Nesta quinta-feira, 19 de maio, dom Geremias deu início à segunda etapa de sua visita pastoral à Ibiporã. A visita à cidade está dividida em três etapas, a primeira, na semana passada, contemplou o território da Paróquia Nossa Senhora da Paz (de 12 a 14/5), no centro. Nesta semana dom Geremias visita o território da Paróquia São Rafael, no bairro San Rafael.

Hoje de manhã, ele dedicou para visitar escolas do bairro, de educação infantil, fundamental e médio, e um posto de saúde, onde levou a sua bênção e a sua palavra de pastor. Arraste as fotos e acompanhe por onde o arcebispo passou.

(1) Nesta manhã fria, a primeira visita foi ao Colégio San Rafael. Dom Geremias se reuniu com os adolescentes e professores no pátio. (2) Depois, no CMEI Bárbara Machado, foi recebido com música pelos pequenos.
(3) Os profissionais do Posto de Saúde San Rafael também receberam o benção do bispo, com a presença do prefeito José Maria Ferreira, que marcou presença para prestigiar o arcebispo.
(4) A manhã ainda contemplou outras duas instituições de ensino: a Escola Professora Alice Roma e (5) a Creche Pe. Cláudio Romano, onde as crianças estavam terminando de almoçar quando dom Geremias chegou, alguns inclusive já estavam na hora do soninho.
(6 e 7) Por fim, arcebispo se encontrou com os padres do PIME (Pontifício Instituto para as Missões Exteriores), onde residem 12 sacerdotes, oito deles idosos entre 77 e 88 anos. Dom Geremias almoçou com os padres e à tarde teve uma reunião com eles, em que puderam conversar sobre assuntos do dia a dia da Igreja.
(8) Logo mais às 19h30, dom Geremias vai presidir a Crisma na Paróquia São Rafael, com transmissão ao vivo pelas redes sociais da arquidiocese.

Amanhã, 20, e sábado, 21, dom Geremias vai visitar outras instituições, empresas e lideranças da comunidade.

Juliana Mastelini Moyses
PASCOM Arquidiocesana

No último domingo, 15 de maio, foi realizada a primeira Pedalada de Santa Rita de Cássia, promovida pela Paróquia Santa Rita de Cássia, Decanato Leste. A pedalada reuniu 300 participantes para os trajetos entre as ruas do Jardim Califórnia e San Fernando e as Estradas do Limoeiro e do Periquito. A pedalada abriu os festejos da Semana da Padroeira 2022

O evento, organizado por Arlindo Bonfim Neto e coordenada pelo Marcos e Rita de Cássia, tem como objetivo reunir os pedaleiros de Londrina e região para se movimentar, confraternizar e promover e divulgar a campanha para o futuro santuário e a devoção a Santa Rita de Cássia.

Desde as 6h da manhã, os 300 inscritos (207 homens e 97 mulheres), vindos de 18 cidades do Norte do Paraná, Sul de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se reuniam em frente à paróquia. A concentração para a pedalada contou com um café da manhã reforçado, entrega do kit de participação, equipe de enfermagem e alongamento para encarar dois percursos de 30 km e 55 km.

Todas as vagas disponibilizadas foram esgotadas e mesmo com o tempo chuvoso, muitos ciclistas se aventuraram. A largada foi iniciada às 8h da manhã, após a benção do pároco padre Edivan Pedro e as últimas instruções relativas ao trajeto a ser percorrido.

Vale destacar dentro deste percurso foi montado uma robustas estrutura, onde todos os inscritos foram identificados com placas e protegidos com um seguro-atleta, com quatro pontos de apoio aos pedaleiros, com atendimento médico e uma equipe de apoio móvel para recolher aqueles que tivessem problemas durante o percurso.

Os que terminaram a prova ganharam uma medalha comemorativa de participação. Além disso, foi premiada a maior equipe: os Sem Fronteiras, da cidade de Londrina; o mais jovem a participar da prova: Vinicius, de nove anos, de Cambé; e o mais velho: Cosme, de Londrina.

Dentre as centenas de pessoas que participaram do evento, é importante escutar as impressões que elas tiveram desta novidade promovida pelo nosso santuário. Sirlene Aparecida Rodrigues, de Londrina, conheceu o Santuário por causa da pedalada: “É maravilhoso, é gratidão, ver tantos ciclistas, é muita gratidão, Deus é maravilhoso”, destaca.

Já Vinicius Correio Casado de Lima, que é um ciclista corriqueiro e encarou o trajeto de 55 Km, destaca que o evento foi bem organizado: “Nós estamos usando esse evento para a Rota das Catedrais, é o último evento antes deste evento maior, com uma distância maior”, explicou Vinícius.

Rita de Cássia, membro da equipe do Projeto Santuário e também da organização do evento, ressalta que foi preparada uma estrutura muito grande para atender bem os 300 ciclistas, pensando em todos os detalhes: médicos, alimentação, acolhida, respeitando todas as normas, e também valorizando o trabalho dos 40 voluntários, fundamentais para que ocorra tudo nos conformes este evento. “É muito emocionante, o coração transborda de alegria, com o pessoal jovem da pedalada muito feliz, e isso nos motiva a fazer mais e mais”, fala Rita.

Arlindo Bomfim Neto, coordenador e organizador do evento, destaca que este evento é uma construção de uma grande equipe: “Nós partimos para a atividade para colocar a pedalada funcionar, e com o apoio da comunidade e dos patrocinadores, pensar a integridade física dos participantes, proporcionando um seguro de vida e o nosso maior objetivo aqui é o ciclista que está participando desta pedalada em prol do Santuário de Santa Rita de Cássia tenha uma boa impressão, e acreditando que a nossa padroeira está abençoando, eu estou muito satisfeito com o evento”, falou Arlindo.

Como destacado pelo Bonfim, o evento não acontece sem o trabalho de uma grande equipe, e se destaca o trabalho de vários voluntários, entre eles, a Érica Oliveira Domingos, que se engajou na participação deste evento devido ao trabalho no Santuário: “É muito especial, é muito trabalho, organizando durante a semana os kits, mas muito orgulho e felicidade com tanto ciclista aqui no Santuário de Santa Rita de Cássia”.

E faz um convite a todos aqueles que querem ajudar na construção, espiritual e física, do nosso santuário: “É muito gratificante, venha procurar as pastorais, a gente precisa de muitos voluntários para as várias atividades pastorais que existem hoje”.

A pedalada não seria possível sem os apoios de: Supermercado SuperNorte; CGL Assessoria Esportiva; Sanepar; Sicredi; Sucos Natu; Loja Poderosão da Limpeza; Pai&Filhos Pastelaria; Bananinha Palmital; Gulosina Alimentos; Farmácias Nissei; Duque Bikes; S2 Bike Shop e Medical Care e a também a colaboração da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU).

Além disso, na hora do almoço foi promovida uma macarronada com porpeta, que reuniu cerca de 400 pessoas no salão paroquial num divertido e animado Show de Prêmios.

A Semana da Padroeira 2022, com o tema “Santa Rita, exemplo de acolhida” continua com muitas atividades, com as Novena Mensal e as Missas Especiais; o Show com Thiago Tomé, e encerrando com a grande festa no dia 22, sendo que nestes dias teremos quermesse, loja de artigos religiosos, Capela das Graças,  Gruta de Santa Rita, Capela das Velas e Nicho com a Relíquia de Santa Rita.

Solidariedade

A paróquia também está recebendo doações de alimentos , mantimentos, roupas adulto/criança para as pessoas necessitadas da paróquia.

Programação da Semana da Padroeira:

17/5 – terça-feira

9h – Novena em honra a Santa Rita de Cássia (Presencial e on-line)

19h30 – Santa Missa: “Santa Rita, Exemplo de Acolhida dos Enfermos”

Bênçãos da Saúde – Celebrante: Pe. Paulo Ricardo Batista

18/5 – quarta-feira

9h – Novena em honra a Santa Rita de Cássia (Presencial e on-line)

18h30 – Oração do Terço de Santa Rita

19h30 – Santa Missa: “Santa Rita, Exemplo de Acolhida dos Filhos”

Bênçãos dos Filhos – Celebrante: Pe. Marcelo Gomes dos Santos

19/5 – quinta-feira

9h – Novena em honra a Santa Rita de Cássia (Presencial e on-line)

19h30 – Santa Missa: “Santa Rita, Exemplo de Acolhida da Vocação Religiosa”

Bênçãos da Juventude – Celebrante: Pe. Humberto Lisboa Nonata Gema

20/5 – sexta-feira

9h – Novena em honra a Santa Rita de Cássia (Presencial e on-line)

19h30 – Santa Missa: “Santa Rita, Exemplo de Acolhida das Cruzes Diárias”

Bênçãos dos Crucifixos e dos Terços – Celebrante: Pe. Laurindo Lopes da Silva

21/5 – sábado – Véspera da Festa da Padroeira

9h – Novena em honra a Santa Rita de Cássia (Presencial e on-line)

12h – Santa Missa Mariana – Celebrante: Pe. Edivan Pedro dos Santos (pároco)

19h – Santa Missa: “Santa Rita, Exemplo de Acolhida da Fé”

Bênçãos das Bíblias – Celebrante: Pe. Edivan Pedro dos Santos (pároco)

20h30 – Show Musical com Thiago Tomé – Missionário da Canção Nova

22/5 – domingo – Dia de Santa Rita de Cássia

Será um dia muito especial, as equipes da paróquia estarão recebendo os devotos, caravanas de romeiros e comunidade para um dia de adoração, oração, celebração, alegria, emoção, confraternização e fé, pedindo a Deus, por intercessão de Santa Rita, muitas bênçãos para cada um daqueles que busca paz, amor, esperança e luz para um mundo melhor. Neste dia é o momento de se encontrar com o Cristo Eucarístico.

Das 5h às 11h – Rota dos Santuários

6h – Santa Missa

Celebrante: Pe. Evandro Delfino

Das 8h às 12h – Confissões

8h30 – Desfile de Santa Rita

10h – Santa Missa

Celebrante: Dom Geremias Steinmetz – arcebispo de Londrina (na celebração, dom Geremias instituirá como acólito Ivan Marcelo da Silva Rodrigues, membro da comunidade)

12h – Santa Missa

Celebrante: Pe. João Giomo (PIME)

13h – Bênçãos dos carros

14h às 18h – Confissões

14h30 – Santa Missa

Celebrante: Pe. Renato Aparecido Ferraz Pelisson

16h30 – Santa Missa

Celebrante: Pe. Djonh Denys

18h30 – Santa Missa

Celebrante: Pe. Edivan Pedro dos Santos (pároco)

20h – Procissão Luminosa

*trazer velas

Horários especiais de funcionamento da Praça de Alimentação e Loja de produtos religiosos:

21/5: das 18h às 22h

22/5: das 6h às 22h

Pascom Paroquial

A Arquidiocese de Londrina foi representada no encontro pelos padres André Luiz de Oliveira, José Onero dos Santos, Luiz Laudino e Laurindo Lopes da Silva

Cerca de 532 presbíteros de todas as dioceses do Brasil estiveram reunidos no Santuário Nacional, em Aparecida (SP), nos dias 9 a 14 de maio, para participar do 18º Encontro Nacional de Presbíteros, assessorado pelo padre Rosimar José de Lima Dias e por dom Joel Portella Amado, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Na ocasião, eles refletiram sobre o tema “Presbíteros: Comunhão e Missão” e puderam rezar, conviver, refletir e experimentar a alegria de ser presbíteros/discípulos do Senhor, em comunhão e missão.

“Apareceram palavras como: eclesiologia de comunhão, sinodalidade, igreja particular, presbitério, espiritualidade, santidade, evangelização, testemunho, cuidado e anúncio do Reino”, diz um trecho da carta divulgada no final do encontro.

Durante os dias de encontro, os presbíteros puderam refletir sobre o momento de crise da pandemia, com desafios que afetam os âmbitos da política, economia, meios de comunicação, vida social, moral e ética. “Notou-se que há uma certa descrença da parte do povo brasileiro nas ciências, lideranças e instituições. Constatamos que muitos presbíteros, bispos, familiares e paroquianos morreram afetados pelo coronavírus e rezamos por eles”.

Tocados pelo processo do Sínodo dos Bispos de 2023, os presbíteros reafirmaram a fidelidade ao Magistério da Igreja na pessoa do Papa Francisco, na teologia bíblico-patrística, na eclesiologia do Concílio Vaticano II, na Teologia da Conferência Geral do Episcopado Latino Americano e Caribenho e nas orientações doutrinais e pastorais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, para “vencermos o personalismo, o clericalismo e o isolamento pelo cultivo da comunhão, participação e missão”.

“Aqui, da Casa da Palavra, Casa da Mãe Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, Santuário dos romeiros e peregrinos, nós, presbíteros da Igreja no Brasil, no empenho de ouvir cada vez melhor o chamado do Senhor ‘vinde!’, somos enviados em missão junto ao rebanho a nós confiado. Maria, Mãe Aparecida, nos ajude! Inspire-nos o testemunho de São João Maria Vianney, nosso patrono. Amém.”

CNBB

A Arquidiocese de Londrina foi representada pelos padres Luiz Laudino, José Onero, André Luiz Oliveira e Laurindo Lopes
“O tempo de visita pastoral é uma injeção de ânimo na comunidade, para que continuem tantos processos bonitos e, se for o caso, criem outros meios para que a evangelização continue.” Dom Geremias (Foto Tiago Queiroz)

O arcebispo dom Geremias Steinmetz iniciou, na última semana, sua visita pastoral à cidade de Ibiporã. A visita será realizada em três etapas: durante três finais de semana o arcebispo percorrerá o território das paróquias da cidade: Nossa Senhora da Paz, Nossa Senhora das Graças e São Rafael, visitando também instituições civis de Ibiporã. Nos dias 12, 13 e 14; 19, 20 e 21; e 26, 27 e 28 de maio.

Dom Geremias abriu a visita no dia 12, marcando presença na prefeitura, acompanhado dos párocos José Luiz Primão, Paulo Ricardo Batista e Regan Gomes. Durante o dia também visitou APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Ibiporã), o Fórum, o Frigorífico Rainha da Paz e celebrou a Santa Missa com os idosos e profissionais do Lar Padre Leone, administrado pelas Irmãs Servas da Caridade.

À noite o arcebispo presidiu a Santa Missa na Capela Nossa Senhora de Guadalupe, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, concelebrada pelo pároco padre José Luiz Primão. A celebração é realizada mensalmente no dia 12 em honra à padroeira Nossa Senhora de Guadalupe, comemorada no dia 12 de dezembro. Antes da missa, a comunidade rezou um terço luminoso.

Na homilia, o arcebispo explicou sobre a visita pastoral e a sua presença em Ibiporã nestes dias. “O tempo de visita pastoral é uma injeção de ânimo na comunidade, para que continuem tantos processos bonitos e, se for o caso, criem outros meios para que a evangelização continue.” Dom Geremias falou sobre o que ele chama de “musculatura da fé”. Assim como o corpo humano, se não exercitamos a nossa fé, ela vai ficando fraca, perdendo sua musculatura. “Muita gente perdeu a musculatura da fé [nesses tempos de pandemia]. Assim passamos um período difícil e agora temos que recuperar… Que o Senhor ressuscitado e o Espírito Santo nos animem que possamos reconstruir essa musculatura da fé.”

Quem é Jesus para você?
Na homilia, dom Geremias também falou sobre a importância de se ter uma experiência pessoal com Jesus. Diferentemente de um assunto sobre o qual se possa estudar para fazer uma palestra, não é possível falar sobre Jesus sem ter feito antes uma experiência pessoal com Ele. Quem é Jesus para você? Indagou o arcebispo. “Digamos que vocês me peçam para daqui uma hora uma palestra sobre a Austrália. Mesmo nunca tendo ido pra Austrália, se tiver um bom ponto de internet, daqui uma hora eu faço uma palestra sobre a Austrália. Mas de Jesus a gente não vai falar simplesmente por ter ouvido falar, mas com experiência própria.”

Este é também um dos objetivos da visita pastoral, reapresentar a fé e reavivar as experiências do povo de Deus. “A Igreja é convidada a continuar a missão evangelizadora. Nas paróquias temos celebrações, pregações, catequese, Dia da Palavra, grupos de reflexão, coisas que nos motivam a renovar a nossa fé em Jesus”, concluiu o arcebispo, que ao fim da celebração pediu que os fiéis rezassem pela sua visita pastoral.

A Igreja é convidada a continuar a missão evangelizadora. Nas paróquias temos celebrações, pregações, catequese, Dia da Palavra, grupos de reflexão, coisas que nos motivam a renovar a nossa fé em Jesus”

Dom Geremias Steinmetz

Segundo dia de visita
O segundo dia de visita, nesta sexta-feira, 13 de maio, festa de Nossa Senhora de Fátima, foi marcada pela presença em instituições de educação e inclusão de Ibiporã. Logo cedo dom Geremias se reuniu com professores e estudantes da Escola Santa Marta, administrado pelas Irmãs da Congregação de Santa Marta.

Depois de uma bênção aos alunos e professores reunidos no pátio, o arcebispo conversou com um grupo de estudantes e profissionais do colégio, que se apresentaram e fizeram perguntas ao arcebispo. Dom Geremias falou sobre a importância da família e da fé e destacou o dia de Nossa Senhora de Fátima. Nossa Senhora apareceu a três crianças e elas transmitiram a mensagem aos outros. E a mensagem de Fátima chegou ao mundo inteiro. “Assim como eles somos chamados a ser discípulos”, destacou o arcebispo.

No fim da manhã, dom Geremias almoçou com os funcionários das paróquias Nossa Senhora da Paz e Nossa Senhora das Graças. À tarde, visitou CADEVI (Centro de Atendimento ao Deficiente Visual), CAESMI (Centro de Atendimento Especializado na Área da Surdez) e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h. Nos dois centros, o arcebispo conversou com alunos e professores sobre a realidade das pessoas que têm algum tipo de deficiência e a importância do trabalho de inclusão na sociedade. Ouviu testemunhos e levou uma mensagem sobre Jesus. “Quando Jesus curou o cego, Ele falou: ‘você está curado!’ e o cego jogou seu manto e saiu caminhando. Isso significa que ele jogou fora o preconceito que ele tinha consigo mesmo e que os outros tinham e se colocou a trabalho. Jogar fora tantas coisas que nos amarram mais do que a cegueira”, disse dom Geremias que, na oração, pediu a Deus a força necessária para o trabalho bonito desenvolvido ali.

Encerrando o dia, o arcebispo celebrou a Santa Missa em honra a Nossa Senhora de Fátima na capela dedicada a ela, da Paróquia Nossa Senhora da Paz. Foi a primeira vez que dom Geremias esteve na comunidade. A missa foi concelebrada pelo pároco padre José Luiz Primão. Refletindo sobre o evangelho do dia, dom Geremias destacou que, reunidos em comunidade, fazemos parte da família de Jesus, da qual Maria é a mãe, deixada por Jesus na cruz. Assim como o evangelista destacou na passagem: minha mãe e minha família são aqueles que fazem a vontade de meu Pai.

Terceiro dia
A primeira etapa da visita concluiu no sábado, 14 de maio. Logo cedo, o arcebispo se reuniu com professores e profissionais liberais no auditório da Paróquia Nossa Senhora da Paz para uma conversa sobre educação. Dom Geremias abordou a temática da Campanha da Fraternidade deste ano a partir do texto bíblico da Mulher Pecadora. Ouviu também a partilha e os questionamentos dos professores, tanto sobre a educação regular quanto sobre o atendimento a estudantes deficientes.

Ainda no último dia de visita, o arcebispo celebrou a Santa Missa com os padres do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), fez palestra sobre liturgia para lideranças e celebrou a Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora da Paz com a comunidade, encerrando a primeira etapa da visita.

Na semana que vem, dias 19, 20 e 21, o arcebispo estará no território da Paróquia São Rafael.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Prefeitura de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
APAE de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Fórum de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Asilo Pe. Leone de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Rainha da Paz Frigorífico de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Capela Nossa Senhora de Guadalupe (foto Tiago Queiroz)
Rádio Alternativa de Ibiporã (foto Michael Moreto)
Escola Santa Marta de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
CADEV de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
CAESMI de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
UPA 24h de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Capela Nossa Senhora de Fátima (foto Tiago Queiroz)
Momento com professores e profissionais liberais (foto Tiago Queiroz)
Missa com os padres do PIME (foto Tiago Queiroz)
Momento da Liturgia (foto Tiago Queiroz)
Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora da Paz (foto Juliana Mastelini Moyses)

O último dia de encontro dos padres coordenadores diocesanos da Ação Evangelizadora do Paraná, neste 11 de maio, começou com a missa presidida pelo bispo de Guarapuava (PR) e secretário do Regional Sul 2 da CNBB, dom Amilton Manoel da Silva, ladeado pelo padre Érico Gabriel Gurkowski, da Diocese de Guarapuava, e pelo padre Paulo Alves Martins, da Diocese de Paranavaí (PR). A Arquidiocese de Londrina foi representada pelo padre Alexandre Alves Filho e o arcebispo dom Geremias Steinmetz participou com uma palestra sobre a Assembleia Eclesial Latino-Americana.

Ao longo da última manhã de trabalhos, os padres trataram sobre Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), a Pastoral da Escuta, a Cartilha de Orientação Política 2022, a capelania hospitalar e a Pastoral Catequética com foco na Iniciação à Vida Cristã.

De forma geral, a avaliação final dos padres sobre o encontro foi muito positiva. Eles destacaram a volta do encontro presencial como um dos fatores mais importantes para ajudar a refletir sobre a evangelização.

Para o padre Anderson Ulatoski, da Diocese de Paranaguá (PR), que participa pela primeira vez do encontro, o mais importante foi a experiência da fraternidade. “Houve muita participação, com um clima leve e de respeito mútuo. Também, evidentemente, trabalhamos muito discorrendo em todos os temas da pauta. Sendo a primeira vez que participo, me senti muito bem e acolhido e, principalmente, senti que somos um grupo que tem coesão no trabalho pastoral, temos sonhos e projetos em comum”, disse padre Anderson.

Para o padre Alexandre dos Anjos Filho, da Arquidiocese de Londrina (PR), que está na coordenação diocesana da ação evangelizadora desde 2019, o encontro teve o anseio de reconstruir. “Nós viemos de um período em que as nossas lideranças ainda não voltaram totalmente para a pastoral e estão surgindo lideranças novas. Mas nós não vamos começar do zero, temos que dar continuidade nos trabalhos que foram interrompidos por conta da pandemia, porém, agregando as pessoas que estão chegando para que elas tenham essa cidadania eclesial e estejam conosco para dar continuidade aos projetos”, disse padre Alexandre. Quanto aos temas abordados no encontro, o sacerdote afirmou que também foram temas de reconstrução daquilo que já existia e daquilo que precisa ser fortalecido.

O secretário executivo da CNBB Sul 2, padre Valdecir Badzinski, que coordenou o encontro junto com dom Amilton, disse que foi ocasião para fortalecer a convivência, o conhecimento e os direcionamentos para a ação evangelizadora em cada uma das dioceses. “Esse encontro tem uma importância muito grande para estudos, avaliações, atualizações de temas relevantes nas ações da Igreja em cada uma das dioceses do Paraná. Especialmente nesse tempo, que podemos chamar de pós pandemia, muita coisa precisa se adaptar e se renovar para atender as demandas e as necessidades das comunidades. Dessa forma, tratamos de temas atuais, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da CNBB 2019-2023, em vista do fortalecimento da ação evangelizadora em nossas dioceses”, disse padre Valdecir.

Encontro dos Padres Coordenadores da Ação Evangelizadora

Os padres coordenadores diocesanos da Ação Evangelizadora no Paraná estiveram reunidos do dia 9 ao dia 11 de maio, no Seminário Santo Agostinho, em Maringá (PR), para um encontro de estudos e encaminhamentos. O encontro contou com a participação de 23 padres e foi coordenado pelo bispo de Guarapuava (PR) e secretário da CNBB Sul 2, dom Amilton Manoel da Silva, e pelo secretário executivo da CNBB Sul 2, padre Valdecir Badzinski.

Após dois anos de restrições devido à pandemia, nos quais foram possíveis somente encontros remotos, o grupo se reuniu presencialmente, colocando como primeiro trabalho da pauta uma partilha pessoal e pastoral. Dom Amilton afirmou que, depois desse tempo sem a proximidade do encontro, foi muito importante dedicar essa tarde para ouvir como cada padre está se sentindo pessoalmente e com relação à evangelização.

“Percebemos que há um esforço grande dos padres nesse retorno da pandemia, assim como há uma resposta bonita do nosso povo. O povo não está voltando apenas à forma presencial, o povo está voltando com muita expectativa, com muito desejo do novo nesse período que podemos chamar de pós pandemia, e há uma esperança estampada em cada ação e em cada gesto que eles têm feito. Isso está motivando os padres”, disse dom Amilton.

Karina de Carvalho
Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2

Na próxima segunda-feira, 16 de maio, a Pastoral da Música Arquidiocesana promove formação sobre os cânticos para a celebração da Crisma, assessorada pelo maestro Adenor Leonardo Terra, da Diocese de Apucarana. A formação surgiu da dificuldade das equipes de música escolherem os cantos para a celebração. “Como as Crismas são realizadas apenas uma vez por ano, as equipes acabam não sabendo quais músicas e como executar. Por não ser uma celebração muito comum escolhem-se cantos aleatórios”, explica o padre Rodolfo Trisltz, assessor da Pastoral da Música.

A formação apresentará roteiro com opções de músicas para as celebrações, dentre elas entrada, ofertório, comunhão e o momento da Crisma. Os materiais ficarão disponíveis para consulta no site: arquidioceselondrina.com.br. “O Crisma é um sacramento que insere o fiel na vida comunitária e a música deve refletir essa ideia. Não é o momento de falar do eu, de sentimentalismo. Mas um momento de oração e meditação sobre o Espírito Santo, de expressar a característica comunitária da Igreja”, finaliza.

Não é necessário realizar inscrição, basta acessar o Youtube (https://www.youtube.com/c/ArquidiocesedeLondrinaOficial) ou Facebook (https://www.facebook.com/arquidiocesedelondrina) para participar da formação.

Assessor

Doutorando em Teologia pela UNIVERSITÉ LAVAL (Québec – Canadá). Possui Mestrado em Música pela UDESC – UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (2014) e Especialização em Leitura e Produção Textual pela FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE JANDAIA DO SUL (2005). É Bacharel em Música pela UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ (2011) e Licenciado em Letras pela FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE JANDAIA DO SUL (2004). É regente, compositor, membro da ASLI – ASSOCIAÇÃO DOS LITURGISTAS DO BRASIL e da comissão de Liturgia e Música do Regional Sul 2 da CNBB – CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL.

Serviço

Formação sobre as músicas na celebração da Crisma

Segunda-feira, 16/5, às 20h

On-line pelo Facebook e Youtube:

https://www.youtube.com/c/ArquidiocesedeLondrinaOficial

https://www.facebook.com/arquidiocesedelondrina

Pascom Arquidiocesana

Foto: Cathopic

No sábado, 7 de maio, o Santuário do Silêncio, Decanato Leste, celebrou o dia das mães que possuem filhos com alguma deficiência, chamadas de mães atípicas. Nesse café diversas mães puderam partilhar além de deliciosas guloseimas, um pouco de suas experiências e de suas vidas.

Mulheres que criam crianças com deficiência lidam com sobrecarga, isolamento e falta de apoio disfarçados sob rótulo de guerreiras. Mães atípicas precisam de tempo para se dedicarem a si mesmas e assim, conseguirem equilíbrio para dar o suporte necessário aos filhos. Ser gentil e oferecer escuta faz diferença para alguém que lida com excesso de demandas e cobranças.

Agradecemos a participação do Projeto Autimizar que participou da organização deste belo gesto de cuidado para com as mães.

Diácono Glauber Gualberto

Neste quarto domingo da Páscoa celebramos em nossa liturgia o domingo do Bom Pastor. Em cada ano, Jesus o enviado do Pai, nos convida a estarmos atentos à sua voz para segui-lo às verdes pastagens que Ele preparou para cada um de nós. Por isso, no evangelho de João diz: “As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem” (Jo 10, 27). Este é o verdadeiro chamado que todos somos convocados: seguir a voz do Senhor e conhecê-lo cada dia mais, para assim viver a vida plena que Ele mesmo nos dá. Todos os anos o Papa Francisco sempre traz uma mensagem, nos animando a essa escuta da palavra do Senhor. Por isso, neste ano, o tema para o 59º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, é “Chamados para construir a família humana”, tema este ligado profundamente ao processo de sinodalidade que estamos vivendo.

O Papa nos chama a atenção para os quatros “tipos de chamados” que precisamos colocar em prática em nossa vida: Chamados à sinodalidade, ao cuidado, a olhar as potencialidades dos outros e principalmente a deixar-se olhar pelo amor misericordioso do Senhor. Sim, somos primeiramente chamados a viver o imenso amor misericordioso do Senhor, e assim, vivendo à sinodalidade, sempre descobrir e valorizar as mais variadas formas de realizar nossa vocação na Igreja e no mundo. Tudo isso se dá porque, a partir do batismo, todos somos membros do corpo de Cristo e, portanto, discípulos missionários do Senhor. Ser batizado nos torna os sujeitos ativos da evangelização, logo, sacerdotes e leigos formam um único povo de Deus, cada um exercendo seu ministério próprio, mas sempre unidos, para que o Reino de Deus se manifeste cada vez mais no mundo.

A partir da unidade, da sinodalidade, somos convidados a sermos guardiões uns dos outros, isto porque todos somos criaturas queridas e amadas por Deus, chamados a desenvolver a centelha divina existente em cada um de nós, contribuindo sempre para o desenvolvimento humano e o cuidando de nossa casa comum. Por isso, olhar para as potencialidades existentes em cada pessoa é um chamado importante a despertar em nós. Como bem nos recorda o Papa, fazemos isso inspirados no próprio Senhor que na “jovem de Nazaré viu a mãe de Deus; no pescador Simão, filho de Jonas, viu Pedro, a rocha sobre a qual podia construir sua Igreja; no publicano Levi, entreviu o apóstolo e evangelista; em Saulo, cruel perseguidor dos cristãos, viu Paulo, o apóstolo dos gentios”.

Como vocacionados do Pai e desejosos de ouvir e cumprir sua Palavra em nossa vida, precisamos nos questionar: Deus tem um olhar que sempre alcança a todos, vendo as potencialidades que todos têm, e nós, o que observamos nos irmãos e irmãs que estão ao nosso lado? O que vejo em mim? Será que me deixo alcançar pelo olhar de Deus que sempre nos chama? Estas e outras inquietações são suscitadas em nosso coração para que possamos deixa-lo ser cada vez mais moldado segundo o coração de Jesus, manso e humilde. Portanto, somos todos chamados a deixar-se olhar pelo Senhor e permitir fazer parte do mosaico que Ele mesmo monta com cada um de nós.

Cada um de nós, sendo parte deste mosaico de Deus, temos nosso brilho próprio, somos fundamentais para a construção de algo. Sabemos que cada peça do mosaico é de uma forma diferente, mas quando colocados juntos, podemos vislumbrar a imagem que surge dele. Assim sendo, a imagem que deve surgir da nossa união é justamente a imagem do Cristo, o nosso Bom Pastor. Deixar-se conduzir por Jesus é permitir que o Espírito Santo nos faça um com Ele, é permitir que a brisa suave do Senhor nos una sempre mais. Como bem nos recordou o Papa Francisco: a vocação se realiza, quando cada um de nós, olhados pelo amor misericordioso de Deus, realizamos com nossas vidas um diálogo vivido com profundidade, tornando nossa Igreja cada vez mais ministerial, mais humana e mais parecida com aquilo que o próprio Jesus, por meio do Espírito Santo desejou; temos vários dons, mas um só Espírito. Neste dia mundial de oração pelas vocações, rezemos cada vez mais para que sejamos um e permitamos que o Senhor, Bom Pastor, transforme sempre nossas vidas.

Padre Renato Aparecido Pelisson