Em vista de uma Igreja cada vez mais inclusiva, a Animação Bíblico-Catequética da arquidiocese promove, no dia 15 de abril, formação sobre catequese especializada. A ideia é formar os catequistas para atuarem junto a pessoas que tenham algum tipo de deficiência.

Os assessores serão o psicólogo Wagner Almirão e o padre Glauber Gualberto. Interessados em participar procurar a coordenadora paroquial da catequese ou a decana.

Na manhã desse domingo, 26 de fevereiro, cerca de 140 catequistas das paróquias do Decanato Oeste de nossa arquidiocese realizaram um retiro quaresmal. A manhã de espiritualidade foi realizada na Paróquia São José Operário e iniciou com a Santa Missa presidida pelo padre Dirceu Reis, pároco da comunidade e decano.

Em sua homilia o padre destacou que a obediência à lei divina conserva dentro de cada um a imagem de Deus e, por isso, o ser humano em Deus torna-se plenamente livre. Após a celebração os catequistas foram recebidos com um café da manhã no salão paroquial. As reflexões, dinâmicas e orações foram realizadas no auditório do Centro Catequético da paróquia. A contadora de histórias infantis Flávia Harue apresentou uma dinâmica e reflexão sobre a sacralidade do contato afetivo com os catequizandos. Em seguida, a formadora Rosângela Tamaoki refletiu com os catequistas que o testemunho é uma virtude indispensável na caminhada catequética. A salmista Keyla Zuca fez o exercício da contemplação por meio do Salmo 102, um momento de mística e profundo encontro com o Senhor que fala ao coração humano. O Pe. Dirceu Reis meditou com os catequistas o Evangelho de Marcos 8, 22-26. Nas palavras do padre: “temos dificuldade de enxergar com nitidez as pessoas, a missão, o nosso coração e o próprio Deus. Por isso, nesta manhã de retiro queremos pedir a Cristo Jesus que cure nossa cegueira para vermos as coisas e a realidade tal como são e, a partir disso, nos apresentar a Deus como frágeis e fiéis instrumentos Dele na caminhada de evangelização”.

Os catequistas encerraram o retiro com um breve e silencio momento de adoração ao Santíssimo Sacramento. Na avaliação dos catequistas o retiro foi inspirador, organizado, dinâmico e formador. Um consenso entre os catequistas sobre a necessidade de mais momentos como esse que fortalecem a espiritualidade e amadurece a dimensão humana de cada um (a). No salão paroquial São João Paulo II os catequistas almoçaram em clima de ação de graças.

São José de Anchieta interceda pelo ministério de nossos catequistas e lhes conceda a paz e a alegria.

Pascom Paroquial

Fotos: Ana Obara e Paulo Bonatti

No sábado, 11 de fevereiro, cerca de 100 coordenadores paroquiais de catequese e a coordenação arquidiocesana da Animação Bíblico-catequética participaram de um encontro de formação no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor. O evento foi a primeira formação do ano e já preparou os catequistas para o retorno dos encontros da catequese neste ano, que acontece a partir da Quarta-feira de Cinzas e início da Quaresma.

Assessorado pelo psicólogo Paulo Tardivo, na parte da manhã, o encontro tratou sobre a pessoa humana e sua complexidade. À tarde, foram trabalhados o tema e o lema do Ano Vocacional: “Vocação: graça e missão” – “Corações ardentes, pés a caminho” (Lc 24,32-33), que tem como objetivo despertar a cultura vocacional em todas as comunidades do Brasil.

“Discutimos como trabalhar o Ano Vocacional na catequese”, explicou a irmã Angela Soldera, coordenadora arquidiocesana da catequese. “A sugestão é intensificar a oração pelas vocações nos encontros de catequese durante todo o ano e trabalhar a cultura vocacional. Queremos criar a consciência de que ser catequista é uma vocação e não apenas uma tarefa”, destacou a coordenadora.

O encontro de formação também abordou questões práticas da catequese na Arquidiocese de Londrina. “Retomamos o projeto da catequese, sanando dúvidas, reforçando a necessidade de fazermos os passos certos indicados no material arquidiocesano, com atenção aos ritos e escrutínios no Tempo Quaresmal de preparação para os catequizandos que vão celebrar os sacramentos da iniciação cristã – Crisma e Primeira Comunhão, no Tempo Pascal”, explica a irmã.

A formação foi concluída reforçando a temática da Campanha da Fraternidade: “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14,16). O arcebispo dom Geremias Steinmetz também marcou presença no evento, animando os catequistas na caminhada da iniciação à vida cristã.

Catequese voltada aos portadores de necessidades especiais

A coordenação de catequese enviou para as paróquias um levantamento a ser feito nas comunidades para mapear a carência no que diz respeito a uma catequese que atenda pessoas portadoras de necessidades especiais. A ideia é que, a partir desse levantamento, sejam organizadas formações específicas nas áreas necessitadas.

Próximos eventos da Catequese

No dia 25/3, a coordenação promoverá um encontro de formação para novos catequistas iniciantes a respeito da Iniciação à Vida Cristã com oficinas práticas.

No dia 15/4, a formação será voltada para catequistas que trabalham na catequese especializada.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Fotos: Guto Honjo e Vani Baptista de Souza

Com o objetivo de cada vez mais atender as diversas necessidades que se colocam no dia a dia das comunidades, a Animação Bíblico-Catequética de nossa arquidiocese vai promover, no dia 12 de novembro, uma roda de conversa sobre catequese especializada para pessoas portadoras de deficiência, com o padre Glauber Gualberto, do Santuário Nossa Senhora do Silêncio. Um apelo para a inclusão e atenção às necessidades especiais.

Neste mês de agosto, a reunião ordinária da Coordenação Arquidiocesana da Catequese, no dia primeiro, abriu um espaço para tratar sobre uma realidade enfrentada também no dia a dia do trabalho catequético: o problema da violência e da automutilação. Para a conversa, a equipe contou com a presença do psicólogo da Defensoria Pública, Fábio Sato, e da Conselheira Tutelar e membro do Comitê de Gestão Colegiada da Rede de Cuidados e de Proteção Social das Crianças Vítimas ou Testemunhas de Violência, Elen Luz.
Os palestrantes trataram sobre o fluxo de casos no município e do importante papel de todo cidadão em relação à proteção das crianças e adolescentes, especialmente no que diz respeito a como agir diante dessas realidades.

Os palestrantes destacaram que diante de uma suspeita de violência deve-se informar a rede de proteção para que medidas sejam tomadas. Uma criança ou um adolescente abusado é uma pessoa com direitos violados, que precisa da intervenção do Estado ou de qualquer segmento da sociedade civil para romper o ciclo desta violação. Quando crianças e adolescentes vítimas de abuso ou exploração sexual encontram uma rede de proteção atuante, destacaram, elas encontram um caminho possível para ressignificarem a própria vida.

Por isso o papel da Igreja no enfrentamento conjunto com a sociedade, com as políticas públicas, universidades e demais instituições a todas as formas de violências contra crianças e adolescentes.

O encontro foi organizado pela irmã Angela Soldera, coordenadora da Catequese, e pelo padre José Cristiano Bento dos Santos, pároco da Quase-Paróquia Nossa Senhora de Fátima

PASCOM Arquidiocesana

Nesta solenidade de São Pedro e São Paulo (dias 2 e 3 de julho), cerca de 130 catequizandos da Paróquia São José Operário, Decanato Oeste, receberam durante a Santa Missa a oração do Pai-Nosso. Os catequizandos foram divididos em três grupos e cada grupo em um horário de celebração. Reunidos pela Palavra e pela Eucaristia, a comunidade paroquial participa de mais um momento significativo da caminhada de fé dos catequizandos do Primeiro Tempo de Catequese, ou seja, mais um passo na decisão de seguir Jesus.

O Pai-Nosso é a oração ensinada pelo próprio Jesus. Desde os inícios de nossa Igreja, os que fazem a Catequese de Iniciação a Vida Cristã recebem, de forma solene, essa oração, selando com este rito, o compromisso de viver, no dia a dia, o que foi ensinado e vivido por Jesus. Durante a homilia o padre Dirceu Reis, pároco, destacou a importância da participação na Celebração Eucarística que nos conduz ao mistério pascal, alimenta a nossa caminhada cristã e ilumina a experiência realizada em cada encontro catequético. “A participação na Santa Missa dominical é também um testemunho de pertença e fidelidade a Cristo e à sua Igreja. Ao participarmos da missa atestamos a nossa comunhão na fé e na caridade; damos testemunho da santidade de Deus e da nossa esperança na salvação; e reconfortamo-nos mutuamente, sob a ação do Espírito Santo”, disse o padre.

Durante o rito eucarístico, após a doxologia, os catequizandos receberam das mãos do padre a oração e juntamente com toda a comunidade irão dizer as palavras que o próprio Jesus ensinou aos seus apóstolos, e eles para todos os seguidores de Jesus. “Esta oração foi recebida por nós, esta comunidade que agora, com muita alegria, passa para vocês rezarem todos os dias, como alimento e fonte de amizade com o nosso bom Deus”, disse o padre aos catequizandos. A comunidade paroquial expressa sua ação de graças pelo bonito testemunho dos catequistas na caminhada da Iniciação a Vida Cristã formando novos discípulos de Jesus, nosso Senhor.  Confira algumas imagens do rito nessas celebrações. 

Pascom Paroquial