Conhecido como o santo do cotidiano, São Josemaria Escrivá foi celebrado na Catedral Metropolitana de Londrina no último sábado, 25 de junho, em Santa Missa presidida pelo padre Caio Penna Chaves, da Prelazia da Santa Cruz e Opus Dei.

São Josemaria teve um olhar atento para a grandeza da vida ordinária. No início do século XX, quando a santidade parecia coisa de monges e freiras, o santo trazia uma mensagem com ares de novidade: Deus nos chama a servi-Lo nas tarefas mais corriqueiras, civis, materiais e seculares da vida humana. Pois “Deus nos espera cada dia: no laboratório, na sala de operações de um hospital, no quartel, na cátedra universitária, na fábrica, na oficina, no campo, no seio do lar e em todo o imenso panorama do trabalho”, escreveu o santo, que é o fundador do Opus Dei.

Na homilia, padre Caio resumiu a mensagem de São Josemaria em duas ideias: todos somos chamados à santidade, que é a plenitude da vida cristã; e que todos os momentos e circunstâncias da vida, em especial o trabalho, podem ser convertidos em ocasião de união com Deus, de serviço à Igreja e de amor ao próximo. “A santidade a que somos chamados, se alcança, se cultiva, portanto, na nossa vida de todos os dias.”

Neste ano a festa de São Josemaria coincidiu com a conclusão do Ano da Família Amoris Laetitia, convocado pelo Papa Francisco com o desejo de que os fiéis refletissem sobre a importância da família na Igreja e na sociedade. Por isso, padre Caio concentrou sua homilia na incidência da mensagem do santo na vida familiar: “que essa vida se transforme então em caminho de união com Deus.”

Todos os lares, explica o sacerdote, são chamados a ser como o lar da Sagrada Família: luminoso e alegre, um recanto de paz. “Essa é a nossa meta, esse é o nosso ideal. Pode parecer difícil em algumas situações…, mas o que torna um lar luminoso e alegre não é a ausência de problemas, de dificuldades, e sim o amor, e o amor encontra ocasião para se manifestar não só nos momentos felizes, mas também no meio das dificuldades, no meio das fraquezas, que, portanto, devem ser um impulso ao chamado a ir para águas mais profundas.” Citando o Evangelho proclamado, o padre reforça que Jesus faz este convite a todos: que não permaneçam paralisados diante das dificuldades, mas que avancem para águas mais profundas, ou seja, buscar a santidade nas coisas do dia a dia, na vida familiar.

Padre Caio destaca que o amor na família deve refletir o amor de Deus. Diante de um mundo em que as pessoas são valorizadas por aquilo que realizam ou por aquilo que conquistam, Deus, ao contrário, ama, antes de qualquer realização, por aquilo que nós somos, filhos seus, com nossas virtudes e defeitos. “É na família que uma pessoa tem, por assim dizer, o primeiro contato com o amor de Deus, porque na família uma pessoa deve ser amada por aquilo que ela é.”

Ao longo dos anos, assim como na época dos primeiros cristãos, a família carrega a missão de ser um foco da luz do Evangelho no mundo. “Nenhuma engenharia econômica e política é capaz de substituir a atuação das famílias… E é isso que Jesus Cristo nos chama. O navegar para águas mais profundas, nós podemos entender como um pedido dirigido às famílias: que não tenham medo, que apoiadas no amor de Deus procurem crescer no amor familiar e assim ser esse ponto de difusão da mensagem do Evangelho em todos os ambientes”, conclui.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Foto: Divulgação

A Paróquia São Vicente de Paulo convida para a sua Festa Junina 2022: Junin Fest, o retorno! Neste fim de semana, dias 2 e 3 de julho.

Confira a programação:

Sábado – 2/7

16h – Abertura das barracas ao público

17h – Missa com animação sertaneja

20h – Show de Prêmios

Domingo – 3/7

14h30 – Abertura das barracas

15h – Quadrilha infantil

17h – Missa com animação sertaneja

19h – Quadrilha dos jovens

20h – Quadrilha dos adultos

No dia 22 de junho, a Comunidade Terapêutica Domus Pater recebeu o prêmio Comenda Ouro Verde, da Câmara Municipal de Londrina. A Comenda Ouro Verde é um reconhecimento do município a instituições e empresas que tenham se distinguindo pelas suas atividades que trazem benefícios para a comunidade londrinense. Hoje a Casa Domus Pater conta com 25 internos.

O prêmio foi recebido pelo padre Marcelo Gomes, presidente da associação, representando todos aqueles que trabalham em prol da Domus Pater, dos filhos que por lá passaram e que lá estão. Estavam presentes os membros da diretoria e pessoas que concluíram ou que ainda estão em tratamento.

O recebimento da homenagem, por iniciativa do vereador Roberto Fu (PDT), foi anunciado em 2020, mas por conta da pandemia, foi entregue neste ano.

Pascom

Fotos: Divulgação

Na sexta-feira, dia 24 de junho, a Igreja celebrou a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da arquidiocese, do município e da Catedral de Londrina. Durante todo o dia, cerca de 10 mil fiéis, incluindo padres, diáconos, seminaristas e religiosos de toda arquidiocese, passaram pela Catedral.

A primeira missa do dia, às 8h, foi presidida pelo padre Alexandre Alves Filhos, coordenador da Ação Evangelizadora, e contou com a presença dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC). Às 10h30, dom Geremias Steinmetz presidiu a Santa Missa pela santificação do clero, com a presença dos nossos padres, diáconos e seminaristas, dentre eles o padre Marcos José dos Santos, eleito bispo da Diocese de Cornélio Procópio. A celebração teve a presença também de autoridades civis de município e do Estado, dentre eles o prefeito Marcelo Belinati.

Na missa, o arcebispo explicou que o coração de Jesus refere-se à totalidade da pessoa de Cristo. “O coração humano e divino de Jesus. Humano por causa dos espinhos, um coração ferido, crucificado, que mesmo com todo sofrimento é um vencedor. Adorar Jesus é ser um vencedor”, destaca.

Um coração próximo ao povo, “que nos ama tanto, que nos dá sua vida, que derrama seu sangue, que nos quer dar todo seu amor, que nos reconcilia com Deus em todas as dimensões”. Por isso, fala dom Geremias, enquanto os fariseus e doutores da lei ensinavam doutrinas rígidas e sem caridade, Jesus convida: “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis repouso para as vossas almas”.

Relembrando o tempo pandêmico que ainda vivemos, mas em que as atividades estão recomeçando, “o nosso povo novamente recomeçando vibrar com a vida, com a fé, com a esperança, com o desejo de sermos sempre melhores”, o arcebispo acredita que celebrar o Coração de Jesus dá um novo ânimo, faz com que o coração palpite, “porque temos a certeza de que Deus caminha conosco, Deus caminha com a Igreja, levando a Igreja, fazendo com que ela continue cumprindo a sua missão.”

Ao saudar as autoridades civis presentes na missa, dom Geremias destacou que a fé ao Sagrado Coração de Jesus, que é também padroeiro do município de Londrina, tem uma incidência muito forte na vida da sociedade. Por isso, agradeceu aqueles que se colocam a serviço, que se dedicam inclusive em nome da fé. “É o que se pensa e o que se quer. Que o padroeiro de uma cidade, de uma diocese, de uma arquidiocese, possa ter incidência até mesmo sobre aquelas decisões mais simples ou aquelas que de modo especial dizem respeito à vida do nosso povo”, destacou. “Queremos que Deus continue guiando nossas cidades, nossos municípios, nossos governos, para que de fato possa fazer aquilo que é capaz de trazer vida para o nosso povo.”

O arcebispo também louvou ao Sagrado Coração de Jesus pela nomeação do padre Marcos José dos Santos como novo bispo de Cornélio Procópio. “Quanto tempo Londrina espera por uma nomeação episcopal, e essa graça obtivemos nesta semana.”

Dom Geremias também rezou pelos doentes, especialmente pelo padre Sebastião Tavares, que se encontrava hospitalizado e veio a falecer na sexta-feira à noite

Apostolado da Oração

Às 15h, a missa foi com os membros do Apostolado da Oração – Rede Mundial de Oração do Papa, que trouxeram bandeiras e estandartes representando as 83 paróquias da arquidiocese. A missa foi presidida pelo padre Paulo Alencar, assessor do Apostolado da Oração, e concelebrada pelo padre Luciano da Paixão, pároco da São Luiz Gonzaga.

Além da coroação da imagem do Sagrado Coração de Jesus, nessa missa foi apresentado o primeiro grupo do Movimento Eucarístico Jovem (MEJ) da arquidiocese, da Paróquia São Luiz Gonzaga, distrito de São Luiz. O MEJ é o braço jovem do Apostolado da Oração, composto por crianças, adolescentes e jovens.  Ao fim da missa, padre Paulo e padre Luciano entregaram a cruz aos novos membros do MEJ.

Jovens

A última missa do dia mobilizou os jovens de toda arquidiocese. A Celebração Eucarística foi presidida pelo padre Dirceu Reis, assessor do Setor Juvenil, e contou com a participação de jovens de vários grupos de Londrina. Na homilia o padre expressou uma prece ao Sagrado Coração de Jesus pelos jovens da cidade que perderam a capacidade de sonhar: “Sagrado Coração de Jesus, derrame aos corações dos adolescentes e jovens a virtude cristã da esperança para que com ela possam sonhar e viver sob a vossa luz e assim alimentem a beleza da Igreja e a alegria da Boa Nova”.

Ao fim da celebração, os jovens carregaram o andor com a imagem do padroeiro durante a procissão em torno da Catedral, expressando o amor e devoção ao Sagrado Coração de Jesus.

Juliana Mastelini Moyses

Pascom Arquidiocesana

Fotos: Daniel Kanki, Juliana Mastelini Moyses e Terumi Sakai

No último domingo, dia 26, aconteceu no Seminário Arquidiocesano Propedêutico São José, mais uma Experiência Vocacional. Este encontro acontece todos os meses, no último domingo, e tem por objetivo ajudar os jovens acima de 15 anos a discernirem o chamado vocacional para o ministério presbiteral.

Neste último domingo, o seminarista Jefferson Basseto, em ano de síntese pastoral na Paróquia Sant’Ana, conversou com os meninos sobre ser sacerdote segundo o coração de Jesus, ressaltando a importância do sacerdote que precisa ser configurado ao Cristo bom pastor, que é manso e humilde de coração.

Também estiveram presentes seminaristas da etapa do discipulado (filosofia), que partilharam sobre o dia a dia do seminário, para que o discernimento possa ser feito com maior clareza e os meninos se sintam integrados desde já em todo o processo. Padre Elizeu Bonfim de Souza, vigário da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Km9, presidiu a Santa Missa compartilhando também sua experiência com os rapazes.

O próximo encontro será em agosto em uma modalidade diferente. A ideia é fazer o encontro mais itinerante, ou seja, em alguma paróquia da arquidiocese para que os meninos tenham contato com a riqueza humana e espiritual que existe em nossa Igreja particular.

Para saber mais, basta acompanhar as redes sociais do SAV Londrina (facebook e instagram) e também pelas redes sociais da arquidiocese que serão divulgados mais informações. Os interessados podem também entrar em contato diretamente com o Seminário São José, pelo telefone (43)3154-1022.

Continuemos rezando pelas vocações, para que o Senhor da messe continue a chamar e os jovens tenham a coragem de responder ao chamado.

Equipe arquidiocesana do SAV Londrina

Fotos: Divulgação

A missa em homenagem será no dia 29 de junho, às 19h, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Londrina

Dom Geremias Steinmetz é hoje quem ocupa o cargo que outrora pertenceu a Dom Geraldo Majella Agnelo, que completará 65 anos de ordenação sacerdotal com uma missa no dia 29 de junho, às 19h, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Londrina. Entretanto, ambos já se conhecem desde muitos anos atrás, quando o Cardeal morava em Roma e o então sacerdote Geremias estudava na capital italiana. Hoje, o arcebispo de Londrina reconhece que Dom Geraldo “foi um homem da Igreja, que se dedicou, verdadeiramente, e nunca mediu esforços para se dedicar e ser fiel à pessoa de Jesus Cristo”. 

Quando Dom Geremias era estudante do Colégio Pio Brasileiro, em Roma, entre 1995 e 1996, jamais poderia imaginar que um dia seria Arcebispo de Londrina, mesmo cargo ocupado por Dom Geraldo Majella entre 1982 e 1991. “Eu ouvia falar de Dom Geraldo quando eu era seminarista, em 1978, 1979. Depois, fui acompanhando sua trajetória. Convivi mais de perto com ele nos tempos em que eu era estudante em Roma, em 1995 e 1996, Éramos em um número considerável de padres paranaenses, então a gente fazia um jantar, um risoto, uma galinhada, às vezes uma feijoada. E sempre convidávamos Dom Geraldo. Quem o acompanhava era Dom Odilo Scherer. Tomávamos um vinho e conversávamos”, recorda. 

Para Dom Geremias, Dom Geraldo foi uma pessoa que dedicou sua vida ao trabalho e que ajudou a Igreja e momentos e desafios, em todos os cargos ocupados por ele, desde o exercício do ensino, até como arcebispo, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e nas congregações às quais foi membro, no Vaticano. “Nesses 65 anos, Dom Geraldo dedicou sua vida ao trabalho, lutou muito, ajudou a Igreja a resolver muitos problemas dedicou sua vida para que a Igreja pudesse ser mais eficiente.” 

Presenças confirmadas
Confirmaram presença os seguintes cardeais e arcebispos, todos que conviveram com Dom Geraldo em algum momento de suas trajetórias: os cardeais Dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, e Dom Sérgio da Rocha, arcebispo primaz do Brasil da Arquidiocese de Salvador; o atual presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo; e os arcebispos Dom Anuar Battisti, arcebispo emérito de Maringá, e Dom Carlos José de Oliveira, bispo de Apucarana, além do monsenhor Marcos José, padre da Arquidiocese de Londrina, recém-nomeado bispo de Cornélio Procópio, e o padre Rodolfo Trisltz, pároco e reitor do Santuário. 

A comissão de padres que idealizou e organizou as festividades é integrada pelo padre Manuel Joaquim, padre Mauro Pedrinelli e Monsenhor Bernard Gafá, além de Julia, que cuida do cardeal Geraldo Majella. A missa no dia 29 de junho terá início às 19h, com celebração de Dom Geremias Steinmetz e transmissão nacional pela TV Evangelizar, além das redes sociais do Santuário. Em seguida, um jantar por adesão será oferecido aos convidados e presentes no salão ao lado. Os convites custam R$ 50 e podem ser adquiridos através dos telefones (43) 99993-9710 ou 3329-1039.  

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Foto: Pascom

No dia 18 de junho foi realizado no salão paroquial da Paróquia Nossa Senhora Rainha do Universo, Decanato Centro, o aulão solidário. Uma inciativa do personal Leonardo Grosso, proprietário da Flashover Centro de Treinamentos, em parceria com a paróquia, a fim de arrecadar produtos de limpeza para uma instituição caritativa. O evento contou com a presença de diversos paroquianos, bem como de alunos e instrutores do Centro de Treinamentos.


A instituição contemplada foi a Casa Domus Pater. Trata-se de casa de recuperação de dependentes químicos, gerenciada pelo padre Marcelo Gomes dos Santos. No dia 24 de junho, dia do Sagrado Coração de Jesus, padre Marcio e o personal Leonardo foram pessoalmente entregar os produtos. Foi um momento oportuno para conhecer a casa e o trabalho desenvolvido.

Paróquia Nossa Senhora Rainha do Universo

Fotos: Divulgação

Padre Marcos José, bispo eleito para a Diocese de Cornélio Procópio, será o primeiro membro do episcopado “genuinamente londrinense”, um representante do clero arquidiocesano

A Arquidiocese de Londrina recebeu na quarta-feira, 22 de junho, uma notícia que alegra todo o povo de Deus. Um filho desta Igreja será ordenado bispo, recebendo o terceiro grau do sacramento da Ordem. O Papa Francisco anunciou a nomeação do padre Marcos José dos Santos, atual pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Centenário do Sul (PR), como novo bispo da Diocese de Cornélio Procópio (PR), aceitando a renúncia de dom Manoel João Francisco, que está com 75 anos, idade com a qual os bispos pedem renúncia. O agora monsenhor Marcos José será o primeiro bispo “genuinamente londrinense”, como o descreveu o arcebispo dom Geremias Steinmetz em coletiva de imprensa logo cedo, com a presença do padre Marcos e do padre Rafael Solano, cura da Catedral e vigário geral da arquidiocese.

O arcebispo explicou que era um desejo antigo a ordenação de um bispo da Arquidiocese de Londrina. “O padre Marcos é nascido em Lupionópolis, curiosamente o menor dos nossos municípios, o mais distante aqui da sede… Isso nos anima porque sempre se falou muito que não se tinha um bispo de Londrina. Apesar de termos bispos que nasceram no território de Londrina depois mudaram, por exemplo, o dom Donizete que foi nomeado para auxiliar de Cascavel. Ele é nascido nesta região. Porém se desenvolveu em Cornélio Procópio, então não conta”, brincou dom Geremias. “Então conta hoje um legítimo representante do nosso clero, do clero da arquidiocese.”

Na entrevista, padre Marcos comentou sobre suas raízes na Arquidiocese de Londrina, onde nasceu, cresceu e desenvolveu sua caminha cristã; fez a formação e exerce o ministério sacerdotal desde a ordenação em 12 de fevereiro de 2000. “Muita gratidão a esta Igreja que me fez padre, que me acompanhou, que me ensinou, que me acompanha e que agora através desta Igreja, eu sou enviado para uma outra Igreja em missão. Me sinto um filho da Igreja de Londrina sendo enviado em missão.”

A ordenação episcopal será no dia 13 de agosto, às 15h na Catedral Metropolitana de Londrina e terá como bispo ordenante dom Geremias e coordenantes dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, e dom Manoel João Francisco, bispo emérito de Cornélio Procópio. Monsenhor Marcos José assume a Diocese de Cornélio na semana seguinte de sua ordenação, no dia 20 de agosto, em celebração na Catedral Cristo Rei.

O padre conta que recebeu o convite para o episcopado com alegria e também um sentimento de compromisso. “Primeiramente aquele espanto, aquela surpresa, mas depois com a reflexão: é um chamado de Deus através da Igreja na pessoa do Papa Francisco, e, claro, com o tempo para dar a resposta, refletir e dar o ‘sim’, com um sentimento de muita serenidade, paz e, sobretudo, de me colocar a serviço da Igreja em Cornélio Procópio, contando com a graça de Deus, contanto com o apoio e as orações de todos.”

Ele agradeceu às suas duas famílias: a família de origem: os pais José Francisco (in memorian) e Alvina, irmãs, cunhados e sobrinhos; e a família da Igreja, na qual foi gerado na fé, na vida cristã e no ministério presbiteral. “Sou muito agradecido à Arquidiocese de Londrina, porque eu sou filho desta Igreja, e também nesta Igreja me coloquei a serviço. E por isso a minha gratidão a todos os trabalhos realizados, seja nos seminários, seja na Ação Evangelizadora, ultimamente nas duas últimas paróquias, na Paróquia São João Paulo II, no Vista Bela, e nos últimos cinco anos na Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Centenário do Sul”, agradece.

O monsenhor pediu também as orações e o apoio de todos. “O ministério, que é uma graça de Deus, eu ainda não tenho o conhecimento e a dimensão profunda, isso vai ser com a vida e com o tempo. Mas eu quero dizer que eu abraço com muita disponibilidade, humildade, serviço e amor, contando com a graça de Deus e com certeza com apoio de todos aqueles com os quais eu vou trabalhar nesse pastoreio na Igreja em Cornélio Procópio”, finaliza padre Marcos.

A arquidiocese se torna uma fonte de espiritualidade

Dom Geremias destacou que com o ministério episcopal do padre Marcos, outros locais começam a beber da fonte de espiritualidade que é a Arquidiocese de Londrina. Ele leva consigo a bagagem do trabalho pastoral desta Igreja particular. “Tudo aquilo que nesses anos todos aqui foi desenvolvido em termos de ação evangelizadora, em criatividade pastoral, as pessoas que por aqui passaram, os bispos que por aqui passaram de certa forma. Em síntese poderíamos dizer que hoje estão muito gratos ao Santo Padre, gratos a Deus pela nomeação deste nosso filho no episcopado e que por aqui também entregou sua vida com muita generosidade.”

Uma diocese, quando oferece um bispo para a Igreja, dá sinais de maturidade, reforça dom Geremias. “Uma maturidade pastoral, uma maturidade espiritual. Londrina, penso que de fato, estava precisando de uma manifestação assim no sentido de que temos aqui muitas coisas que podem ser levadas para a Igreja como um todo, para a Igreja do Paraná, do Brasil. Alguém que viveu todas essas experiências em praticamente 22 anos de ministério, tendo ainda toda sua história enquanto pessoa, é uma manifestação de apreço da Igreja pela Arquidiocese de Londrina, pelo trabalho que por aqui se desenvolve”, fala o arcebispo.

“A gente vê como as pessoas hoje se alegram muito pelo sim do padre Marcos José ao episcopado. E certamente com o seu trabalho, ele ainda vai também atrair muitas pessoas para o coração do nosso Deus, para o coração do nosso Senhor Jesus Cristo”, destaca dom Geremias na semana em que a Igreja celebra a festa do Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da arquidiocese (24 de junho).

Processo de escolha

O arcebispo explicou que o processo de escolha de um novo bispo é simples, porém muito sério, compreende uma série de consultas e escrutínios sobre a vida do futuro membro do episcopado. “Houve um discernimento, haviam outros candidatos, outras pessoas que também estavam sendo discernidas, e pouco a pouco foi despontando o nome do nosso padre Marcos José”.

Quando foi consultado a respeito de nomes para substituir dom Manoel João Francisco, que na época estava prestes a completar 75 anos, dom Geremias procurou pensar em alguém do clero arquidiocesano. Como a Diocese de Cornélio Procópio faz parte da Província Eclesiástica de Londrina, composta também pelas Dioceses de Apucarana e Jacarezinho, a ideia é que fosse alguém da própria província, que conhecesse a realidade desta localidade. “O padre Marcos José tem esse conhecimento, ele estudou com os padres de Cornélio, e antes da minha chegada [na Arquidiocese de Londrina], dom Manoel foi administrador apostólico aqui, portanto tem uma ligação muito grande. Então nós podermos indicar alguém para a Diocese de Cornélio é sinal de uma unidade que já existe na Província Eclesiástica de Londrina.”

Segundo o arcebispo, depois do processo de discernimento, três nomes são enviados ao papa. Esses nomes são submetidos ao conselho da Congregação para os Bispos e posteriormente ao Santo Padre, que tem a sua metodologia de escolha. “Ali tem tudo sobre a vida de cada um, o ministério de cada um, as qualidades de cada um, tudo isso é de certa forma investigado, não de maneira negativa, mas para se ter segurança que se está nomeando alguém que vai liderar, que vai trabalhar com seriedade porque já demonstrou isso como padre, como professor, como coordenador. Isso é importante que seja dito ao Santo Padre na documentação que é oferecida a ele, para ter segurança de quem ele está nomeando. Então dizem sempre que o papa pega essa terna, esses três nomes, e certamente invocando o Espírito Santo de Deus, nomeia de acordo com o seu coração.”

Impulso vocacional

Dom Geremias explica que a ordenação de um bispo é também um incentivo a novas vocações. “Se Deus continua sendo fiel na vida de um padre que aceita participar do episcopado do nosso país, da Igreja, então ele é um sinal, ele é sempre um sinal de Deus”, explica o arcebispo. “Ele está dando sinais de que aquele chamado desde a juventude, para o qual a pessoa se prepara, toda formação, depois ele estudou por tempos em Roma também…, isso os jovens vêem. Muita gente se alegra com essa nomeação, e muitas pessoas olham e falam: ‘puxa, se ele fez tudo isso eu também posso fazer’.”

A vida de um bispo é sempre doação, destaca dom Geremias, alguém que entrega sua vida para resolver os problemas da Igreja, ser Igreja e viver a Igreja. “Um bispo, não é que perde a sua vontade, mas a vontade do bispo é a vontade da Igreja, é a vontade que vai se realizando pouco a pouco. Então é um sinal importante, no sentido que agora nós tempos um bispo londrinense, e que representa também essa espiritualidade cristã que por aqui nós”, finaliza dom Geremias.

Ordenação

Em nome do clero londrinense e da arquidiocese, o padre Rafael Solano, cura da Catedral e vigário geral da arquidiocese, parabenizou o novo bispo eleito e convidou toda comunidade para participar da ordenação episcopal no dia 13 de agosto às 15h, na Catedral Metropolitana. “A nossa Catedral acolhe a toda família da arquidiocese juntamente com toda família diocesana de Cornélio Procópio… Muito nos alegramos e muito agradecemos a Deus o dom da vida do padre Marcos José, hoje monsenhor Marcos José, e nos unimos também como irmãos de ministério.”

Juliana Mastelini Moyses

Pascom Arquidiocesana

Fotos: Terumi Sakai

Paroquianos da Nossa Senhora das Graças, de Centenário do Sul, acompanharam o bispo eleito
Antes da entrevista, monsenhor Marcos José foi recebido na Mitra Arquidiocesana pelos funcionários do Centro de Pastoral

A reflexão da Festa deste ano tem sua base na proposta apresentada pelo Papa Francisco para a Igreja nos próximos anos: “comunhão, participação e missão”.

Na Catedral Metropolitana serão realizadas quatro celebrações: às 8h, às 10h30, às 15h e às 18h. O Vigário da Catedral, padre Wendel Perre dos Santos abre a programação com a missa das 8h, que contará com o toque do Coral Santa Cecília – com seus 85 anos de tradição na cidade – e a presença dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) de toda arquidiocese.

O ponto alto do dia será às 10h30 com a missa solene presidida pelo arcebispo metropolitano, dom Geremias Steinmetz. Para esse momento, são esperados todos os padres e diáconos que compõem o clero da arquidiocese, além da participação massiva de seminaristas, religiosos e todo o povo de Deus. Autoridades Municipais, Estaduais e Federais também já confirmaram presença. “Este é o momento mais aguardado durante o ano por toda a comunidade católica da nossa cidade. Dentro da experiência sinodal que estamos vivenciando com o Papa Francisco, vamos estar todos participando em comunhão aqui na Igreja Mãe, a nossa Catedral do Coração” – pontua o Cura da Catedral, padre José Rafael Solano Durán, sobre o Dia de Oração pela Santificação do Clero. A celebração promete ser emocionante e será abrilhantada com um Coral composto por vozes vindas de diversas comunidades, tendo transmissão pela Rádio Alvorada.

Durante a tarde, como já é tradicional de todas as sextas-feiras do ano, às 15h, o Apostolado da Oração (Rede Mundial de Oração do Papa) participa da Santa Missa presidida pelo assessor do movimento, padre Paulo Henrique Alencar. Nesta data em especial são esperados os quase 5 mil membros do Movimento de todas as 83 paróquias da arquidiocese.

Ao final da tarde, a programação deste dia festivo se encerra às 18h com a “Missa Jovem”, presidida por padre Dirceu Júnior dos Reis, assessor do Setor Juvenil. A celebração contará com a presença de milhares de jovens e adolescentes dos diversos grupos de toda região.

FEIJOADA SOLIDÁRIA

Tendo em vista a proporção grandiosa da festa e a antecipação necessária para organização – devido à instabilidade sanitária – a comunidade optou por uma quermesse no modelo drive-thru para maior segurança de todos. A “Feijoada do Padroeiro” será realizada no Domingo, dia 26 de Junho. Cada porção custa R$50 (servindo até 4 pessoas). Os convites podem ser adquiridos na Secretaria da Catedral, ao lado da Livraria Dom Geraldo. A retirada será no estacionamento – no subsolo da Catedral – das 11h até às 15h. “Uma feijoada no almoço de domingo, ainda mais com esse friozinho, cai muito bem! Restam pouquíssimos convites! Vamos juntos com uma boa comida celebrarmos a Festa do nosso Padroeiro e também ajudarmos as obras de revitalização da nossa Catedral.” – conclui o Cura, Padre Rafael.

Catedral Metropolitana de Londrina

Foto: Terumi Sakai

Acompanhe as missas no Dia do Padroeiro Sagrado Coração de Jesus