No último dia de visita pastoral do arcebispo a Jaguapitã, no sábado, 2 de abril, dom Geremias Steinmetz marcou presença junto a diversas instâncias da Igreja.

Pela manhã conheceu as capelas urbanas e conversou com os funcionários da paróquia. O arcebispo também assinou os livros de batizado e casamento e escreveu uma mensagem no livro tombo da paróquia.

À tarde se encontrou com os vicentinos e conheceu o trabalho feito pela Sociedade São Vicente de Paulo.

A visita encerrou com a Santa Missa do 5º Domingo da Quaresma na Paróquia São José, com a presença de toda comunidade. Dom Geremias agradeceu às pessoas e ao padre Jaime pelos dias que esteve na cidade. “Foi uma visita, de fato, muito positiva”, falou o arcebispo.

O padre agradeceu a presença do bispo e o ânimo que trouxe ao povo, com o desejo de que os frutos sejam colhidos pela comunidade.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Fotos: Tiago Queiroz

De hoje a sábado, o arcebispo dom Geremias Steinmetz realiza visita pastoral à Paróquia São José de Jaguapitã. Durante os três dias, de 31 de março a 2 de abril, o arcebispo acompanhará um pouco a rotina da paróquia e da cidade, com visitas a movimentos e pastorais, escolas, hospitais, instituições e órgãos civis, etc.

O evento retoma as visitas que dom Geremias iniciou em 2019, interrompidas em 2020 por causa da pandemia. Em 2019, o arcebispo esteve nas paróquias de Centenário do Sul, de Rolândia, de Cambé e na Catedral. “Agora em 2022 estamos recomeçando aqui em Jaguapitã onde deveríamos ter feito lá em 2020 ao redor da festa de São José, mas devido a pandemia não foi possível”, explicou.

Dom Geremias fala que a visita pastoral é um momento importante na vida da paróquia, no relacionamento da paróquia com o bispo e do bispo com a paróquia. “Não só com a paróquia mas com a cidade como um todo, porque a visita pastoral se preocupa em primeiro lugar com um olhar sobre o trabalho da paróquia, quer dizer, catequese, movimentos, ministérios, a questão da evangelização, da liturgia e dos trabalhos que afinal de contas acontecem numa a paróquia. Mas ao mesmo tempo a visita pastoral se dirige à sociedade como um todo.”

Quinta-feira
Neste dia 31 de março, a visita começou pelo Fórum de Jaguapitã. Dom Geremias conversou com a promotora Amanda Ribeiro dos Santos e a juíza Danielle Serigati Valasquim sobre a situação da justiça na cidade, as dificuldades enfrentadas e como a Igreja pode ser uma aliada nos serviços. Questões como a violência de menores e a violência doméstica, que tem como uma das causas o alcoolismo, estiveram no centro das discussões. Muitas dessas situações foram potencializadas pela pandemia.

Diante dessa temática, o padre Jaime Botero Gallo, pároco da São José, destacou o trabalho da Pastoral da Sobriedade, que está sendo iniciado na paróquia com o objetivo de fazer um trabalho integral com dependentes e suas famílias.

Segundo a juíza a sociedade precisa ter um olhar para a vítima, mas também para o agressor, para que exista ação de conscientização e prevenção, que não pense apenas na punição, mas que evite também o delito. E um trabalho com a comunidade para que as pessoas saibam como agir e denunciem casos de violência e abuso.

Em seguida, o arcebispo conheceu a Unidade Básica de Saúde Dona Hiuta, visitou todas as alas da unidade e o funcionamento do posto, onde trabalham cerca de 20 pessoas. Ali, dom Geremias conversou com usuários e agentes do município.

Escolas

Na Escola Estadual Dr. Waldemiro Pedroso, aos professores reunidos, a diretora Marta Betanes da Silva falou da alegria em receber uma visita diferente, desta vez uma visita pastoral, não pedagógica como está acostumada. “Os professores caminharam esses dois anos de pandemia e foram os grandes protagonistas para que a educação não caísse. Foi necessário muito esforço deles, muita dedicação”, fala Marta, destacando que a visita do bispo traz uma motivação para o trabalho: a volta para a luz que é Jesus. “Todo mundo que passou por esses momentos de angústia, com certeza, buscou a luz de Jesus nas suas igrejas e o bispo hoje traz a sua mensagem de que a espiritualidade é também o que mantém o ser humano saudável emocional e espiritualmente.”

A diretora explica que as aulas on-line possibilitaram que os professores adentrasse à casa e à realidade dos alunos. “O professor teve a oportunidade de ver várias realidades. O aluno falou durante a aula: ‘professor, pera aí que meu irmãozinho tá chorando eu tenho que dar leite pra ele. A minha mãe tá trabalhando, a creche tá fechada, eu tenho que cuidar dele’. ‘Professor, espera um pouquinho que minha vó tá me chamando que eu tenho que ir na padaria comprar pão porque não tem ninguém pra fazer isso’. Então durante esse período de muito estudo dos alunos da rede estadual, ao mesmo tempo o professor também pode ver os contextos, analisar os contextos, e conhecer um pouco mais dessa realidade que não foi fácil. Foi uma luta árdua e constante e graças a Deus nesses dois anos conseguimos colher frutos e hoje a escola está aí com os alunos todos presentes”, finaliza.

Na Escola Municipal Paulo Freire, dom Geremias refletiu com os professores sobre a Campanha da Fraternidade, que trata neste ano da educação. Na atitude de Jesus no evangelho da mulher pecadora, percebe-se uma metodologia de Jesus de educar e de corrigir quem erra. “A CF é um diálogo com a sociedade, uma fé que tem uma incidência na sociedade. E a visita pastoral também tem esse desejo de reapresentar a fé. Quando falamos fé queremos apresentar Jesus Cristo. Uma fé que nos anima pessoalmente, nos santifica pessoalmente e faz com que a gente construa um mundo melhor”, conclui.

Nesta tarde, dom Geremias também conheceu a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Jaguapitã, que atende 67 alunos com as mais diversas deficiências, o Hospital Municipal, e a sede da Pastoral da Criança, localizada ao lado da igreja São José. Para encerrar o dia de visita pastoral, o arcebispo teve um encontro com os Grupos Bíblicos de Reflexão (GBR), quando conversou com e respondeu as dúvidas dos fiéis.

Assista à transmissão do encontro do encontro de dom Geremias com os GBR:



Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Fotos: Tiago Queiroz

Acompanhe em textos, vídeos e áudios como foram as duas semanas da visita pastoral do arcebispo na cidade

 

Em visita pastoral a Rolândia do dia 2 ao dia 14 de setembro, o arcebispo dom Geremias Steinmetz procurou atingir duas dimensões eclesiais: “ad intra” e “ad extra”, ter um olhar atento para o interior e para o exterior da Igreja. O arcebispo dedicou um ou dois dias a cada uma das cinco paróquias da cidade: Paróquia São José, Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Paróquia da Ressurreição e Paróquia São Paulo Apóstolo, bem como suas capelas.

 

Logo no segundo dia de visita pastoral a Rolândia, no dia 4 de setembro, dom Geremias participou do programa Em Nome do Senhor, da Rádio Cultura, com o diácono Adilson. Confira:

 

 

Além de conhecer as comunidades, dom Geremias conversou com os padres, diáconos e fiéis, apresentando o planejamento pastoral da arquidiocese e escutando sobre a realidade e vida pastoral das comunidades de Rolândia. “Dom Geremias deixou uma mensagem muito bonita. Ele falou da pessoa de Cristo, que Cristo está no centro da vida do ser humano, devemos nos aproximar de Cristo, amar a Cristo, amar a cruz de Cristo e ver nEle a ressurreição, a vida eterna”, comentou o pároco da Paróquia da Ressurreição, padre Layrton dos Santos PMS.

 

Padre Djohn Denys comenta a reação dos fiéis ao receber o arcebispo e a programação na Paróquia Nossa Senhora Aparecida:

 

 

Irmã Elizabeth Mendes, gestora interna da Unidade Social Nossa Senhora Aparecida, explica o trabalho desenvolvido pela instituição localizada no território da Paróquia Nossa Senhora Aparecida.

 

 

Dom Geremias foi recepcionado na Unidade Social Nossa Senhora Aparecida com apresentação das crianças:

 

 

A cada noite, dom Geremias presidiu a Santa Missa em uma comunidade. “Ao celebrar a missa, ele está rodeado de leitores, ministros da Eucaristia, coroinhas, de movimentos e pastorais. Quer dizer, o pastor está ao centro e todos os movimentos e pastorais ao redor fortalecendo esse pastor”, fala o pároco.

 

A leiga Edneia Ribeiro Lopes comenta o trabalho realizado e a visita do arcebispo à Capela Sata Rita, do Jardim do Lago:

 

 

No dia 2 de setembro, dom Geremias celebrou a Santa Missa da primeira segunda-feira do mês no Cemitério Municipal de Rolândia, local onde estão enterrados três padres e seis religiosas que exerceram seu ministério na cidade. Monsenhor José Agius, administrador paroquial da São Paulo Apóstolo, explica a devoção da primeira segunda-feira do mês e os nomes dos padres enterrados no cemitério. 

 

 

Frei Rodrigo Vieira OSA, pároco da São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima comenta a programação do dia de visitas aos territórios paroquiais e sobre a Casa de Missão Filhos da Luz, confira:

 

 

Diácono Adilson de Freitas, fundador da Comunidade Filhos da Luz, explica o carisma da comunidade visitada por dom Geremias no dia 4 de setembro:

 

 

Ad extra

Na dimensão “ad extra”, dom Geremias visitou escolas, Unidades Básicas de Saúde, centro de convivência de idosos, creches, batalhão da Polícia Militar, prefeitura, associação comercial, APAE, Secretaria de Saúde, hospital e asilo, levando a presença do Evangelho a variados ambientes. “Os filhos chegavam falando: ‘o bispo foi na minha escola hoje’”, contou Bruna Moraes, da Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima.  “Uma das minhas filhas falou que não tinha dado tempo dele passar na sala dela. Mas ela falou que ia pegar a bênção dele aqui”, conta Bruna, que participou da missa de encerramento da visita pastoral que reuniu todas as comunidades no Campo do Terrão.

 

O senhor Natal Balan, do Terço dos Homens, também participou da missa com os netos, que serviram ao altar como coroinhas. “Esperamos a volta dele em breve.”

 

Norma das Neves Castilho, 60, do Movimento Adoradores da Eucaristia, andou 30 minutos a pé para participar da missa. No trajeto ela foi rezando 40 Pai Nossos, pedindo pela paz. “Eu vim sozinha, eu e Jesus”, conta.  “As visitas foram uma bênção. Rolândia estava precisando de paz. Em todo lugar que ele vai está sendo uma paz para a nossa cidade. E o pessoal só está comentando que está bom.”

 

No dia 3 de setembro, dom Geremias celebrou a Santa Missa no Centro de Convivência de Idosos (CCI), local que acolhe cerca de 270 idosos durante o dia para atividades recreativas e de interação. Escute a entrevista com o idoso José Norberto da Silva:

 

 

Juventude

No sábado, dia 14 de setembro, dom Geremias se encontrou com os jovens da cidade na Paróquia São José. São ao todo 15 grupos de jovens divididos entre as paróquias e capelas. O arcebispo respondeu às perguntas dos jovens e mostrou um pouco dos trabalhos realizados na arquidiocese.

 

Os jovens se animaram com a presença do arcebispo, conta Karla Moraes, 20, coordenadora do Setor Juvenil do Decanato Rolândia. “Na cabeça de muitos deles a figura do arcebispo é muito distante para chegar, conversar. Hoje o jovem pôde falar diretamente com o representante da Igreja e tirar suas dúvidas, eles gostaram muito. Ele foi muito aberto, muito receptivo e os jovens aos poucos se abriram para perguntar. Surgiram perguntas ‘polêmicas’ para a juventude.” Dentre os assuntos, dom Geremias falou sobre homossexualidade, tatuagem, suicídio e depressão. “É muito bom saber que nosso arcebispo está tão disposto a estar próximo, ele quer saber como está, conhecer as dificuldades, as coisas boas. Me senti acolhida por ele”, conclui Karla.

 

A coordenadora do Setor Juvenil do Decanato Rolândia apresenta os grupos presentes no encontro do dom Geremias com os jovens de Rolândia:

 

 

Capelas rurais

Dentre as capelas rurais visitadas está a Capela São Pedro, na Comunidade Ribeirão Vermelho. Ali toda comunidade se dividiu para preparar a recepção ao arcebispo.  “Os ministros tomam a frente da preparação da igreja, para organizar e deixar tudo certinho. As mulheres ficaram com a limpeza e a organização da igreja, do salão, das comidas. Ficamos muito felizes com a visita”, conta a catequista Alessandra Lisse Miotto, 34.

 

 

Próximo dali, a Capela São Rafael, também reuniu toda comunidade para a visita do arcebispo. “Dom Geremias como chefe da comunidade, da Arquidiocese de Londrina, mostrou ser o pastor de todas as igrejas”, fala Estefano Godofrego Rodolfo Gair, 83. Estefano compara à atitude de Jesus, que ia nas comunidades onde era preciso levar a Palavra. “É o exemplo que o dom Geremias também está fazendo.”

 

Escola

Nas escolas que visitou, dom Geremias respondeu às perguntas das crianças e adolescentes. Na Escola Municipal Maria Teixeira Georg e no Colégio Bom Jesus, o arcebispo falou sobre sua vocação e esclareceu as dúvidas sobre pecado.

 

No Colégio Bom Jesus, os estudantes cantaram uma música de boas vindas ao dom Geremias:

 

 

“Os alunos estavam ansiosos pela visita, fizeram perguntas muito saudáveis, coerentes. Realmente eles têm muitas perguntas e muitas dúvidas”, fala Janaina Andreza Benelli, diretora da Escola Maria Teixeira Georg.

 

No vídeo, dom Geremias responde a uma criança que pergunta sobre o pecado do orgulho:

 

 

Padre Joel Ribeiro Medeiros, pároco da São José, ficou admirado com a receptividade das crianças. “Ele está falando com as crianças e a criançadinha fica toda sentadinha escutando, como foi nos outros colégios. É impressionante o silêncio, a escuta, essa unidade.”

 

Ouça na entrevista com a diretora da Escola Municipal Garrastazu Médici, Silvana Cristina Borges Regatieri, sobre a visita de dom Geremias à escola no dia 3 de setembro. A instituição atende 530 crianças da Educação Infantil ao 5º ano fundamental.

 

 

No Colégio Estadual Professor Francisco Villanueva, no dia 4 de setembro, o arcebispo conversou com os professores sobre a situação da educação. Ouça na entrevista com dom Geremias:

 

 

Continuidade

Segundo o padre Joel, as comunidades vão dar continuidade à fala do arcebispo. “Vamos trabalhar de tal forma que todos possam refletir e que seja uma palavra que realmente seja vivenciada.”

 

O padre também destacou que as visitas e a aproximação com o bispo fortaleceram a comunidade. “A cada entidade, a cada instituição a gente vai ficando muito feliz com a receptividade. Em todos os lugares que a gente vai é muito interessante.”

 

ACIR

Na Associação Comercial e Empresarial de Rolândia (ACIR), dom Geremias dialogou com empresários sobre questões como desemprego, profissionalização e a relação entre Igreja e sociedade. “Foi um diálogo bem aberto ao que chamamos de Doutrina Social da Igreja”, destacou dom Geremias.

 

Para Claudio Luis Mota, da diretoria da ACIR, a conversa com o arcebispo demonstrou a preocupação que a Igreja tem em agir na sociedade. “A responsabilidade que ela trabalha em cima da educação dos jovens, da criança e principalmente a base familiar que nós temos que construir, a base familiar é muito importante”, conclui.

 

 

Fotos Tiago Queiroz

 

Com o objetivo de  conhecer a realidade das comunidades e do povo de Deus da Igreja Particular de Londrina, dom Geremias Steinmetz dá um novo passado no seu ministério nesta arquidiocese: as visitas pastorais. A Paróquia Nossa Senhora das Graças, de Centenário do Sul, deu a largada, em agosto. Neste mês, dom Geremias visitou as paróquias de Rolândia. Uma oportunidade de confirmar as pessoas na fé e reapresentar a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

 

O  arcebispo esteve em Centenário dos Sul nos dias 1, 2 e 3 de agosto. Nesse período, o arcebispo não circulou apenas naquilo que envolve a vida religiosa da paróquia, mas conheceu questões que afetam e envolvem a totalidade da vida do rebanho a ele confiado, levando a presença do Evangelho a todos os ambientes. “As visitas pastorais são exatamente no sentido de conhecer mais o povo, conhecer as realidades locais de cada paróquia e assim conhecer pouco a pouco a realidade da totalidade da Arquidiocese de Londrina”, explicou dom Geremias.

 

O arcebispo visitou escolas, creches, asilo, instituições civis, poderes executivo, legislativo e judiciário, conselho tutelar, hospital, capelas, doentes, casas de família e viveu o dia a dia da comunidade de Centenário do Sul. “Com [a visita pastoral a Centenário] nós esperamos abrir uma nova etapa da evangelização em Londrina neste ministério episcopal que começou há dois anos e certamente precisa ainda de uma maior profundidade.”

 

É também, como lembrou o padre Marcos José dos Santos, pároco da Nossa Senhora das Graças, uma oportunidade de convivência fraterna entre os fiéis e dom Geremias. “De estreitar os laços de amizade e comunhão com o arcebispo e ao mesmo tempo dele conhecer a vida, a caminhada da nossa paróquia e também da nossa cidade”, acredita o padre.

 

O arcebispo já havia visitado todas as comunidades da arquidiocese, celebrando missas, sacramentos e ministrando palestras e formações para os fiéis. Com as visitas pastorais é diferente. O arcebispo dedica um tempo exclusivo para conhecer e conversar com a comunidade. “A gente já teve algum contato, ele já veio aqui algumas vezes, mas esta semana foi um contato mais profundo, um contato até de conhecer mais a pessoa dele, como pessoa humana também”, fala o diácono Marcos Cotobia, da Paróquia Nossa Senhora das Graças. 

 

Assim como fez em Centenário do Sul, o arcebispo começa pouco a pouco a visitar as outras paróquias da arquidiocese. Neste mês de setembro, entre os dias 2 e 14, visita a cidade de Rolândia. De acordo com a extensão territorial, dom Geremias dedicou um ou mais dias a cada uma das cinco paróquias da cidade: Paróquia São José, Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, Paróquia da Ressurreição e Paróquia São Paulo Apóstolo. 

 

Em todos os locais visitados, a oportunidade de vivenciar as alegrias e também as dores do povo. “Estivemos em várias esferas ligadas à sociedade, ao povo. A função da Igreja é fazer esse diálogo de comunhão, levando uma palavra de esperança para nossa cidade”, explica o pároco da São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, frei Rodrigo Vieira OSA.

 

Mais uma vez valeu a pena, comenta dom Geremias, “o fato de se fazer presente nas comunidades e nos mais diferentes projetos e instituições, para que a gente possa continuar tendo uma noção do que de fato é a vida do nosso povo e ter uma visão mais realista do que acontece com o nosso povo”, comenta o arcebispo. 

 

A cada uma das noites em Rolândia, o arcebispo presidiu a Santa Missa em uma paróquia ou comunidade diferente e fez um encontro com as lideranças. Um momento significativo do bispo com o seu rebanho, acredita padre Layrton dos Santos PMS, pároco da Paróquia da Ressurreição. “Ao celebrar a missa, ele está rodeado de leitores, ministros da Eucaristia, coroinhas, de movimentos e pastorais. Quer dizer, o pastor está ao centro e todos os movimentos e pastorais ao redor fortalecendo esse pastor.”

 

Para o padre Djohn Dennys Souza dos Reis, pároco da Nossa Senhora Aparecida, o que se destaca nos dias de visita pastoral do arcebispo é a Igreja em saída, que vai até o povo. “A imagem das crianças chegando, abraçando o arcebispo, querendo fazer algumas perguntas, estar próximo. Demonstra como uma igreja em saída atrai aqueles que precisam ser atraídos para o Cristo”, comenta. “As pessoas estão felizes de ter o bispo visitando seu comércio, abençoando seu local de trabalho, ter o bispo na sua escola.”

A próxima visita pastoral de dom Geremias será à cidade de Cambé entre os dias 30 de setembro e 10 de outubro.

Juliana Mastelini Moyses
PASCOM Arquidiocesana
JC – Ediçao Setembro 2019

 

Assista o vídeo da primeira Visita Pastoral de Dom Geremias na Arquidiocese de Londrina:

 

 

FOTOS:

 

 

Fotos: Glalce Tatiane da Silva, Juliana Mastelini Moyses, Luiz Vianna, Ronaldo Pereira da Silva,   e Tiago Queiroz

 

 

 

 

 

Como foi ter o bispo na comunidade durante esses dias? Fizemos essa pergunta às pessoas com quem dom Geremias Steinmetz se encontrou na visita pastoral a Centenário do Sul, nos dias 1, 2 e 3 de agosto. A Paróquia Nossa Senhora das Graças, de Centenário do Sul, abriu o cronograma de visitas pastorais do arcebispo às paróquias da Arquidiocese de Londrina. 

 

 

Confira a matéria completa sobre as visitas pastorais de dom Geremias a Centenário do Sul (agosto) e a Rolândia (setembro) na edição de setembro do Jornal da Comunidade (JC), já disponível nas paróquias.

 

Em sua visita pastoral a Rolândia, o arcebispo dom Geremias Steinmetz dedicou esta quinta-feira, 5 de setembro, à Paróquia da Ressurreição, no bairro São Fernando. “Dom Geremias deixou uma mensagem muito bonita. Ele falou da pessoa de Cristo, que Cristo está no centro da vida do ser humano, devemos nos aproximar de Cristo, amar a Cristo, amar a cruz de Cristo e ver nEle a ressurreição, a vida eterna”, comentou o pároco, padre Layrton dos Santos PMS.

 

A visita ao território paroquial contemplou escolas, creches, UBS (Unidade Básica de Saúde) e dois doentes da comunidade. À noite, dom Geremias celebrou na matriz e conversou com lideranças. “Ao celebrar a missa, ele está rodeado de leitores, ministros da Eucaristia, coroinhas, de movimentos e pastorais. Quer dizer, o pastor está ao centro e todos os movimentos e pastorais ao redor fortalecendo esse pastor”, fala o pároco.

 

Durante todo o dia de visitas, a presença do padre junto ao arcebispo foi importante, conta dom Geremias. Enquanto passavam pelos locais, eles puderam conversar sobre a realidade da paróquia. “A visita pastoral com a presença do padre é muito boa que ajuda a perceber melhor algumas realidades. O padre foi me orientando na leitura das questões que eu fui percebendo”, fala o arcebispo.

 

UBS
Na visita à Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro São Fernando, dom Geremias conversou com funcionários e usuários do serviço, que agradeceram a presença. Ele e o padre conheceram os departamentos da unidade e o trabalho de cada setor, desde o controle dos remédios, vacinas, até a entrada das pessoas na UBS.

 

Migrantes
Nas escolas, o arcebispo conversou com alunos e professores para entender a realidade educacional do bairro, onde está localizada uma fábrica da empresa JBS, que atrai migrantes de outros Estados e países. Na Escola Municipal São Fernando, conversou com filhos de migrantes do Alagoas, do Haiti e de Bangladesh. “Percebi que estão muito bem integradas falando o português, se entendendo bem, brincando com as crianças brasileiras de modos que a gente pôde perceber a importância da escola que vai gerando verdadeiramente inclusão”, destacou dom Geremias.

 

A Escola São Fernando atende cerca de 600 alunos nas 22 turmas do pré ao 5º ano e classe especial. A coordenadora pedagógica Silvia Cristina Braz conta que os os pais que vêm de outros lugares para trabalhar na fábrica matriculam os filhos na escola, que é a mais próxima, para aprenderem a língua e serem alfabetizados.
Segundo a coordenadora, os alunos brasileiros os recebem muito bem, ajudam principalmente a compreender a língua. “Tanto no recreio quanto na sala de aula, eles ficam meio que disputando quem vai ajudar para que a criança aprenda. Acho bem legal. Tem uma boa receptividade”, conta.

 

Sobre a visita pastoral, Silvia destaca que a figura do arcebispo a princípio pode parecer distante das pessoas, mas a presença dele cria envolvimento e proximidade. “A gente sabe que ele tem vários outros compromissos. Mas vindo à escola ele fica mais próximo das pessoas. Eu até brinquei vou subir porque quero ver o bispo de perto”, conclui a coordenadora.

 

Juliana Mastelini Moyses
PASCOM Arquidiocesana

 

 

 

 

 

No seu terceiro dia em Rolândia, 4 de setembro, dom Geremias concentrou sua visita na população atendida pela Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da Vila Oliveira. O arcebispo visitou três escolas, uma creche mantida pelas irmãs franciscanas do Sagrado Coração e a unidade social Nossa Senhora Aparecida, o comércio da rua Saguaragi e a Comunidade Nossa Senhora de Guadalupe, que atende os conjuntos Perazolo, Francischini e Tomie Nagatani.

 

 “As pessoas estão felizes de ter o bispo visitando seu comércio, abençoando seu local de trabalho, ter o bispo na sua escola”, comenta o pároco, padre Djohn Dennys Souza dos Reis. Foi a primeira vez que o bairro Perazolo, onde está localizada a Capela Nossa Senhora de Guadalupe, recebeu a visita de um bispo. É um bairro novo onde moram mais de 2 mil famílias, a capela ainda está em construção e a previsão de inauguração é dezembro deste ano. “Foi uma surpresa porque a gente não pensou que ele fosse vir tão rápido fazer essa visita aqui pra gente. É uma alegria total. A gente tem rezado por ele, sempre coloca nas nossas orações’, conta Maria de Lourdes Soares Ramos, liderança da comunidade.

 

Padre Djohn fala que nesses dias o que se destaca é a Igreja em saída, que vai até o povo. “A imagem das crianças chegando, abraçando o arcebispo, querendo fazer algumas perguntas, estar próximo. Demonstra como uma igreja em saída atrai aqueles que precisam ser atraídos para o Cristo.”

 

Para finalizar o dia, o arcebispo celebrou a missa com os fiéis na matriz e conversou com as lideranças das comunidades. “Mais uma vez valeu a pena o fato de se fazer presente nas comunidades e nos mais diferentes projetos e instituições, pra que a gente possa continuar tendo uma noção do que de fato é a vida do nosso povo e ter uma visão mais realista do que acontece com o nosso povo”, comenta o arcebispo.

 

Dom Geremias destaca a conversa que teve com os professores do Colégio Estadual Prof. Francisco Villanueva sobre a situação da educação no país. “Ali conversando com os professores pude sentir coisas muito presentes acontecendo a nível nacional e que têm reflexos nas bases, com os professores, com os alunos. Essa é uma pastoral de base que a gente tem que continuar fazendo.”

 

Projeto Social

Dom Geremias visitou também a creche e o projeto social que as irmãs franciscanas do Sagrado Coração desenvolvem na comunidade da Vila Oliveira há quase 50 anos. O Centro de Educação Infantil atende seis turmas, em média 120 crianças de 4 meses a 5 anos, e o projeto social Union continua o trabalho atendendo em contraturno crianças de 6 a 12 anos, com mais 67 turmas. Os trabalhos são mantidos por convênios com os poderes públicos, promoções e doações.

 

 “Fiquei muito surpresa pelo arcebispo dedicar tanto tempo a Rolândia. Eu queria que ele viesse aqui ver as crianças, é a Igreja dele, é o nosso pastor”, conta a irmã Elizabeth Mendes, gestora interna da instituição. As crianças se prepararam e apresentaram ao arcebispo um pouco do trabalho musical desenvolvido ali. “Elas estavam ansiosas para tocar pra ele. Estão ali concentradas tocando”, conta a irmã.

 

“Sei que ele vai visitar mil lugares, mas alguma coisa daqui ele vai lembrar. E quando ele vir pra Rolândia e falarem, chamam de creche das irmãs, ele vai lembrar daqui. É uma gratidão muito grande dele ter dado um tempo tão precioso para nós. Rezamos bastante pra ele com as crianças”, conclui a irmã.

 

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

 

O segundo dia de visita pastoral do arcebispo dom Geremias Steinmetz a Rolândia, neste 3 de setembro, contou com uma programação ao redor da realidade da Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, no bairro Novo Horizonte, paróquia que atende cerca de 40 bairros da periferia de Rolândia. “Falamos e estivemos em contato com várias realidades, realidades diferentes, realidades que dizem respeito à ação pública e outras que dizem respeito à ação da Igreja e o modo como os padres estão presentes nesse meio”, explicou dom Geremias.

 

O pároco da São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, frei Rodrigo Vieira OSA, fala que o objetivo da programação foi levar o povo a ter contato com o arcebispo. “Também fazendo com que as pessoas conheçam um pouco do trabalho de evangelização da Igreja, conheçam a figura do bispo e, principalmente, compreendam que a mensagem do Cristo continua viva e atual”, destaca o frei. “Ter o pastor entre nós é motivo de alegria, nos fortalece na missão e fortalece no anúncio.”

 

O dia começou com a visita à Escola Municipal Parigot de Souza, seguida da Unidade de Pronto Atendimento (UBS) do mesmo bairro. À tarde, dom Geremias também visitou outra escola, a Escola Municipal Garrastazu Médici.

 

De manhã, o arcebispo celebrou a Santa Missa no Centro de Convivência de Idosos, local que acolhe cerca de 270 idosos durante o dia para atividades recreativas e de interação. Segundo o arcebispo, olhando pelo lado da missionariedade, os idosos são uma das periferias existenciais que a Igreja precisa estar atenta hoje.

 

Para o idoso José Norberto da Silva, a visita foi tão boa que poderia se repetir mais vezes. “Quando vem o bispo assim, Jesus está no meio de nós. E ele deixou Jesus para abençoar todos nós e a casa”, afirma.

 

Rádio

Pela manhã, o arcebispo também concedeu entrevista ao diácono Adilson de Freitas, no programa Em Nome do Senhor, da Rádio Cultura AM. Frei Rodrigo e o padre Djohn Dennys Souza dos Reis, pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, participaram do programa, que foi transmitido ao vivo pela live no Facebook da arquidiocese (www.facebook.com/arqlondrina/).

 

Filhos da Luz

À tarde, dom Geremias conheceu o espaço paroquial e a Casa de Missão da Comunidade Filhos da Luz, uma comunidade de vida e aliança fundada em Rolândia há 15 anos pelo diácono Adilson de Freitas e a esposa Andreia de Freitas. A atuação da comunidade, que participa da Paróquia São Pedro Apóstolo e Nossa Senhora de Fátima, está ligada a dois âmbitos: religioso e social, atendendo pessoas carentes de Rolândia e cidades da região. “Nosso carisma é atrair os filhos de Deus à verdadeira luz que é Jesus”, explica o diácono.

 

São mais de 700 pessoas alcançadas por dia com a distribuição de alimentos prontos para consumo. Os alimentos são distribuídos todas as terças e sextas-feiras às 16h. Além dos alimentos, a comunidade também oferece programação religiosa e cursos profissionalizantes. Tudo é realizado a partir de doações. “A gente vê milagres acontecendo aqui todo dia. Às vezes de não ter arroz, [por exemplo], e conseguir o arroz”, conta Andreia.

 

Com a visita, o arcebispo pôde perceber a gravidade da pobreza ao redor de Rolândia, explicou dom Geremias. “Para mim chamou muita a atenção.”

 

Santa Missa

A Santa Missa e o encontro com lideranças da comunidade encerrou o dia de programação da visita pastoral de dom Geremias a Rolândia. Na quarta-feira, 4 de setembro, o arcebispo visita a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na Vila Oliveira.

 

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Foto de Destaque: Luiz Vianna
Fotos: Karla Moraes, Juliana Mastelini Moyses e Pascom Paroquial

 

 

No primeiro dia de visita pastoral a Rolândia, dom Geremias Steinmetz celebrou a Santa Missa da primeira segunda-feira do mês no Cemitério Municipal, onde estão enterrados três padres e seis religiosas que exerceram seu ministério na cidade. Seguindo uma antiga devoção, este dia é dedicado às almas, explica monsenhor José Agius, administrador paroquial da Paróquia São Paulo Apóstolo, de Rolândia. “É uma tradição que veio com os padres alemães e italianos a partir de 1932.”

 

Com a presença de cerca de 70 fiéis, a celebração foi presidida por dom Geremias e concelebrada pelo monsenhor Agius. Na homilia, o arcebispo falou que a Palavra de Deus provoca os cristãos a darem sempre uma resposta à fé na ressurreição. “Nós professamos que viemos de Deus, estamos em Deus e nós viveremos em Deus por todo sempre. Viver o evangelho é ter essa certeza sobre a vida”, destaca.

 

Encontro com o clero

 

Logo cedo, a primeira atividade da visita pastoral foi um encontro com o clero da cidade. Dom Geremias conversou com os padres e diáconos sobre a programação e também os objetivos da visita pastoral. “A visita pastoral é um tempo de confirmar na fé, uma reapresentação da fé nas comunidades. Um momento de estar com os padres, os diáconos, visitar colégios, também o comércio…”, elencou o arcebispo.

 

Nas duas semanas de visita, dom Geremias pretende falar de Jesus Cristo nos mais diversos ambientes da cidade, conversar com lideranças e fiéis sobre o 17º Plano de Ação Evangelizadora da arquidiocese e compreender como se dá a questão da urbanização em Rolândia. “No último dia está prevista a avaliação conjunta da visita e então vamos conversar sobre essas percepções e também como o plano está sendo aplicado nas paróquias”, conclui dom Geremias.

 

TV Cultura

No final da tarde, o arcebispo esteve no canal de televisão local, TV Cultura, onde gravou entrevistas para o programa Momento de Fé, apresentado pelo padre Joel Medeiros, pároco da Paróquia São José, de Rolândia, e para o Diário 27. Dom Geremias também gravou uma mensagem aos cidadãos.

 

Programação

A programação da visita pastoral de dom Geremias a Rolândia segue até o dia 14 de setembro com visitas às paróquias e capelas, instituições, encontros com fiéis, lideranças, doentes, idosos e estudantes.

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Fotos: Tiago Queiroz

O arcebispo dom Geremias Steinmetz inicia, nesta segunda-feira, 2 de setembro, sua visita pastoral à cidade de Rolândia. Serão duas semanas de visitas em que o arcebispo estará em contato com fiéis, lideranças, autoridades, estudantes, famílias, comércio, doentes, idosos, e visitará as paróquias e capelas de Rolândia.

 

A programação começa hoje às 10h30 com um encontro com os padres e diáconos na Paróquia São José. À tarde, o arcebispo celebra a Santa Missa no cemitério e segue para a TV Cultura, canal local.

 

Pascom Arquidiocesana
FOTO: Igreja Matriz – Paulo Usso / Prefeitura de Rolândia