Na terça feira, 21 de maio, mais de 600 adolescentes e jovens de vários grupos da Arquidiocese de Londrina participaram do TERÇO JOVEM na Paróquia São Vicente de Paulo. A igreja ficou completamente lotada de adolescentes e jovens, uma imagem linda de ver. Um grande momento de integração, animação, devoção e adoração. Durante a oração do Santo Terço os jovens rezaram pelas suas famílias, pelos seus amigos, pelas suas comunidades e por aqueles que mais sofrem. Durante a noite o padre Dirceu Reis, assessor do Setor Juvenil, atendeu confissões. O terço foi concluído com um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento, em que cada jovem renovou o compromisso de conservar no coração a Palavra de Jesus e seguir, com perseverança, Sua vontade. Um grande abastecimento espiritual que preenche de entusiasmo e alegria cada coração. O Terço Jovem mais uma vez foi instrumento de devoção na vida espiritual dos jovens que reconhecem em Maria, um modelo vocacional.

Setor Juvenil

Foto: Desiele Mendes

A partir do tema “Sagrado Coração de Jesus: fonte inesgotável de Esperança”, as comunidades são convidadas a rezar pelas famílias, pela arquidiocese e pelos nossos pastores

No dia 7 de junho, a Igreja celebra o Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da cidade e da Arquidiocese de Londrina. Será um dia festivo para a nossa Igreja particular, em especial para a Catedral, que também é dedicada ao Coração de Jesus.
Em preparação para a festa, os dias 4, 5 e 6 de junho serão dedicados ao tríduo do padroeiro, sempre com Missa às 12h e às 18h30 na Catedral. O roteiro para cada dia do tríduo foi preparado pelo Apostolado do Oração e pela equipe da Catedral e está sendo disponibilizado para que as paróquias, comunidades, pastorais e movimentos também o celebrem.

1º dia: 4/6
“Coração Amoroso presente nas Famílias”. Acesse o roteiro completo no <link>.

2º dia: 5/6
“Coração bondoso, conduzi nossa Igreja particular sempre na Esperança”. Acesse o roteiro completo no <link>.

3º dia: 6/6
“Dar-vos ei pastores segundo o meu Coração”. Acesse o roteiro completo no <link>.

Festa do padroeiro
No dia 7 de junho, a programação da festa começa às 7h30 da manhã, com a Santa Missa com os ministros extraordinários da Sagrada Comunhão de toda a arquidiocese. Às 9h tem adoração à Sagrada Eucaristia com os padres e o Serviço de Animação Vocacional (SAV). Às 10h30, Missa com o clero presidida pelo arcebispo dom Geremias Steinmetz.


Às 15h, Missa com o Apostolado da Oração presidida por dom Marcos José dos Santos, bispo da Diocese de Cornélio Procópio, e às 18h Missa com a catequese da arquidiocese, presidida pelo arcebispo dom Geremias Steinmetz. Além da programação religiosa, das 7h30 às 21h terá festa com atrações musicais e comidas típicas.


As celebrações continuam no sábado, começando com a Santa Missa das 15h com o Setor Juvenil da arquidiocese, presidida pelo assessor, padre Dirceu Júnior dos Reis, pároco da Paróquia São José Operário. Às 18h Santa Missa com a equipe paroquial da Catedral. Das 13h30 às 20h, festa com atrações musicais e comidas típicas.

Pascom Arquidiocesana

Foto: Terumi Sakai

O Sumo Pontífice também aprovou os votos favoráveis ​​da Sessão Ordinária dos padres cardeais e bispos para a canonização dos Beatos Emanuele Ruiz e 7 Companheiros, da Ordem dos Frades Menores, e de Francisco, Abdel Mooti e Raffaele Massabki, fiéis leigos, assassinados por ódio à Fé em Damasco (Síria) entre 9 e 10 de julho de 1860, e decidiu convocar um Consistório, que tratará também da canonização dos Beatos José Allamano, Marie-Léonie Paradis, Elena Guerra e Carlo Acutis.

O Papa Francisco recebeu em audiência na quinta-feira, 23 de maio, o prefeito do Dicastério das Causas dos Santos, cardeal Marcello Semeraro. O Pontífice autorizou a publicação de alguns decretos, entre quais consta o reconhecimento do milagre atribuído à intercessão do Beato Carlo Acutis.

Fiel leigo, Carlo nasceu em 3 de maio de 1991 em Londres (Inglaterra) e morreu em 12 de outubro de 2006 em Monza (Itália).

A sua festa, portanto, é celebrada no mesmo dia de Nossa Senhora Aparecida. Aliás, são muitos os fatos na vida de Carlo que o ligam ao Brasil, a começar pelo milagre com o qual foi beatificado, verificado em Campo Grande (MS).

O milagre aconteceu em Mato Grosso do Sul, quando um menino de 7 anos com problemas graves no pâncreas foi curado após o avô tocar as roupas do menino italiano, expostas em uma paróquia em Campo Grande, e pedir pela cura do neto.

Desde cedo, Carlo demonstrou uma grande habilidade para a informática, dom que utilizou no serviço aos outros e na divulgação de conteúdos de formação cristã, como a exposição sobre os milagres eucarísticos.

Em setembro de 2006, surgiram os primeiros sinais de doença e, após o diagnóstico, uma leucemia fulminante. Com total confiança, entregou a Deus o pouco tempo de vida que lhe restava. Faleceu no dia 12 de outubro de 2006 e foi beatificado no dia 10 de outubro de 2020.

Ao recordar este evento, um dia depois, no Angelus dominical, o Papa Francisco afirmou:

Carlo Acutis “não se acomodou numa imobilidade confortável, mas colheu as necessidades do seu tempo, porque viu o rosto de Cristo nos mais frágeis. O seu testemunho mostra aos jovens de hoje que a verdadeira felicidade se encontra pondo Deus em primeiro lugar e servindo-O nos irmãos, especialmente nos últimos. Um aplauso ao novo jovem beato da geração atual!”.

O beato foi um dos patronos da JMJ de Lisboa e os seus restos mortais repousam na cidade italiana de Assis.

Reconhecimento de outros milagres, martírio e virtudes heroicas

O Santo Padre também autorizou o Dicastério das Causas dos Santos a promulgar os decretos relativos:

– ao milagre atribuído à intercessão do Beato José Allamano, sacerdote fundador do Instituto das Missões da Consolata; nascido em Castelnuovo Don Bosco (Itália) em 21 de janeiro de 1851 e falecido em Turim (Itália) em 16 de fevereiro de 1926;

– ao milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus Giovanni Merlini, sacerdote e moderador geral da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue; nascido em Spoleto (Itália) em 28 de agosto de 1795 e falecido em Roma (Itália) em 12 de janeiro de 1873;

– ao martírio do Servo de Deus Estanislau Kostka Streich, sacerdote diocesano; nascido em 27 de agosto de 1902 em Bydgoszcz (Polônia) e assassinado por ódio à fé em 27 de fevereiro de 1938 em Luboń (Polônia);

– ao martírio da Serva de Deus Maria Maddalena Bódi, fiel leiga; nascida em 8 de agosto de 1921 em Szgliget (Hungria) e assassinada por ódio à fé em 23 de março de 1945 em Litér (Hungria);

– as virtudes heróicas do Servo de Deus Guglielmo Gattiani (nome de batismo Oscar), sacerdote professo da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos; nascido em 11 de novembro de 1914 em Badi, em povoado do município de Castel di Casio (Bolonha) e falecido em Faenza (Itália) em 15 de dezembro de 1999;

– as virtudes heróicas do Servo de Deus Ismaele Molinero Novillo, conhecido como Ismael de Tomelloso, fiel leigo; nascido em 1 de maio de 1917 em Tomelloso (Espanha) e falecido em Saragoça (Espanha) em 5 de maio de 1938;

– as virtudes heróicas do Servo de Deus Enrico Medi, Fiel Leigo; nascido em 26 de abril de 1911 em Porto Recanati (Itália) e falecido em Roma (Itália) em 26 de maio de 1974.

Além disso, o Sumo Pontífice aprovou os votos favoráveis ​​da Sessão Ordinária dos padres cardeais e bispos para a canonização dos Beatos Emanuele Ruiz e 7 Companheiros, da Ordem dos Frades Menores, e de Francisco, Abdel Mooti e Raffaele Massabki, fiéis leigos, assassinados por ódio à Fé em Damasco (Síria) entre 9 e 10 de julho de 1860, e decidiu convocar um Consistório, que tratará também da canonização dos Beatos Giuseppe Allamano, Marie-Léonie Paradis, Elena Guerra e Carlo Acutis.

CNBB

Com informações: VaticanNews

O Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, receberá uma peregrinação de cerca de 25 freiras apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, vindas de diversas cidades do Paraná, do Mato Grosso e até do Paraguai. As irmãs estarão reunidas durante o fim de semana em Nova Esperança, para um retiro de formação permanente, e no domingo virão ao Santuário de Londrina para rezarem o terço e participarem da missa às 11h.

“Todo ano fazemos uma formação para todas as irmãs. Nesse ano, faremos por regiões. Dentro da programação, vamos trabalhar o tema humildade e caridade. Além disso, estamos com a proposta de fazer peregrinações aos santuários marianos, pedindo pelo aumento das vocações. Então, vamos nos dirigir até Londrina rezar o terço e participar da Eucaristia”, explica a irmã Marinês Tusset, superiora provincial da congregação, que tem casas em Florestópolis, Nova Esperança e Floresta, todas no Paraná. “A peregrinação vai contemplar essas casas mais as irmãs que moram no Mato Grosso do Sul e no Paraguai”, diz.

As freiras devem sair de Nova Esperança por volta de 7h45, chegando ao Santuário próximo das 10h para a oração do terço no Espaço Mariano. Em seguida, às 11h, participam da missa, na programação do Santuário. Para o padre Rodolfo Trisltz, pároco e reitor do Santuário, essa é uma das funções do espaço. “Nós recebemos gente de todos os lugares do Paraná e do Brasil. Afinal, ser Santuário significa estar com as portas abertas para peregrinos e fieis que vêm rezar e desenvolver suas atividades espirituais conosco”, afirma o padre.

O sacerdote explica que nem sempre as pessoas que peregrinam ao Santuário avisam a comunidade, mas, quem estiver em caravana ou com a família, pode comunicar a equipe de liturgia ou simplesmente ir até o templo, que fica na Vila Nova. “Quando são grupos maiores, as pessoas costumam nos avisar. Mas, na maioria das vezes, elas simplesmente chegam para rezar. Isso porque o Santuário da Vila Nova já é uma referência não apenas em Londrina e em toda a região, mas, também em outros estados e até países.”

Santuário
O Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, nasceu como capelinha em maio de 1940. Em 1º de março de 1952 se transformou em paróquia e em 1997 foi elevado a Santuário, convertendo-se num centro de evangelização, peregrinação e referência no turismo religioso, recebendo devotos e fieis do Paraná e de outros estados, afinal, as promessas podem ser cumpridas no Santuário de Londrina. A Festa da Padroeira, hoje, recebe mais de 40 mil pessoas somente no dia da padroeira do Brasil.

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Foto: Fábio Luporini/Arquivo

Nos dias 20 e 21 de maio, mais de 190 padres de todo Paraná participaram da 16ª edição do Torneio Regional dos Presbíteros, na cidade de Toledo (PR). De Londrina participaram quatro padres e um diácono: padre Augustin Mukamba Basubi, padre Claudinei Ricardo Rosa, padre José Moreira, padre Maximo Augusto Mantija, CSJ, e diácono Leandro Freitas. Também contou com a presença do bispo de União da Vitória e referencial para os presbíteros no Paraná, dom Walter Jorge Pinto; do bispo de Toledo, dom João Carlos Seneme; do administrador apostólico de Cascavel, dom Paulo de Conto; do bispo auxiliar de Cascavel, dom Aparecido Donizeti de Souza; e do bispo auxiliar de Curitiba, dom Adenis Roberto de Oliveira. 

Diácono Leandro

O evento, que é inédito na Igreja do Brasil, é promovido e organizado pela Comissão Regional de Presbíteros (CRP), junto aos coordenadores diocesanos da Pastoral Presbiteral e padres da diocese anfitriã. O objetivo é promover a fraternidade presbiteral por meio de um encontro no qual os padres rezam juntos e partilham a vida, enquanto vivem um momento de lazer e de confraternização. Além disso, promover o cuidado com a saúde física, mental e espiritual dos padres, sempre em vista de sua missão sacerdotal.

Os bispos da União da Vitória, dom Walter, e de Toledo, dom João, na acolhida dos padres, destacaram a importância de pertencer ao clero do regional e a beleza da convivência e da fraternidade. As modalidades de esporte disputadas no torneio foram: truco, canastra, tênis de mesa e futebol. O time de futebol da Arquidiocese de Londrina, formado juntamente com os padres de Campo Mourão e Cascavel, ganharam o troféu de time mais disciplinado em campo.

Pascom Arquidiocesana

Fotos: Divulgação

Entre 14 e 16 de maio, tivemos a oportunidade de participar em Brasília, padre Vandemir Alberto Araujo e eu, padre Marcelo Cruz, do Seminário para Ecônomos. Nesse encontro, tivemos a oportunidade de atualizar e aprofundar nossos conhecimentos sobre gestão de pessoas e como administrar bem a economia das nossas igrejas.

Gostaria de destacar três palestras que me proporcionaram grande aprendizado, que foram particularmente enriquecedoras”.

 A primeira, do advogado dr. Hugo José Sarubbi Cysneiros, enfatizou a importância crucial da segurança jurídica na gestão das paróquias com foco nas questões trabalhistas e a importância do cuidado legal em nossas contratações e da gestão de colaboradores para prevenir litígios. Ele alertou para a necessidade de garantirmos a segurança jurídica para evitarmos consequências negativas, como processos trabalhistas onerosos e, consequentemente, grandes prejuízos financeiros para as paróquias.

A segunda palestra, que complementava a primeira, foi proferida pelo padre Vanderlei Bock, ecônomo da Arquidiocese de Porto Alegre. A palestra foi particularmente marcante por dois motivos principais: primeiro, pela comoção popular em todo o Brasil em decorrência das enchentes que assolaram sua região, fez questão de estar presente conosco, segundo, pelas valiosas reflexões que ele compartilhou, das quais destaco três pontos: primeiro, contar com uma equipe de gestão qualificada incluindo engenheiros para obras e reformas, além de um setor administrativo eficiente e uma assessoria para mitigar riscos de futuros processos.

O segundo ponto se refere às contratações no que se refere à prestação de serviço nas obras de nossas Igrejas, principalmente as exigências que precisamos fazer como: notas fiscais para prestação de serviços, exigir que as pessoas que trabalham em altura tenham o treinamento adequado e principalmente os (EPI) equipamentos de proteção individual, não basta adquirir, é preciso certificar que estão usando.

Por fim, a palestra de dom Edson Oriolo orientou que devemos estar atentos aos riscos de desvio de função por parte de funcionários e a boa vontade de paroquianos que desejam colaborar e se colocam em situações de risco. Também abordou a questão do voluntariado, deixando claro que a boa vontade, por si só, não é suficiente. É preciso nos certificar de que isso não gere futuros prejuízos financeiros e morais para as paróquias, por isso, a prudência não é um mero detalhe, mas sim uma ferramenta essencial para prevenirmos futuros danos e prejuízos.

Por fim, dentre as muitas colocações quero destacar a de dom Edson Oriolo, bispo de Leopoldina (MG). Ele nos proporcionou uma visão pastoral, mas também enfatizou que o principal responsável pela economia da Igreja é o bispo, nomear um ecônomo não isenta o bispo da responsabilidade pela gestão financeira de sua diocese.

Outro ponto crucial da fala de dom Oriolo, também destacado por outros palestrantes, é que não basta afirmar que a administração de uma Igreja está correta, é preciso demonstrar e comprovar essa afirmação. O bispo e seu ecônomo precisam se comprometer com as finanças da Igreja particular, sem deixar de lado o cuidado pastoral.

Sei que tem muitos outros assuntos que poderíamos dar destaque, mas esses conseguem nos dar um norte para perceber quão complexa e exigente é a administração de nossa arquidiocese, porque não é só a administração das finanças da Igreja, mas envolve a questão jurídica, moral e pastoral, que merecem dedicação e empenho.

Padre Marcelo Cruz
Ecônomo da Arquidiocese de Londrina e pároco da Paróquia Santana

Foto: CNBB


Os participantes, fieis e membros das pastorais do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, estão se preparando para a celebração de Corpus Christi, tradicional feriado e comemoração da Igreja Católica que manifesta publicamente a adoração ao Corpo de Cristo. As atividades serão na quinta-feira, dia 30 de maio. A programação se estende durante todo o dia, com café comunitário e ornamentação pela manhã, além da renovação das promessas para os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) e missa campal na praça de tarde.

“Todos somos convidados a participar desta festividade que celebra o Corpo de Cristo, uma manifestação pública de adoração, na qual a gente realiza uma procissão com o Santíssimo Sacramento. Essa celebração já é tradicional nas ruas da Vila Nova e neste ano não será diferente”, ressalta o padre Rodolfo Trisltz, pároco e reitor do Santuário. De acordo com ele, as atividades terão início às 8h com um café comunitário para os que ajudarão a confeccionar os tapetes pelas ruas do bairro por onde passará a procissão. A ornamentação das ruas e preparação do espaço celebrativo será realizada durante a manhã e os fieis utilizarão pó de café e chá, casca de ovos, pó de serra.

De tarde, às 15h, haverá uma celebração específica para os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) renovarem suas promessas e votos. Às 16h será realizada a missa campal na praça em frente ao Santuário, seguida de procissão, se o tempo estiver bom. Se, porventura, chover, as atividades serão transferidas para o interior do Santuário. “Nessa missa, celebramos o mistério pascal, que é justamente o milagre da transformação do pão em Corpo de Cristo”, observa o sacerdote.

O trajeto da procissão parte da praça em frente ao Santuário, sobe a Rua Grajaú, vira na Rua Pirapó, desce a Capiberibe, e vira na Rua Taquari, retornando, assim, ao Santuário. De acordo com o padre Rodolfo, toda a comunidade está convidada a participar da confecção dos tapetes e, depois, da celebração e procissão. Além disso, o sacerdote pediu que as pessoas que vierem, tragam uma doação, um gesto concreto que será destinado às vitimas do Rio Grande do Sul.

Corpus Christi
A celebração do Corpo de Cristo se fundamenta na passagem bíblica em que o evangelista Mateus narra o momento em que Cristo partilhou o pão e o vinho com os apóstolos, na chamada Última Ceia. Já a festividade de confeccionar tapetes, que remetem à entrada de Jesus em Jerusalém, além da procissão, tiveram início na Idade Média, a partir de quando uma freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon (1193-1258) tive visões que pediam para a Igreja celebrar a Eucaristia. Ela contou as visões ao padre Thiago Pantaleão, que se tornou o papa Urbano VI, que mais tarde instituiu as procissões após um milagre eucarístico em Bolsena, na Itália.

Santuário
O Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, nasceu como capelinha em maio de 1940. Em 1º de março de 1952 se transformou em paróquia e em 1997 foi elevado a Santuário, convertendo-se num centro de evangelização, peregrinação e referência no turismo religioso, recebendo devotos e fieis do Paraná e de outros estados, afinal, as promessas podem ser cumpridas no Santuário de Londrina. A Festa da Padroeira, hoje, recebe mais de 40 mil pessoas somente no dia da padroeira do Brasil.

Santuário Nossa Senhora Aparecida

Fotos: Fábio Luporini/Arquivo Santuário

Missa festiva e peregrinação ao Santuário Tabor teve a participação de centenas de devotos

“Tabor da Esmagadora da Serpente – Esperança para o Mundo”, com esse importante lema o Movimento de Schoenstatt em Londrina (PR), abriu oficialmente as celebrações do Ano Jubilar em preparação aos 75 anos do Santuário Tabor da Esmagadora da Serpente, no último sábado (18). A festa de aniversário de inauguração do Santuário será celebrada em 18 de maio de 2025. O santuário teve sua missão proclamada pelo padre Josef Kentenich, pai fundador da obra de Schoenstatt, na solenidade de lançamento de sua pedra fundamental em 25 de abril de 1948. “O grande sinal no céu, a Esmagadora da Serpente quer estabelecer-se aqui, para daqui cuidar e lutar, a fim de que Cristo reine e triunfe nas almas, nas famílias e na alma do povo”, disse ele de forma profética.

Dois anos depois, no dia 18 de maio de 1950, a nova casa dedicada à veneração da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável foi oficialmente inaugurada e vem a cada ano confirmando a profecia do padre Kentenich, como um lugar bom de se estar, onde a Mãe de Deus se revela, distribui graças e junto a seu filho realiza milagres. Instalado na Rua Goiás, 830 – área central de Londrina, o Santuário da Mãe Rainha tornou-se o “coração da cidade”, como afirmava o saudoso arcebispo dom Albano Cavallin, quando esteve à frente da Arquidiocese de Londrina.

A comemoração dos 74 anos do Santuário e a abertura do Ano Jubilar teve como ponto alto a Santa Missa celebrada no sábado à tarde na Catedral Metropolitana de Londrina, Paróquia Sagrado Coração de Jesus, presidida pelo padre Rafael Flauzino, membro do Instituto Secular Padres de Schoenstatt, transmitida pela Rádio Alvorada, da Arquidiocese de Londrina. Após a Missa centenas de pessoas seguiram em peregrinação até o Santuário e todo o percurso foi abrilhantado pela participação da Banda Marcial do Colégio Estadual Marcelino Champagnat.

A celebração contou com a participação de membros de todos os ramos da obra de Schoenstatt de Londrina, além de peregrinos vindos de várias cidades da região, como: Bela Vista do Paraíso, Ibiporã, Cambé, Rolândia. Grupos do Terço dos Homens participaram trazendo várias imagens peregrinas e foram os responsáveis por levar o andor da Peregrina Auxiliar até o Santuário.

O dia 18 de maio tem mais uma importante celebração para a comunidade schoenstattiana, pois foi nessa data, no ano de 1975, que a imagem da Mãe foi coroada como “Rainha Esmagadora da Serpente para o triunfo do reino do Filho”. Portanto, a Comissão Jubilar confia que são muitos os motivos para que este ano seja um período de muitas graças para o movimento de Schoenstatt de Londrina e região, e também para toda a Igreja.

Para a Irmã Maria Jacinta Donati, assessora do movimento, que integra a Comissão Jubilar, a comemoração dos 74 anos do santuário, bem como os preparativos para o Jubileu despertam no coração das pessoas a importância de juntos poderem levar a Mãe de Deus em todos os espaços em que estiverem. “Precisamos ser missionários da esperança em um tempo de adversidades como estamos vivendo”, frisa ela.

“Toda a programação até maio de 2025 está sendo cuidadosamente elaborada envolvendo a Igreja Particular de Londrina e região. Serão várias peregrinações, comemorações e celebrações marcantes para que o Santuário Tabor e sua missão, que tem Maria como nossa Rainha que esmaga a serpente, sejam mais conhecidos”, informa Sandra Leite, que integra a comissão.

Durante esse período jubilar, a Imagem Peregrina de Londrina deverá percorrer por várias paróquias da arquidiocese. “No dia 18 de cada mês, em peregrinação ao Santuário, as paróquias farão a troca das comunidades trazendo suas intenções, pedidos e muitos capitais de graças”, adianta Sandra. 

A missionária Maria Terezinha dos Santos, que sempre participa das romarias ao Santuário da Esmagadora da Serpente, conta que a festa foi um importante momento de espiritualidade e fé. “Mais que uma festa, como participantes do movimento assumimos um compromisso. Não somos órfãos, temos uma mãe que está a nossa frente e a partir deste Santuário queremos cuidar de nossas famílias e trabalhar para que novas vocações floresçam para a Igreja.”

Célia Guerra
Comunicadores de Schoenstatt Londrina

Fotos: Marta Duarte

Mais de 400 adolescentes e jovens de vários decanatos da Arquidiocese de Londrina participaram na noite desse último sábado, 18 de maio, da 2ª Vigília Jovem Arquidiocesana, realizada na Paróquia Nossa Senhora Rainha do Universo, Decanato Centro. Uma noite de grande espiritualidade, alegria e emoção. Com a participação do missionário e cantor Luiz Lopes, a vigília neste ano foi voltada ao Espírito Santo que conduz a Igreja e os corações dos jovens na missão de testemunhar a grandeza do amor de Deus.

O padre Dirceu Reis, assessor do Setor Juvenil, presidiu a Santa Missa e, em sua homilia, incentivou os jovens para uma vida de oração a partir do Espírito Santo que ensina a falar e a ouvir com clareza o clamor de Deus e o clamor do coração dos irmãos. Pedir os dons do Espírito Santo é receber a graça da renovação.

Durante a programação, vários adolescentes e jovens tiveram a oportunidade da confissão. Alguns padres estiveram disponíveis durante a vigília para atender a confissão. Uma profunda e verdadeira experiência com a misericórdia de Deus, nosso Senhor.

O Setor Juvenil louva a Deus pela feliz realização da 2ª Vigília Jovem Arquidiocesana e agradece, de forma especial, a Paróquia Nossa Senhora Rainha do Universo que, por meio do pároco, padre Marcio França, e do grupo de adolescentes En Hacoré, acolheu a juventude da arquidiocese para essa noite de louvor, celebração e adoração.

Setor Juvenil

Fotos: João Vitor Soares e Priscila Dotto

Centenas de catequizandos, catequistas da Iniciação à Vida Cristã (IVC), pais, padrinhos e introdutores das oito paróquias do Decanato Cambé da Arquidiocese de Londrina participaram da Missa de Envio celebrada no Ginásio de Esportes João de Deus Almeida, no centro da cidade, no domingo de Pentecostes, 19 de maio, às 16h.

As atividades começaram às 14h com palestra proferida pelo catequista e formador arquidiocesano Wagner Santos. Às 16h, o decano e pároco da Paróquia São Vicente Pallotti, Augustin Mukamba, presidiu a Missa. Concelebraram os padres Luciano Macedo, SAC, pároco da Santo Antônio; Rodrigo Fávero, pároco da São Francisco Xavier e assessor da Catequese no decanato; Lucimar de Assis, SF, pároco da Cristo Rei; e Hernan Diaz Vivero, vigário da Cristo Rei. O diácono permanente Anderson Okada, da Paróquia São Francisco Xavier, serviu o altar.

Como já receberam a Primeira Comunhão, os catequizandos presentes já finalizaram o tempo de Iniciação à Vida Cristã. Agora inicia-se um novo tempo para os “eucaristizados”, tempo de assumir a vida missionária na Igreja Católica, primeiramente com a vocação de batizados e depois como cristãos assumir a missão dentro de alguma pastoral e movimento dentro das paróquias.

Padre Augustim enfatizou que não é a hora de “dar tchau” e sim de assumir o apostolado. Assim como em Pentecostes os discípulos assumiram a missão de levar o evangelho, os catequizandos têm a mesma missão. “A Igreja Católica é uma mãe que acolhe a todos”, destacou o padre, que agradeceu a toda equipe de catequese pelo belo trabalho que fazem no decanato na evangelização dos catequizandos e as pessoas que ajudaram na preparação da celebração.

Pascom Arquidiocesana

Colaborou: Sérgio Marquese e diácono Anderson Okada

Fotos: Edna Vieira