplicar a Deus o dom de santas vocações. “Este significativo encontro anual tem por objetivo favorecer a construção de uma cultura vocacional tanto na ação pastoral como na vida de oração dos fiéis, sentindo com a Igreja a necessidade de uma resposta urgente ao Senhor da Messe”, explica o seminarista Emanuel Pereira Rosa, assessor do Serviço de Animação Vocacional (SAV).

 

Com o lema retirado da passagem do Evangelho de Mateus quando os Magos visitam o Menino Jesus em Belém: “E prostrando-se o adoraram … e lhe ofereceram presentes” (1,11-12), neste ano de São José, os fiéis são convidados a oferecer aquilo que de graça receberam: sua vocação. “Veio de Deus e para Ele deve retornar. Teremos sempre, assim como Nosso Senhor, seu pai adotivo ao nosso lado, guardando nossa vocação, destaca Emanuel.

 

Por meio da oração, continua o seminarista citando a mensagem do Papa Francisco para este dia, somos orientados a Cristo, “nosso ‘ouvido interior’ é aguçado para, assim como o guardião da Sagrada Família, sair de nós mesmos e viver as aventuras da vocação.”

 

A programação arquidiocesana do Dia Mundial de Oração pelas Vocações será na Catedral de Londrina, a partir das 14h. Até as 17h vários grupos (padres, diáconos, famílias, religiosos e seminaristas) farão Adoração Eucarística. Às 18h a Santa Missa encerra as atividades. Devido aos protocolos sanitários vigentes, a participação presencial será limitada. A programação é uma parceria do SAV, Conferência dos Religiosos do Brasil (CBR) Núcleo de Londrina e Setor Família.

 

Nas comunidades, padres, lideranças e fiéis são convidados a rezar uma dezena do Terço pelas vocações antes da missa dominical.

 

Dia de Oração

O quarto Domingo da Páscoa foi instituído pelo Papa São Paulo VI como o Dia Mundial de Oração pelas Vocações em 1964. A Igreja de Cristo reza nesta data litúrgica pelas vocações sacerdotais e religiosas, sem esquecer da sua nascente biológica: a família. “A palavra dirigida aos Gálatas – conclui o seminarista – é atualizada entre nós: ‘Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher, pois todos vós sois um só em Cristo Jesus’ (Gl 3,28)”.

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

No próximo sábado (17), a partir das 17h30, o Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, vai rezar pelas vocações, em especial as sacerdotais. No local, o Serviço de Animação Vocacional da arquidiocese realizará a oração do terço e, em seguida, participará da missa, às 18h30. O objetivo é incentivar a cultura vocacional. A participação é aberta à comunidade, que deverá respeitas os protocolos de saúde: uso obrigatório de máscaras, distanciamento social e álcool em gel.

 

“Será um momento de oração por todas as vocações: matrimonial, religiosa e sacerdotal. Rezaremos o Santo Terço nesta intenção. De forma especial, pelas vocações sacerdotais, por isso que os seminaristas da etapa inicial estarão presentes”, explica Emanuel Pereira Rosa, seminarista do primeiro ano de Teologia e Assessor do Serviço de Animação Vocacional na Arquidiocese. De acordo com ele, é preciso atender a um pedido do papa Francisco e dos bispos do Brasil: fomentar a cultura vocacional.

 

“Essa cultura vocacional deve começar da oração e se encarnar na realidade pastoral de nossas paróquias”, diz Emanuel. O santuário foi escolhido por ser mariano. “Queremos confiar à Santa Mãe de Deus nossas súplicas, para que, como ela, em nossa Arquidiocese, haja um povo que diga sim ao chamado que o próprio Cristo lhes faz”, ressalta. Segundo o seminarista, é muito importante rezar pelas vocações e realizar atividades como essa. “Rezar pelas vocações sempre terá a máxima importância, pois, o próprio Jesus nos disse: ‘Pedi ao Senhor da Messe’. Portanto, pedimos, desta vez com a comunidade do santuário, para que nesta comunidade também haja corações disponíveis ao Senhor.”

 

Se alguém hoje quiser ser padre deve entrar em contato com o Serviço de Animação Vocacional (SAV), diretamente, pelas redes sociais (<Facebook> e <Instagram>)ou por meio do encaminhamento do pároco. Os jovens que desejarem participar das experiências vocacionais podem entrar em contato pelo telefone: (43) 3341-1080, no Seminário Paulo VI.

 

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Foto: cathopic

Nesse último sábado, 09/04, duas religiosas do Movimento de Schoenstatt e sete seminaristas da nossa arquidiocese participaram da Santa Missa na Paróquia São José Operário, Decanato Oeste, presidida pelo Pe. Dirceu Reis, pároco.

 

Além da presença que incentiva a cultura vocacional, ao final da celebração um dos seminaristas e uma das religiosas expressaram um testemunho vocacional e a beleza de um discernimento sadio e cheio de esperança. Os fiéis, presentes na Eucaristia, ficaram alegres e encantados com a presença, o testemunho e o entusiasmo.

 

Em sua homilia o Pe. Dirceu Reis destacou que somos os destinatários e portadores da paz trazida pelo Ressuscitado aos nossos corações. “A Misericórdia de Deus derrama gratuitamente sobre nós o perdão e a paz e disso somos testemunhas”, disse o padre.

 

Que em nossa comunidade surjam novas e santas vocações para a Igreja de Cristo.

Pascom paroquial

 

Fotos Pascom paroquial

Rapazes de diversas regiões da arquidiocese e até mesmo de fora dela participaram da primeira Experiência Vocacional on-line deste ano. Como em todos os anos, o Serviço de Animação Vocacional (SAV) arquidiocesano realiza um percurso de discernimento vocacional com jovens que desejam ingressar no Seminário.

 

O evento foi no último sábado, dia 27 de março, iniciando com a oração do Santo Terço. O tema deste encontro com os vocacionados foi a respeito das vocações nas Sagradas Escrituras e contou com a presença do senhor Benedito Mauricio Agostinho, leigo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Porecatu-PR.

 

Em sua colocação, Agostinho mencionou que “o vocacionado está nas mãos de Jesus. O vocacionado é como a Eucaristia. Jesus é quem dará forma ao seu discípulo. Por isso, é necessário dar-se por inteiro, para assim sermos transformados n’Ele”. Rezemos por esses homens, para que a seu tempo possam de maneira generosa corresponder ao chamado que Cristo tem feito. Oremos sempre pelas vocações. Não esqueçamos o que dom Albano Cavallin nos ensinou: “Senhor, enviai, vocações; Senhor, enviai muitas vocações; Senhor, enviai muitas e santas vocações para a Igreja de Londrina”.

 

Equipe Arquidiocesana SAV Londrina