Nessa manhã de segunda feira, 25 de setembro, o arcebispo dom Geremias Stenimetz se reuniu com os padres do Decanato Oeste da Arquidiocese de Londrina. Nesse encontro foi agendada a visita pastoral do arcebispo pelas paróquias do decanato. A visita será realizada do dia 29 de outubro a 16 de dezembro de 2023.

Como princípio e fundamento visível da unidade da igreja particular, a visita pastoral é uma ação apostólica que o bispo deve efetuar pela caridade pastoral (Cf. LG, n. 23). A visita é, sem dúvida, um momento de peculiar graça, na qual o bispo repete o gesto de Jesus Cristo que vai ao encontro do seu povo. Além do contato do bispo visitador com seu clero e com o povo, deve-se também buscar encontro e diálogo com os diversos segmentos da sociedade na área religiosa, social e educacional, e também com os afastados caminhada de fé; atingindo os batizados distanciados e os das periferias geográficas e existenciais. Os párocos juntamente com o padre decano e o arcebispo estão organizando as datas das atividades e celebrações para, em breve, divulgar em suas comunidades e lideranças pastorais. Um grande momento na caminhada de evangelização das comunidades do Decanato Oeste.

“Deste modo o Bispo será um sinal cada vez mais luminoso de Cristo, Pastor e Esposo da Igreja. Agindo como pai, irmão e amigo de todo o homem, será junto de cada um a imagem viva de Cristo, nossa esperança, no qual se cumprem todas as promessas de Deus e realizam todas as expectativas da criação” (Exortação Apostólica Pastores Gregis, Papa São João Paulo II, nº 4).

No dia 25 de agosto, a Paróquia Santa Isabel, do distrito de Lerroville, recebeu a visita pastoral do arcebispo dom Geremias Steinmetz, que conheceu o distrito, realizando várias visitas acompanhado do pároco, padre John Jairo Garcia Chacón. A visita continuaria no sábado, 26 de agosto, mas teve que ser interrompida devido ao falecimento do Cardeal Geraldo Majella Agnelo.

Pela manhã de sexta-feira, 25, dom Geremias conheceu toda estrutura da paróquia e o distrito de Lerroville. À tarde, a visita começou pelo posto de saúde, onde foi recebido pela enfermeira Giseli e foi apresentado à equipe de saúde. Ali, dom Geremias proferiu oração e bênção. Em seguida visitou a Escola Estadual Bento Munhoz da Rocha, onde foi recebido pelo vice-diretor Leoni, pelos professores e alunos presentes.

Visitou também a Creche Municipal Aparecido Norato, recebido pelo diretor Renilson, equipe de colaboradores e crianças presentes.

Conheceu também o Colégio Estadual Professora Maria Helena Davatz, onde o diretor João Piedade e equipe de colaboradores mostrou as instalações didáticas, a biblioteca, sala de computação, área externa e quadra de esportes.

No encerrar da tarde dom Geremias fez questão de visitar a pioneira dona Maria Piedade e família, recebido com delicioso café. Dona Maria falou sobre sua família, sua história e comentou que reza o terço em família todas as tardes. Dom Geremias despediu-se proferindo a bênção.

À noite, dom Geremias celebrou a Santa Missa com a comunidade.

Maria Helena Ribeiro Ferreira
Pascom Paroquial

Fotos: Tiago Queiroz

Arcebispo esteve, nos dias 17, 18 e 19 de agosto, nos territórios que pertencem à Paróquia São Roque, dentre elas as comunidades Apucaraninha, Água Branca e Barreiro, dos índios Kaingang

A Paróquia São Roque, de Tamarana, e o pároco, padre Delcides André de Souza, receberam o arcebispo dom Geremias Steinmetz, nos dias 17, 18 e 19 de agosto, para a sua quarta visita pastoral do ano. A programação incluiu conversa com os jovens, celebrações e visitas a instituições civis e comunidades indígenas do município.

A Santa Missa na quinta-feira à noite abriu a visita. Logo em seguida, dom Geremias encontrou-se com jovens da comunidade. Estiveram presentes cerca de 30 jovens, a maioria do grupo Lux da paróquia. Na conversa, dom Geremias dialogou sobre questões que preocupam a juventude de hoje e exortou-os no caminho da santidade e na vivência da vocação.

O segundo dia de visita começou também com a juventude. Dom Geremias visitou o Colégio Estadual Professora Maria Cintra de Alcântara, onde conversou com os estudantes secundaristas e deu-lhes uma bênção. O arcebispo explicou que nem todos os adolescentes estão na Igreja, mas eles estão na escola. Por isso, o bispo vai à escola representar-lhes a fé. “A fé cristã é mais que um pensamento positivo. É a adesão a uma pessoa: Jesus Cristo”, destacou.

Dom Geremias esteve também na Prefeitura Municipal e na Câmara Legislativa. Falou aos servidores e lideranças municipais sobre a pessoa de Jesus, modelo de humanidade. “Pelo batismo nos tornamos cristãos e vamos crescendo na vivência da fé e adesão à pessoa de Jesus. Somos a religião de uma pessoa. Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem”, falou dom Geremias.

“Como Deus esperamos de Jesus tudo que Deus quer nos oferecer. E como pessoa humana temos em Jesus o modelo ‘bem acabado’ do que é o ser humano. O espelho está em Jesus.”

Por isso, o arcebispo aponta que entender a mensagem de Jesus é essencial para ser verdadeiramente luz para a sociedade, principalmente nas grandes questões que os servidores atuam, como a paz, a justiça, a defesa da dignidade humana. “A fé nos ajuda a construir pontes, não muros.”

Dom Geremias também apresentou dois documentos do Papa Francisco cujas temáticas devem estar nas suas preocupações das lideranças municipais: a amizade social (na encíclica Fratelli Tutti), segundo a qual somos todos irmãos e devemos nos unir para enfrentar os grandes desafios da sociedade; e o cuidado da Casa Comum e a ecologia integral (na encíclica Laudato Si), entendendo que todo cuidado com o meio ambiente só faz sentido se por trás está também o cuidado com o ser humano.

Ao final, deixou também um questionamento aos cristãos que estão inseridos nos diversos âmbitos da sociedade: “Eu, como cristão, que vivo minha fé, que conheço a doutrina, participo de uma comunidade, qual contribuição eu dou para que a sociedade seja melhor?” É na atuação do leigo na sociedade que se instaura o diálogo da fé com o mundo.

Para a prefeita Luzia Harue Suzukawa, foi uma honra receber a visita do arcebispo. “O que eu destaco da mensagem que ele nos trouxe é a unidade com as pessoas, que todos nós somos um, cremos no mesmo Deus. E que aqui o nosso exercício é trabalhar, semear boas sementes para que cada vez mais possamos aproximar a nossa vida desse homem verdadeiro que é Jesus Cristo.”

A programação do dia ainda contou com visita à APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, Escola Municipal Professora Iracema Torres, empresa Tamarana Tecnologia Ambiental, Cerâmica Tamarana e Sicredi.

À noite, dom Geremias celebrou a Santa Missa na Capela Nossa Senhora Aparecida, no bairro dos Moreiras. A missa reuniu os fiéis de seis capelas rurais de Tamarana que, após a missa, fizeram várias perguntas ao arcebispo. A atual construção da Capela Nossa Senhora Aparecida tem 15 anos e foi a primeira vez que um bispo esteve presente ali.

“Estamos quase encerrando a Semana da Família e o Evangelho de hoje veio falar justamente de família, do amor, da responsabilidade dos casais um com outro, da fidelidade. A visita do dom Geremias foi muito boa. O pessoal até fez algumas perguntas. Foi muito bom o que ele disse, a mensagem foi muito acolhedora”, contou a catequista Maria Elizabeth da Silva Prado, liderança da comunidade.

No sábado de manhã, dom Geremias se dirigiu às reservas indígenas Kaingang de Tamarana, visitou o Salto do Apucaraninha e as comunidades Apucaraninha, Água Branca e Barreiro. Visitou as capelas dentro das reservas onde os indígenas católicos têm sua vivência de fé, com celebrações e catequese. O diácono Cirço Aparecido Nabor atua diretamente com as comunidades indígenas do município de Tamarana, auxiliando o padre Delcides André de Souza.

Recebendo o arcebispo, os indígenas cantaram alguns cânticos em português e o Pai Nosso na língua Kaingang. Também fizeram algumas perguntas sobre os sacramentos, como o batismo de adultos, e presentearam dom Geremias com peças de artesanato que eles mesmos fizeram.

A catequista Luzinete Alves de Oliveira Pirai é quem prepara os indígenas para receber os sacramentos. Ela conta que na quarta-feira eles têm a oração do Santo Terço, na sexta-feira a catequese e no final de semana o padre Delcides celebra a missa uma vez por mês e o diácono Cirço preside a celebração a cada 15 dias.

Ainda de manhã, dom Geremias visitou algumas capelas rurais de Tamarana. À tarde teve um encontro com cerca de 100 agentes de pastoral e à noite celebrou a Santa Missa de encerramento da visita na Paróquia São Roque.

Juliana Mastelini Moyses

Fotos: Lainy Pasturino e Tiago Queiroz

O encontro foi durante a visita pastoral do arcebispo à Paróquia São Roque nos dias 17, 18 e 19 de agosto

Abrindo as atividades da visita pastoral à Paróquia São Roque, de Tamarana, no dia 17 de agosto, o arcebispo dom Geremias Steinmetz presidiu a Santa Missa e em seguida encontrou-se com os jovens da comunidade. O encontro reuniu mais de 30 jovens, em sua maioria participantes do grupo Lux, no salão paroquial. Ao bispo, eles falaram sobre os desafios e as preocupações da juventude hoje.

O prelado destacou que os jovens católicos são jovens normais, que saem, se divertem, participam de festas, bailes, mas que, acima de tudo, conhecem os valores que devem preservar em todos esses locais. “Tudo isso os jovens têm que viver. Agora, tem que saber quais são os seus valores de fé, seus valores morais…”

Recordando a fala de um ex-professor seu, dom Geremias afirmou que para quem é jovem, é preciso “saber o que quer e ser normal”, viver na normalidade do mundo, mas com vistas naquilo que se quer, que se busca, vivendo de forma coerente com isso. “Por exemplo, eu quero ser padre, é claro que para ser padre existem algumas coisas que eu preciso, mas eu sou normal. Você está namorando, maravilha, saiba o que você quer e seja normal”, destacou dom Geremias.

O arcebispo lembrou que os jovens ocupam o centro das preocupações da Igreja, esta os olha buscando entender o que Deus quer falar através do jeito de ser da juventude hoje, o que os jovens buscam e como vivem a fé, e como levar o Evangelho aos jovens de forma que responda às suas inquietações. “Quando eu era jovem, tínhamos algumas preocupações. Hoje, as preocupações são outras. Então, como o jovem vive a sua fé? E o que eles buscam quando vivem a sua fé?”, são questões que a Igreja busca entender.

Evangelização

Dom Geremias falou aos jovens que o Papa Francisco apresenta um caminho para a evangelização da juventude. Na exortação apostólica Christus Vivit, o pontífice destaca que o conteúdo de toda evangelização deve centrar-se em três aspectos: 1) Deus é amor. 2) Ele nos salva (precisamos convencer o nosso coração e o nosso intelecto sobre essa verdade de que Ele nos salva). 3) Ele vive (Nós cremos numa pessoa: Jesus Cristo e Ele ressuscitou dos mortos e vive).

Santos de calça jeans

Numa frase atribuída a São João Paulo II, dom Geremias destacou que o mundo e a Igreja precisam de santos jovens, e jovens santos: santos de calça jeans. Ele contou que ficou muito impressionado com a história do casal de namorados assassinado numa escola em Cambé no mês de junho.

“Ouvindo o padre, sabemos que dias antes de morrer, a Karol se confessou. Eram gente da comunidade, eram namorados e faziam um esforço para viver a sua fé. Isso é uma forma de santidade. Ficou famosa uma foto em que ela segura uma imagem de Nossa Senhora e ele uma caixinha de intenções, isso foi muito interessante e rodou o Brasil”, destacou. “A gente vê que a coisa está presente em semente.”

Como exemplo, uma das jovens citou a experiência do próprio grupo Pax, que, com um ano de existência, reúne semanalmente 25 jovens: “a gente vê que o movimento está acontecendo”, afirmou.

Citando o Papa Francisco no documento “Alegrai-vos e exultai”, o arcebispo questionou: será que neste mundo de hoje, com tantas preocupações, o jovem pode ser santo? “Sim, responde o Papa. Primeiro deixando-se provocar pela vida e pela alegria”, afirma dom Geremias. Pois, segundo o Papa, a alegria de viver deve ser a marca do jovem. “Depois, o cuidado de si, da sua espiritualidade, esforçando-se pela vida, o trabalho, as escolhas, o estudo”, finaliza dom Geremias.

Juliana Mastelini Moyses

Fotos: Tiago Queiroz

A Santa Missa, logo mais às 19h30, dará início à visita pastoral do arcebispo dom Geremias Steinmetz à Paróquia São Roque, de Tamarana. Esta é a quarta visita deste ano, que começou com Sertanópolis, de 16 a 18 de março; Guaravera no dia 31 de março; e São Luiz, dia primeiro de abril.

A programação em Tamarana inclui conversa com os jovens, celebrações e visitas a instituições e comunidades indígenas do município. A cobertura da visita você acompanha nas redes sociais da arquidiocese. Confira a programação:

17/8 – quinta-feira
19h30: Missa de abertura
20h30: conversa com os jovens

18/8 – sexta-feira
9h: CEMCA – Colégio Estadual Professora Maria Cintra de Alcântara
10h: Prefeitura
11h: Câmara Legislativa
14h: APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais
15h: Escola Municipal Iracema
16h: Empresa Tamarana Metais
19h30: Missa na Capela Nossa Senhora Aparecida, no bairro dos Moreiras

19/8 – sábado
Manhã: comunidades indígenas
14h30: encontro com agentes de pastorais
20h: Santa Missa

Chegou a vez do distrito de Guaravera e a Paróquia São João Batista receberem a visita pastoral do arcebispo dom Geremias Steinmetz. Nesta sexta-feira, 31, dom Geremias passou pela creche, escolas municipal e estadual, vinícola e estabelecimentos comerciais da localidade, acompanhado do pároco, padre Luciano da Paixão.

Ao falar com as crianças e adolescentes do Colégio Estadual de Guaravera (CEGEM), dom Geremias destacou que os cristãos têm que ter claro que Jesus morreu na cruz, mas não é só isso, Ele foi por Deus ressuscitado. “Essa ressurreição não é simplesmente uma volta à vida, mas uma vida para a eternidade”.

Falando de um contexto que os adolescentes conhecem muito bem, o arcebispo citou os chamados ‘digital influencers’, pessoas que têm milhões de seguidores nas redes sociais, para falar da fé: “A gente segue quem a gente quer, mas nós cristãos batizados temos a quem seguir: Jesus Cristo”, reforçou o bispo.

Reafirmar e confirmar a fé em Jesus é um dos objetivos principais da visita pastoral, motivo pelo qual o arcebispo vai também a diversos setores da sociedade. “A nossa fé não é fé que vai alienar, mas fé que vai dar verdadeiro sentido para a nossa vida.”

Todos querem ser felizes, continua dom Geremias. Encontrar a felicidade a partir da fé, buscando um bom relacionamento com a família, com o mundo, com as pessoas; “faz com que a nossa fé tenha incidência no mundo”. E diante de um mundo cheio de desafios, o arcebispo falou da importância de uma formação integral para o bom êxito da proposta que os cristãos têm para oferecer.

“Creio que para vocês a vida não é moleza, tem que ser fortinho para enfrentar trabalho, estudo, mas nós precisamos nos formar globalmente para ter sucesso naquilo que vamos propor. Sejam gratos a Deus pela possibilidade da escola. Não é um peso. É um grande favorecimento na vida de vocês”, falou o arcebispo agradecendo também aos professores.

Às 19h, o arcebispo encerrou a visita a Guaravera com a Santa Missa junto da comunidade paroquial. Hoje, 1 de abril, dom Geremias visita o distrito de São Luis.

Juliana Mastelini Moyses
PASCOM Arquidiocesana

Fotos: Tiago Queiroz

O arcebispo visitou a Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus de Sertanópolis nos dias 16 a 18 de março. Com 94 anos de existência, paróquia é anterior à própria Catedral

Missa de encerramento da Visita Pastoral à Paróquia Santa Terezinha de Sertanópolis (Foto: Tiago Queiroz)

O arcebispo dom Geremias Steinmetz fez, nos dias 16, 17 e 18 e março, sua primeira visita pastoral de 2023. Na semana que vem, dias 31 de março e 1 de abril, visitará as comunidades dos distritos de Guaravera e São Luiz. A paróquia visitada é a Santa Terezinha do Menino Jesus de Sertanópolis, a mais antiga da arquidiocese, criada em 1929. Durante esses dias, o arcebispo conheceu creche, asilo, APAE, prefeitura, hospital, as capelas e as lideranças paroquiais de Sertanópolis, acompanhado do pároco, padre Valter Diniz, e do vigário, padre Renato Aparecido Pelisson. No primeiro dia, também almoçou com alguns padres do Decanato Sertanópolis: padre Layrton dos Santos, da Paróquia Santa Margarida de Cortona, e padre Paulo Henrique Alencar, da Paróquia São João Batista, ambas de Bela Vista do Paraíso.

Matriz da Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus passará por reforma nos próximos dois anos (Foto: Henrique Reis)

Por ser a paróquia mais antiga da arquidiocese, a Santa Terezinha tem uma forte história de evangelização e de presença do laicato, explicou dom Geremias. “Com o tempo as pessoas vão se aproximando e exercendo seus ministérios e a sua vocação de leigos, marcada já pela maturidade.”

Folheando o livro tombo da paróquia, dom Geremias pode conhecer mais sobre a história e confirmar algumas informações que ouvira falar. “A história da paróquia é muito interessante, começou lá em 1929 sendo a primeira paróquia, que depois pertenceu à Catedral do Sagrado Coração de Jesus, mas depois foi novamente restabelecida em 1937”, contou.

No sábado, dom Geremias teve um encontro com as lideranças da paróquia (Foto: Henrique Reis)

Durante sua trajetória, a paróquia contou com o trabalho de padres diocesanos e religiosos: palotinos, redentoristas e do Pime (Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras). “Hoje é dirigida por padres diocesanos. Vemos uma comunidade bastante amadurecida, lideranças bem fortes, dedicadas, com conselhos, organizações em vista de asilo, creche, os trabalhos, movimentos, pastorais. Trabalhos bem intensos, com muitas responsabilidades”, fala o bispo, destacando o trabalho social realizado pela Igreja no asilo. “O asilo é de alta qualidade, um dos melhores da região, com certeza. Isso me chamou atenção. Percebi como a Igreja de fato tem um envolvimento muito grande com a sociedade como um todo.”

Dom Geremias abençoa idosos do Asilo São Vicente (Foto: Tiago Queiroz)

Para o pároco, padre Valter, os dias de visita foram a oportunidade das pessoas estarem e interagirem com o bispo. “Essa proximidade gera mais confiança, mais vínculo com Deus, porque Deus passa através daquele que nos conduz até Ele, que é o pastor das ovelhas”, fala o padre, que prezou pela interação com as pessoas para elaborar a programação da visita pastoral. “Nós somos seres relacionais, e, sem relações, nem com Deus nem com as pessoas, nós vamos ficando isolados. A pandemia nos afastou, a relação nos aproxima, então o bispo conhecendo as pessoas com as quais teve oportunidade de conviver nesta visita pastoral, é uma forma de aproximação, de afeto, de carinho.”

Encontro com funcionários da saúde e do SAMU no Hospital São Lucas, acompanhado do padre Valter e do padre Renato (Foto: Tiago Queiroz)

As orações que a paróquia sempre faz pelo bispo ganham agora um aspecto diferente, “porque ele esteve conosco, apertou a nossa mão, esteve em nossa paróquia, teve oportunidade de se associar a nós em refeições, em visitas e outras atividades que foram realizadas”, explica padre Valter.

Para o vigário, padre Renato, foi a primeira oportunidade, como padre, de acompanhar uma visita pastoral. “Me recordei muito quando participei de uma visita pastoral com dom Orlando, na época eu era catequista, então fui como representante da catequese. É muito bonito ver a presença do pastor que nos escuta, deixou espaço aberto para a comunidade [falar].”

Entre uma programação e outra, é oportunidade para os próprios padres conviverem um pouco mais com o bispo. “A gente se encontra em reuniões, em transferências, mas poder estar mais perto, conversar, partilhar as próprias experiências, [por exemplo] do tempo de seminário, como ele colocou para nós, é bom porque a gente se vê muito, e vê como uma pessoa muito humana, mas que sempre é chamado a nos conduzir a Deus”, finaliza o padre.

Dom Geremias, padre Valter e padre Renato assistiram a apresentação preparada por professores e alunos da APAE (Foto: Tiago Queiroz)

Missas nas comunidades
Todas as noites da visita pastoral, dom Geremias presidiu a Santa Missa numa comunidade. Na quinta-feira, 16, celebrou na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, marcando a finalização da reforma da capela. Nessa missa dom Geremias explicou o objetivo da visita pastoral do bispo: como um pai visitando seus filhos. “Esse é o trabalho que o bispo vem fazer”, destacou dom Geremias, “estar aqui e ver como a vivência dos católicos ajuda a fazer esta cidade.”

No primeiro dia de visita, dom Geremias celebrou a Santa Missa na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Foto: Tiago Queiroz)

Na sexta, dia 17, o arcebispo celebrou a missa de inauguração da Capela Rainha dos Apóstolos, construída ao lado da antiga capela. A igreja passará a acolher as celebrações da matriz durante pelo menos os próximos dois anos, já que a paróquia entrará em reforma no mês de abril. A Santa Missa contou com a presença do padre Antônio Naufel, ex-pároco da Santa Terezinha e quem começou a construir a capela, que tem espaço para 500 pessoas.

No sábado, 18, dom Geremias presidiu a missa de encerramento da visita na matriz, com a presença de representantes de todas as pastorais da paróquia.

Representantes das pastorais e movimentos participaram da missa de encerramento da visita (Foto: Gabriel Ignacio Garcia)

Educação
Na creche Padre Vicenti Mariani e na APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), as duas instituições educacionais visitadas, dom Geremias e os padres foram recebidos pelos educadores. Em ambas as instituições, o arcebispo passou em todas as salas e levou uma palavra e uma bênção aos professores e alunos.

Isabel Simone Menossi Baldon, diretora da creche, contou da alegria pela visita do bispo. “Não é sempre que recebemos uma visita assim, foi muito especial, para as crianças, para as professoras”, explicou. “Ele conheceu todas as salas, fez uma bênção para cada turminha, entrou na cozinha, lavanderia, foi em tudo, só não levei no parque, as crianças ficaram bem animadas.”

Conversa com a diretora da creche Padre Vicenti Mariani (Foto Henrique Reis)
Dom Geremias passou em todas as salas e abençoou as crianças (Foto Henrique Reis)

Dom Geremias conheceu também toda estrutura da APAE, assim como professores e alunos. Assistiu uma apresentação preparada especialmente para ele e os padres e destacou a importância da instituição. “Aqui se demonstra o servir, uma das principais características dos cristãos, baseada no Evangelho”, falou dom Geremias.

Segundo a diretora Antônia Aparecida Miquelasse Ausechi, foi uma tarde festiva para toda a escola. “Nos preparamos muito para esse dia. É uma bênção ter aqui nossos líderes espirituais, tanto dom Geremias como nossos padres, sinal de bênção para a escola, para os alunos e para os professores”, finaliza.

O arcebispo conheceu também toda a estrutura da APAE (Foto Henrique Reis)
Na APAE, professores e alunos prepararam uma apresentação para os visitantes (Foto: Henrique Reis)

Presença na sociedade
Dom Geremias levou sua palavra e sua bênção a outros setores significativos da sociedade. No hospital comparou o serviço prestado ali ao próprio trabalho da Igreja, que cuida da saúda espiritual das pessoas. Esteve também na delegacia de polícia, a primeira de suas visitas pastorais na Arquidiocese de Londrina. Visitou também os dois moinhos de Sertanópolis, onde falou sobre a importância de os cristãos serem fermento no meio do mundo.

Na delegacia, dom Geremias conversou com trabalhadores da área de segurança (Foto: Henrique Reis)
Visitou também empresas de Sertanópolis. Na foto, bênção ao setor administrativo do Moinho LCA (Foto: Henrique Reis)
Dom Geremias conheceu o processo de produção do Moinho Globo (Foto Henrique Reis)

Na visita à prefeitura, dom Geremias conheceu também um pouco sobre o município de Sertanópolis, apresentado pela prefeita Ana Ruth Secco. Passou pelas diversas repartições, dando a bênção, e falou com os funcionários reunidos. “Dom Geremias é um representante da Igreja Católica, nós ficamos muito felizes por ele estar aqui, abençoando nossa cidade, abençoando nosso local de trabalho. Nós ficamos muito felizes com as palavras que ele deixou e a visita que ele fez”, falou a prefeita Ana Ruth.

Bênção também as funcionários da prefeitura (Foto: Tiago Queiroz)
Dom Geremias presenteou a prefeita com as encíclicas Laudato Si e Fratelli Tutti (Juliana Mastelini Moyses)

No sábado, último dia de visita, esteve na Rádio Sertão FM, onde falou sobre sua estada em Sertanópolis e assuntos que estão em alta na igreja.

Na Rádio Sertão, dom Geremias comentou sobre a visita e os assuntos que preocupam a Igreja (Foto Henrique Reis)

Inauguração da Capela Rainha dos Apóstolos

Na sexta-feira, 17 de março, o arcebispo dom Geremias inaugurou a nova capela Rainha dos Apóstolos, localizada no bairro Amâncio Sêcco. A missa foi concelebrada pelo pároco, padre Valter Diniz, pelo vigário, padre Renato Pelisson, e pelo padre Antônio Naufel, padre que iniciou a construção da capela. A nova igreja será utilizada durante os próximos dois anos para acolher as celebrações da matriz, que entrará em reforma a partir de abril.

Na sexta-feira, dom Geremias presidiu a missa de inauguração da Capela Rainha da Paz (Foto: Jessica Graziela)
Durante a reforma da matriz, capela, com capacidade para 500 pessoas, será utilizada para celebrações da paróquia (Foto: Foto Tiago Queiroz)
Os bancos estavam todos ocupados na missa de inauguração da capela (Foto: Tiago Queiroz)

“Esta capela é uma luta do povo, toda comunidade tem um tijolinho aqui”, conta padre Antônio. “Se tem algo construído pela comunidade é esta capela.” O padre recordou que inicialmente o plano era construir três salas de catequese ao lado da antiga capela. Numa conversa com paroquianos surgiu a ideia: construir uma nova capela, maior, e deixar a antiga para ser usada como salão e com divisórias fazer salas de catequese.

Padre Antônio Naufel foi quem começou a construção da capela (Foto: Tiago Queiroz)

Com apoio da comunidade, da comissão de construção e dos engenheiros Clarice de Oliveira Rabelo e Ney Sêcco, a capela foi construída e entregue para a comunidade. Nesse tempo, as obras tiveram que ser interrompidas por dois anos durante a pandemia.
Carlos Roberto Marzolla, membro da comissão, conta que a cidade está em crescimento, em especial na região do bairro Amâncio Sêcco. “A comunidade está sendo favorecida primeiro por ter uma capela nova muito bem acabada, linda, e depois temos a oportunidade de ceder o espaço enquanto a matriz vai passar por uma restauração, esse é nosso objetivo e a nossa alegria de hoje”, fala Carlos. “E a presença do bispo vem fechar com chave de ouro este dia.”

Engenheiros Clarice e Ney, responsáveis pela obra (Foto: Tiago Queiroz)

Os recursos para a construção da nova capela foram levantados com quermesses e promoções, conta Cirlei Maria Guide, uma das responsáveis da capela. Um esforço conjunto da comunidade que agora se alegra pelo fruto de seu trabalho. “É muita emoção, o pessoal está esperando já faz muitos anos. Hoje eu não consegui nem trabalhar direito de tanta alegria, de saber que chegou o dia”, conclui Cirlei.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom arquidiocesana

Fotógrafos: Gabriel Ignacio Garcia, Henrique Reis, Jessica Graziela e Tiago Queiroz

Assista a inauguração da Capela Rainha dos Apóstolos:

Santa Missa de encerramento da Visita Pastoral:

Entre os dias 3 a 11 de novembro, o arcebispo de Londrina e Presidente do Regional Sul 2 da CNBB, dom Geremias Steinmetz, vai realizar uma visita pastoral missionária ao país da Guiné-Bissau, na África, com foco na Missão São Paulo VI, na cidade de Quebo. O arcebispo embarca em São Paulo, na quarta-feira, dia 2 de novembro, acompanhado dos padres Emerson Lipinski e Edson Zamiro, que compõem a presidência da Comissão Regional de Presbíteros do Paraná (CRP-PR), do padre Rafael Fuchs, da Diocese de São José dos Pinhais (PR), do missionário Wesley Fonseca, que permanecerá na Missão como missionário, e da assessora de imprensa da CNBB Sul 2, Karina de Carvalho. 

A Missão São Paulo VI é de responsabilidade da Igreja do Paraná. Existe desde o ano de 2014, com atuação em três âmbitos: evangelização, saúde e educação. Ao longo desses anos, muitos missionários paranaenses, na sua maioria leigos, já foram enviados para lá, enquanto aqui no Paraná, uma multidão de católicos exerce sua vocação missionária, rezando, contribuindo e amando essa Missão. De fato, um dos objetivos da Missão na África é fortalecer a dimensão missionária em toda Igreja do Paraná. 

Um dos principais objetivos dessa visita pastoral missionária é a bênção de inauguração oficial da Escola São Paulo VI, que será realizada na manhã de segunda-feira, dia 7 de novembro. Essa escola iniciou suas atividades em outubro de 2020 (quando inicia o ano letivo na Guiné-Bissau) e hoje já está no terceiro ano de funcionamento, com 157 alunos, em turmas dos três níveis de Jardim de Infância até o segundo ano do ensino fundamental. Essa bênção de inauguração estava prevista para o final de 2020, mas devido ao contexto da pandemia foi adiada mais de uma vez. 

Além da inauguração da escola, o arcebispo e os demais visitantes terão uma série de atividades ao longo desses dias. Estão programados vários encontros, reuniões, celebrações, visitas a outras missões, ao hospital e as tabancas de Quebo (comunidades distantes).

Segundo dom Geremias, a expectativa para a viagem é grande. “Primeiro, porque eu nunca estive na África. Depois, porque é a oportunidade de olhar de perto tudo aquilo que recebemos da Missão, em imagens, fotos e vídeos, e conhecer a realidade. Dessa forma, podemos pensar em outros projetos que podem ajudar a Missão no futuro. Espero que seja uma viagem exitosa e que possamos voltar com um bom conhecimento da Missão e, ao mesmo tempo, levar uma palavra de ânimo aos missionários que lá estão e enfrentam o cotidiano da missão com muito amor e carinho”, disse o arcebispo. 

Dom Geremias é o 7º bispo do Paraná a visitar a Guiné-Bissau. Dom José Antônio Peruzzo, arcebispo de Curitiba (PR), já esteve no país dando aulas de Bíblia aos seminaristas, antes da Missão São Paulo VI existir; dom Sérgio Arthur Braschi, bispo de Ponta Grossa e referencial para a dimensão missionária no Paraná, visitou a Missão São Paulo VI em seus primeiros passos, no ano de 2015; dom Mauro Aparecido dos Santos (in memorian), arcebispo de Cascavel, junto com dom Mário Spaki (ainda padre), visitaram a Missão em dezembro de 2016; dom Anuar Battisti, arcebispo emérito de Maringá, também visitou a Missão no ano de 2019; e dom Manoel João Francisco, bispo emérito de Cornélio Procópio, visitou em janeiro de 2020. 

As atividades dessa visita serão divulgadas no site: www.cnbbs2.org.br e nas redes sociais do Regional Sul 2 da CNBB.

Karina de Carvalho
Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2

Programação de três dias destacou a participação da comunidade e a presença na sociedade civil

O arcebispo dom Geremias Steinmetz, nos dias 21, 22 e 23 de julho, fez visita pastoral à Paróquia Cristo Rei, na cidade de Lupionópolis. Acompanhado do pároco, padre Jorge Arias, o arcebispo conheceu o território paroquial, conversou e abençoou lideranças, doentes e idosos, conversou com representantes da sociedade civil, esteve no hospital, prefeitura, câmara de vereadores, associação comercial, rádio, encontrou-se com o atual prefeito, com ex-prefeitos, com famílias e celebrou a Santa Missa com as comunidades. “Foi um trabalho muito interessante, bonito, profundo”, destacou dom Geremias. “E mais uma vez louvar a Deus porque as visitas pastorais são capazes de produzir muitos e bons frutos para a Igreja, para o trabalho de evangelização.”

Segundo o padre Jorge, foram dias em que a ação do Espírito Santo foi fortemente sentida, pela experiência de Igreja que a comunidade pode fazer, com momentos de oração e partilha entre o bispo, o padre e a comunidade. “Ele foi visitar famílias, visitou doentes, aqueles que estavam na programação e aqueles que não estavam. Teve a oportunidade de ir também em casas de famílias que são boas mas pouco próximas da vida litúrgica da Igreja. E a sua presença reforçou a fé que eles têm, motivou também a se aproximarem de Deus e esperar o tempo de Deus. E por último, as celebrações que eu vi que o pessoal dos distintos ministérios se prepararam com carinho, com fé, com alegria…”

Vários cartazes de boas-vindas foram colocados na cidade (Foto Tiago Queiroz)

Foi um trabalho intenso, que contou com encontros com pastorais, movimentos, com as comunidades e com a sociedade civil, administração pública, pessoas ligadas à educação, à saúde, destaca o arcebispo. “O trabalho todo feito pelo padre Jorge fez com que a gente pudesse entrar um pouquinho mais no conhecimento desta pequena cidade, mas que tem muitos valores, muitas coisas bonitas acontecendo no dia a dia, para o cuidado e o bem estar do povo.”

Para a catequista Camila Daiane da Silva Martins, a visita do arcebispo reforça a unidade da comunidade como Igreja, trazendo uma palavra de ânimo para os fiéis continuarem firmes na caminhada. “É sempre muito bom ouvir a voz do nosso pastor e é muito bom recebê-lo na nossa paróquia”, fala Camila.

“As pessoas têm uma imagem muitas vezes que a Igreja é um círculo fechado, que o padre, o bispo são pessoas inacessíveis, e hoje o bispo nos mostrou que não é assim, ele é uma pessoa do povo, ele é uma pessoa presente, pessoa simples, que nos dá respostas simples que a gente consegue entender. Então para nós foi muito bom escutar a palavra dele, a partilha. As respostas dele nos instruíram muito bem e nos deixaram animados para continuar firmes e fortes”, finaliza.

A catequista Camila Daiane agradece ao arcebispo pelo encontro com os catequizandos. (Foto Tiago Queiroz)

Vivência inédita

Padre Jorge destacou que nos seus 37 anos de padre, nunca tinha vivenciado uma visita pastoral com as características da visita pastoral de dom Geremias. “Então já é uma coisa inédita pra mim”, observa o padre. Ele conta que uma comissão ficou responsável por organizar a visita, entrar em contato com as entidades visitadas, sempre com a participação das lideranças paroquiais e iluminados pela presença do Espírito Santo. “Uma vez que a programação oficial estava pronta, veio a programação espiritual, com missas, terços, veio a parte da divulgação, várias pessoas ajudaram, as famílias que estiveram disponíveis para acolher em suas casas nas refeições, abriram seu coração.

Padre Jorge comparou a acolhida das pessoas ao arcebispo à passagem de Gênesis da liturgia do domingo 17 de julho, em que Abraão acolhe os três forasteiros: prepara a melhor farinha para fazer pão e o carneiro mais novo e sadio para oferecer o assado. “Isso que eu vi nas famílias: quer aqueles que acolheram em casa, como nas comunidades, na Capela do Mairá, nos grupos. Sempre havia algo para partilhar, então ofereceram o melhor. E isso só se pode fazer quando você tem fé, e você enxerga que ele é nosso pastor, ele é Jesus aqui entre nós e vamos nos deixar conduzir.”

Ao final da missa o Pe. Jorge pediu um abraço do arcebispo (Foto Tiago Queiroz)

Berço de vocações

Entre os compromissos do primeiro dia de visita pastoral, dom Geremias esteve na Capela São João Batista, do distrito de Mairá, região onde nasceu o monsenhor Marcos José dos Santos, que será ordenado bispo no próximo dia 13 de agosto. O localidade também já ofereceu outras vocações sacerdotais para a Igreja. “De fato ali é uma dessas comunidades de interior, que tem um comércio relativamente bom, uma comunidade não muito grande, mas que mantém a alegria de se reunir pela força da Palavra de Deus, da Eucaristia, pela catequese, por todo trabalho constituído ali que continua fazendo com que aquela comunidade persevere. Agora a notícia do padre Marcos vem trazer alegria, muita satisfação para a maioria daquela comunidade que o conhece muito bem.”

Dom Geremias celebra Santa Missa na capela São João Batista do Distrito Mairá, berço do monsenhor Marcos José dos Santos, bispo eleito pra Cornélio Procópio PR. (Foto Tiago Queiroz)

Encontro com profissionais da educação

No segundo dia em Lupionópolis, dom Geremias teve um encontro com professores e profissionais da educação, que reuniu quase 300 pessoas. No encontro, o arcebispo pode perceber e conversar sobre as grandes questões da educação do município. “Inclusive discutindo um pouquinho a Campanha da Fraternidade [que trata da educação], sobre aqueles problemas que todos sabemos que foram potencializados pela pandemia do coronavírus e que agora exigem muito trabalho das prefeituras, das secretarias para que as sequelas que vão aparecer sejam as menores possíveis”, destaca o arcebispo.

Quase 300 professores e profissionais da educação participaram do encontro com arcebispo (Foto Tiago Queiroz)

Participação ativa da comunidade

No encontro com lideranças paroquiais, o que surpreendeu o arcebispo foi a participação dos leigos. “Eu esperava a participação, mas as pessoas participaram de verdade, provavelmente pela convivência nesses dias e eu também procurei motivar a conversa sugerindo assuntos, sugerindo uma pauta um pouco mais avançada, mais profunda sobre a catequese, sobre a organização da Igreja, a importância das pastorais, dos movimentos. E depois disso eles tiveram de fato muita oportunidade para perguntar, e perguntaram! Perguntas dos mais diferentes assuntos e que fizeram com que de fato a conversa pudesse ser aprofundada”, conta.

“O que a gente vê é exatamente uma comunidade que está se recuperando, que está avançando e que está prezando muito pela clareza de tudo: das contas, pela clareza da pastoral, a clareza e a boa preparação da liturgia, dos cantos, e a gente vê muitas pessoas envolvidas, homens, mulheres, jovens, muitos jovens envolvidos, e, sobretudo, buscando sempre mais respostas que eles vão percebendo no seu grupo de trabalho, no seu grupo de reflexão”, finaliza dom Geremias.

Juliana Mastelini Moyses e Tiago Queiroz
Pascom Arquidiocesana

Fotos: César Vilela Costa e Tiago Queiroz

“O tempo de visita pastoral é uma injeção de ânimo na comunidade, para que continuem tantos processos bonitos e, se for o caso, criem outros meios para que a evangelização continue.” Dom Geremias (Foto Tiago Queiroz)

O arcebispo dom Geremias Steinmetz iniciou, na última semana, sua visita pastoral à cidade de Ibiporã. A visita será realizada em três etapas: durante três finais de semana o arcebispo percorrerá o território das paróquias da cidade: Nossa Senhora da Paz, Nossa Senhora das Graças e São Rafael, visitando também instituições civis de Ibiporã. Nos dias 12, 13 e 14; 19, 20 e 21; e 26, 27 e 28 de maio.

Dom Geremias abriu a visita no dia 12, marcando presença na prefeitura, acompanhado dos párocos José Luiz Primão, Paulo Ricardo Batista e Regan Gomes. Durante o dia também visitou APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Ibiporã), o Fórum, o Frigorífico Rainha da Paz e celebrou a Santa Missa com os idosos e profissionais do Lar Padre Leone, administrado pelas Irmãs Servas da Caridade.

À noite o arcebispo presidiu a Santa Missa na Capela Nossa Senhora de Guadalupe, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, concelebrada pelo pároco padre José Luiz Primão. A celebração é realizada mensalmente no dia 12 em honra à padroeira Nossa Senhora de Guadalupe, comemorada no dia 12 de dezembro. Antes da missa, a comunidade rezou um terço luminoso.

Na homilia, o arcebispo explicou sobre a visita pastoral e a sua presença em Ibiporã nestes dias. “O tempo de visita pastoral é uma injeção de ânimo na comunidade, para que continuem tantos processos bonitos e, se for o caso, criem outros meios para que a evangelização continue.” Dom Geremias falou sobre o que ele chama de “musculatura da fé”. Assim como o corpo humano, se não exercitamos a nossa fé, ela vai ficando fraca, perdendo sua musculatura. “Muita gente perdeu a musculatura da fé [nesses tempos de pandemia]. Assim passamos um período difícil e agora temos que recuperar… Que o Senhor ressuscitado e o Espírito Santo nos animem que possamos reconstruir essa musculatura da fé.”

Quem é Jesus para você?
Na homilia, dom Geremias também falou sobre a importância de se ter uma experiência pessoal com Jesus. Diferentemente de um assunto sobre o qual se possa estudar para fazer uma palestra, não é possível falar sobre Jesus sem ter feito antes uma experiência pessoal com Ele. Quem é Jesus para você? Indagou o arcebispo. “Digamos que vocês me peçam para daqui uma hora uma palestra sobre a Austrália. Mesmo nunca tendo ido pra Austrália, se tiver um bom ponto de internet, daqui uma hora eu faço uma palestra sobre a Austrália. Mas de Jesus a gente não vai falar simplesmente por ter ouvido falar, mas com experiência própria.”

Este é também um dos objetivos da visita pastoral, reapresentar a fé e reavivar as experiências do povo de Deus. “A Igreja é convidada a continuar a missão evangelizadora. Nas paróquias temos celebrações, pregações, catequese, Dia da Palavra, grupos de reflexão, coisas que nos motivam a renovar a nossa fé em Jesus”, concluiu o arcebispo, que ao fim da celebração pediu que os fiéis rezassem pela sua visita pastoral.

A Igreja é convidada a continuar a missão evangelizadora. Nas paróquias temos celebrações, pregações, catequese, Dia da Palavra, grupos de reflexão, coisas que nos motivam a renovar a nossa fé em Jesus”

Dom Geremias Steinmetz

Segundo dia de visita
O segundo dia de visita, nesta sexta-feira, 13 de maio, festa de Nossa Senhora de Fátima, foi marcada pela presença em instituições de educação e inclusão de Ibiporã. Logo cedo dom Geremias se reuniu com professores e estudantes da Escola Santa Marta, administrado pelas Irmãs da Congregação de Santa Marta.

Depois de uma bênção aos alunos e professores reunidos no pátio, o arcebispo conversou com um grupo de estudantes e profissionais do colégio, que se apresentaram e fizeram perguntas ao arcebispo. Dom Geremias falou sobre a importância da família e da fé e destacou o dia de Nossa Senhora de Fátima. Nossa Senhora apareceu a três crianças e elas transmitiram a mensagem aos outros. E a mensagem de Fátima chegou ao mundo inteiro. “Assim como eles somos chamados a ser discípulos”, destacou o arcebispo.

No fim da manhã, dom Geremias almoçou com os funcionários das paróquias Nossa Senhora da Paz e Nossa Senhora das Graças. À tarde, visitou CADEVI (Centro de Atendimento ao Deficiente Visual), CAESMI (Centro de Atendimento Especializado na Área da Surdez) e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h. Nos dois centros, o arcebispo conversou com alunos e professores sobre a realidade das pessoas que têm algum tipo de deficiência e a importância do trabalho de inclusão na sociedade. Ouviu testemunhos e levou uma mensagem sobre Jesus. “Quando Jesus curou o cego, Ele falou: ‘você está curado!’ e o cego jogou seu manto e saiu caminhando. Isso significa que ele jogou fora o preconceito que ele tinha consigo mesmo e que os outros tinham e se colocou a trabalho. Jogar fora tantas coisas que nos amarram mais do que a cegueira”, disse dom Geremias que, na oração, pediu a Deus a força necessária para o trabalho bonito desenvolvido ali.

Encerrando o dia, o arcebispo celebrou a Santa Missa em honra a Nossa Senhora de Fátima na capela dedicada a ela, da Paróquia Nossa Senhora da Paz. Foi a primeira vez que dom Geremias esteve na comunidade. A missa foi concelebrada pelo pároco padre José Luiz Primão. Refletindo sobre o evangelho do dia, dom Geremias destacou que, reunidos em comunidade, fazemos parte da família de Jesus, da qual Maria é a mãe, deixada por Jesus na cruz. Assim como o evangelista destacou na passagem: minha mãe e minha família são aqueles que fazem a vontade de meu Pai.

Terceiro dia
A primeira etapa da visita concluiu no sábado, 14 de maio. Logo cedo, o arcebispo se reuniu com professores e profissionais liberais no auditório da Paróquia Nossa Senhora da Paz para uma conversa sobre educação. Dom Geremias abordou a temática da Campanha da Fraternidade deste ano a partir do texto bíblico da Mulher Pecadora. Ouviu também a partilha e os questionamentos dos professores, tanto sobre a educação regular quanto sobre o atendimento a estudantes deficientes.

Ainda no último dia de visita, o arcebispo celebrou a Santa Missa com os padres do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), fez palestra sobre liturgia para lideranças e celebrou a Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora da Paz com a comunidade, encerrando a primeira etapa da visita.

Na semana que vem, dias 19, 20 e 21, o arcebispo estará no território da Paróquia São Rafael.

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

Prefeitura de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
APAE de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Fórum de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Asilo Pe. Leone de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Rainha da Paz Frigorífico de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Capela Nossa Senhora de Guadalupe (foto Tiago Queiroz)
Rádio Alternativa de Ibiporã (foto Michael Moreto)
Escola Santa Marta de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
CADEV de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
CAESMI de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
UPA 24h de Ibiporã (foto Tiago Queiroz)
Capela Nossa Senhora de Fátima (foto Tiago Queiroz)
Momento com professores e profissionais liberais (foto Tiago Queiroz)
Missa com os padres do PIME (foto Tiago Queiroz)
Momento da Liturgia (foto Tiago Queiroz)
Santa Missa na Paróquia Nossa Senhora da Paz (foto Juliana Mastelini Moyses)