De 6 a 13 de janeiro a Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, Decanato Centro, realiza o Oitavário da Epifania. A cada dia as celebrações terão uma temática diferente em focando o carisma palotino ou serão em outro idioma. No dia 6, a Missa será em Latim, seguindo o Rito Paulo VI. No dia 9 será em espanhol e no dia 10, em italiano. As missas ocorrem às 19horas, com exceção do dia 12 que será às 18h.

“O Oitavário é a representação do carisma da obra do apostolado católico. Recorda que o Menino Jesus se manifesta a todos, contudo a maneira de se celebrar tal manifestação pode ocorrer de diversas formas”, explica Frater Ivan Battistin, organizador do Oitávario.

O Oitavário da Epifania foi celebrado por mais de cem anos pelos palotinos. “Resgatar essa solene celebração é ir ao encontro da necessidade da Igreja e de Jesus que diz para sermos um só rebanho sob um só pastor,” afirma o Frater.

Programação

Dia 06/01: Missa em latim ( Rito Paulo VI) – Padre Bruno Áthila
Dia 07/01: Tema: Jesus, luz verdadeira para a humanidade
Dia 08/01: Tema: Inquietação dos Magos, onde está o Rei que nasceu?
Dia 09/01: Missa em espanhol
Dia 10/01: Missa em italiano
Dia 11/01: Tema: O presente dos magos ao Rei que acaba de nascer
Dia 12/01: Tema: O espírito de cooperação na Sagrada Família –
Dia 13/01: A unidade cristã e os diversos dons e carimas mas único Espírito

Horário: 19horas, exceto dia 12 (sábado), que será às 18h.
Local: Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos – Avenida Tiradentes, 43 – Shangri-lá – Londrina
Contato: Frater Ivan Battistin – 43/998026247 ou e-mail: battistinivan@gmail.com

 

Pascom Paroquial

O Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica (RCC) do Paraná iniciou na quarta-feira, 26, a 16.ª edição da Missão Jesus no Litoral (JNL). Idealizado no Paraná e espalhado por quase todo o litoral brasileiro, o JNL reúne, desde 2003, jovens das 18 dioceses do Estado.

A Arquidiocese de Londrina está representada por 28 jovens que vivem uma experiência de missão e evangelização. Além das atividades diárias da tenda e da Pastoral de Rua, foi realizada missão em Paranaguá, na Capela São João Batista e na Paróquia São Cristóvão.

Em Matinhos, os “laranjinhas”, como são chamados (foto), evangelizaram em prédios durante o dia e, à noite, todos foram até o calçadão, onde teve roda de viola e apresentação de artes. O Jesus no Litoral se encerra no dia 4 de janeiro.

 

O arcebispo dom Geremias Steinmetz celebrou junto à comunidade a Missa da Noite de Natal na Catedral de Londrina, no dia 24 de dezembro. Concelebraram o pároco, padre Rafael Solano, e o vigário, padre Dirceu Júnior dos Reis. “Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo o Senhor”, proclamou a resposta do Salmo.

Nesta Missa, o Glória, que não foi cantado durante todo Tempo do Advento, voltou a ser entoado ao som de sinos, louvando a Deus pelo maior presente que a humanidade recebe: o menino de Belém. “Ele se fez nosso irmão para nos tornar verdadeiramente filhos de Deus”, falou dom Geremias na homilia. “Há uma verdadeira troca de dons entre o céu e a terra. Assim como Ele vem a nós, traz consigo a divindade.”

As leituras da Missa apresentaram aos fiéis o fato da vinda de Jesus, explica o arcebispo. A primeira leitura, do profeta Isaías, fala da chegada de um menino que traz esperança para um povo que vivia na opressão. “Esse menino é um dom de Deus e, com Ele, Deus residirá no meio do seu povo.”

A segunda leitura, da Carta de São Paulo a Tito, lembra que acolher a salvação trazida por Jesus requer uma atitude. Explica dom Geremias: renunciar aos valores do mundo para assumir as propostas do menino Jesus.

O Evangelho, enfim, narra o acontecimento anunciado pelos profetas, como Isaías na primeira leitura, e ansiosamente aguardado pelo povo de Deus: o nascimento de Jesus. Em Belém, na simplicidade, Deus quer mostrar como Ele é. “O presépio apresenta-nos também a lógica de Deus. A salvação de Deus não se manifesta na força e no poder, mas na fragilidade, na ternura, na simplicidade, na dependência de uma criança recém-nascida.”

Quem não consegue compreender essa dependência que nós, pessoas humanas, temos de Deus ao olharmos para uma frágil criança recém-nascida, que em tudo ainda depende naturalmente da mãe, do pai, daqueles que estão ao seu redor? Foi assim que Deus quis vir a nós.”

 

Anúncio de Natal

Minutos antes de iniciar a Missa, foi proclamado o cântico chamado Kalenda de Natal, ou Anúncio Natalino, que traz uma recapitulação da história do povo de Israel a partir da Encarnação de Jesus. Esse texto é proposto pela Igreja para ser cantado na primeira Missa de Natal, ou seja, no 24 de dezembro à noite.

O canto encontra-se no Martilógio Romano e menciona os grandes acontecimentos da história do povo de Deus e sua relação com o nascimento de Jesus: criação, dilúvio, nascimento de Abraão, êxodo… O texto original é em latim, mas na Missa na Catedral foi entoado em português, como indica o Diretório Litúrgico da CNBB.

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

<Mais fotos clique aqui>

Fotos: Daniel Kanki

Dom Ricardo Hoepers, bispo de Rio Grande (RS), fala sobre a importância da criação do Observatório de Bioética pela CNBB  

Promover, defender e difundir a cultura da vida, estes são os objetivos do OB-RS3 (Observatório de Bioética) Regional Sul 3 da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), lançado em novembro, no Rio Grande do Sul. A iniciativa cria uma rede interdisciplinar que integra universidades católicas e instituições de pesquisa que fará um mapeamento dos estudos científicos a partir de três eixos: início da vida, final da vida e políticas públicas. O projeto foi idealizado pelo bispo de Rio Grande (RS), dom Ricardo Hoepers.

Temas como aborto, manipulação genética, esterilização, procriação responsável, eutanásia, cuidados paliativos, terapia intensiva (final da vida) e direito à saúde serão contemplados pelos eixos do OB.  Mais de 50 membros, formados em Medicina, Direito, Enfermagem , Teologia, Psicologia, Filosofia e Pedagogia participarão da iniciativa.

Um segundo passo da organização será expandir a participação e incluir, além das universidades (pesquisa, ensino e extensão), a área social, por meio da Pastoral Familiar, elegendo um casal de cada diocese da região do Estado para organizar uma agenda anual de eventos em promoção e defesa da vida. (Com informações da CNBB).

Qual o objetivo do Observatório de Bioética? 

O objetivo do Observatório de Bioética é promover, defender e difundir a cultura da vida. A palavra observatório significa o local onde se observa. Observar significa examinar, olhar fixamente para algo, alguém ou para si próprio, analisar com cuidado, ver atenciosamente, exprimir um juízo de valor. O OB-RS3 é o olhar fixo, atento e analítico da Igreja do Rio Grande do Sul que examina os dilemas do cuidado com a vida à luz da fé e da razão.

Qual a importância de criar o Observatório?

O OB quer ser um impulso à investigação científica e à organização pastoral das dioceses do Rio Grande do Sul a partir da criação das Comissões de Promoção e Defesa da Vida. O OB visa ser um espaço de investigação que deverá agir com liberdade responsável e transparência mútua, trabalhando em rede para facilitar a mobilidade de seus investigadores. Buscará um pleno diálogo para acompanhar a evolução das tecnologias avançadas, a qualificação dos recursos humanos e programas de integração que unam ao serviço pastoral, como Igreja em saída, “dialogando com as várias ciências ao serviço duma penetração profunda e aplicação da verdade na vida pessoal e social”(VG 5). Por isso, além de atuar nas universidades católicas, também temos a perspectiva de um amplo diálogo e parceria com outras instituições de ensino superior que se interessem pela pesquisa em Bioética e queiram colaborar na construção de uma sociedade mais humana e fraterna.

Como funcionará o Observatório?

O OB criou quatro comissões de Bioética, compostas por profissionais das mais diferentes áreas do conhecimento, uma em cada arquidiocese do Regional (Porto Alegre, Pelotas, Passo Fundo e Santa Maria), de modo que contemplam as quatro Províncias eclesiásticas do Rio Grande do Sul. Num primeiro momento as comissões estão fazendo um levantamento das pesquisas que já estão sendo realizadas dentro das temáticas da bioética. Foram criadas também quatro comissões de Promoção e Defesa da Vida através da Pastoral Familiar de cada Província. Os casais irão organizar a agenda da defesa da vida nas Dioceses promovendo a Semana da Vida e o Dia do Nascituro, do Idoso, da Família e eventos de formação para as comunidades. Na segunda fase do Observatório esses grupos também vão levantar outras demandas que não estão sendo contempladas nas pesquisas acadêmicas ou nos projetos de extensão. Assim haverá um profícuo diálogo entre comunidade e instituições de ensino superior e instituições da área da Saúde. Os encontros entre as comissões serão nos eventos em nível Regional e mensalmente por videoconferência ou redes sociais. Para centralizar os dados foi criado um site: observatoriodebioetica.ucpel.edu.br.

Quais serão os eixos de atuação?

As linhas de atuação estão focadas em três eixos:  início da vida, final da vida e políticas públicas e alocação de recursos. Temos muito trabalho pela frente, mas o mais importante já conquistamos: uma equipe disposta a promover e defender a vida, unindo a ética para uma sociedade mais justa e fraterna. Esse trabalho naturalmente foi impulsionado pelo Papa Francisco que nos pede uma Igreja em Saída.

De que forma a evolução científica, principalmente nas áreas de biotecnologia e saúde, pode caminhar junto com a fé cristã?

Hoje em dia já temos muitas pesquisas mostrando a proximidade e interdependência entre saúde e espiritualidade. O ser humano está conhecendo cada vez mais, através das tecnologias que o seu ser é integral e tudo está conectado dentro e fora de nós. Quanto mais respeitarmos a integralidade do ser humano, mais poderemos garantir um mundo viável para a humanidade. Toda fé cristã está baseada nos passos de Jesus que nos Evangelhos demonstra uma prioridade pelos doentes e pelos vulneráveis. Focar nossa atenção sobre a vulnerabilidade humana é redescobrir o quanto precisamos uns dos outros e o quanto devemos buscar respostas na ciência para qualificar a vida.

“Focar nossa atenção sobre a vulnerabilidade humana é redescobrir o quanto precisamos uns dos outros e o quanto devemos buscar respostas na ciência para qualificar a vida.”

 

Quais os desafios da bioética? 

A bioética apresenta temas de fronteira, polêmicos, desafiantes, pois, ao mesmo tempo em que a ciência avança com a força da biotecnologia, devemos garantir que a mesma seja eticamente utilizadas para o bem da humanidade. A vida humana e a vida de todo planeta são constantemente ameaçadas pela falta de cuidado ou pelo desrespeito à dignidade humana. Tudo o que fere o ser humano e a própria natureza é um desafio que interpela a bioética.

De que maneira os estudos do Observatório irão impactar a vida cotidiana?

Toda vez que a comunidade acadêmica se abre para a realidade e se dispõe a responder às reais necessidades através do conhecimento científico, algo se transforma e muda na vida cotidiana. O conhecimento é fundamental para a transformação da sociedade. Mas, toda vez que a comunidade se sente participante e propõe à vida acadêmica sobre suas demandas no dia a dia, então todos começam a fazer parte da construção de uma sociedade melhor. Nós acreditamos que é preciso trabalharmos em conjunto, juntando as forças, o conhecimento, a razão, a fé e as reais demandas da sociedade para que possamos garantir um acesso maior ao conhecimento científico em prol de uma vida melhor.

 

Aline Machado Parodi
Jornal da Comunidade

Foto: divulgação

 

Na noite da última terça feira, 18 de dezembro, a Catedral Metropolitana de Londrina realizou o Concerto de Natal com os corais Santa Cecília, Vox Deo e União. Na harmonia entre solo e coro formado por mais de cem vozes, a apresentação emocionou as milheres de pessoas que lotaram a catedral. Na regência de Luiz Fontanari e Regina Balan, a apresentação trouxe o verdadeiro sentido do Natal com seu encanto pelas luzes e pelas vozes. O concerto natalino enriqueceu o coração de todos com nobres sentimentos de alegria, paz e esperança. Que cada Família receba neste Natal a visita salvadora do Menino Jesus e que todos tenham paz, amor e união.

 

<Mais fotos clique aqui>

A Catedral Metropolitana de Londrina realizará o DIA PENITENCIAL na próxima sexta feira, 21/12, das 8h às 20h com padres disponíveis para administrar o Sacramento da Reconciliação.

Na segunda-feira (17/12) e na quarta-feira (18/12), a Catedral não terá confissões para que todos possam se preparar para bem celebrar o sacramento no DIA PENITENCIAL na sexta-feira.

Todos os fiéis estão convidados para essa momento em preparação à chegada do Salvador, o Menino Jesus.

“O exame de consciência se faz diante de Deus, escutando sua voz na consciência”.

O Setor Juvenil da Arquidiocese de Londrina divulga para todos os coordenadores de grupo de adolescentes e jovens o CALENDÁRIO OFICIAL DE 2019 com as principais atividades do ano para que todos possam se organizar e motivar seus integrantes.

Entre as atividades programadas já temos as formações sobre o Documento que será lançado em breve pelo Papa Francisco, resultado do Sínodo da Juventude. Organize o calendário do seu grupo em harmonia com o calendário do Setor Juvenil.

Confira:

Parte da arrecadação fica na arquidiocese e será utilizado pela Ação Evangelizadora em trabalhos organizados pelas pastorais, movimentos e serviços

 

No próximo domingo, 16, as comunidades farão a Coleta Nacional da Campanha para a Evangelização, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Nas Missas desse dia, a coleta será destinada para a campanha que tem como objetivo colaborar com as atividades evangelizadoras da arquidiocese e do Brasil. A campanha ajuda principalmente obras das Comissões Episcopais de Pastoral da CNBB e de algumas dioceses e prelazias com menos recursos.

Partilha

O gesto concreto de colaboração na Coleta da Campanha para a Evangelização será partilhado, solidariamente, entre as arquidioceses, dioceses e prelazias, que receberão 45% dos recursos. Os 18 regionais da CNBB terão 20% e o Secretariado-geral da CNBB contará com 35% das contribuições.

Assim partilhados, os recursos devem apoiar inúmeras iniciativas da Igreja no Brasil no serviço da evangelização, da dinamização das pastorais, na luta pela justiça social, nas experiências missionárias das Igrejas irmãs e na missão ad gentes.

No caso do Secretariado-geral, a parcela da arrecadação é destinada aos principais eventos e projetos da CNBB, como as reuniões de seus conselhos episcopais e as iniciativas das comissões episcopais.

 

Oração da Campanha de Evangelização

Deus, nosso Pai, quereis a salvação de todos os povos da Terra.

Nós vos pedimos que susciteis em nós o compromisso com a Evangelização, para que todos conheçam a vida que de vós provém.

Nós vos pedimos que nossos projetos evangelizadores sirvam para nossa santificação e da sociedade inteira que, assim, será justa, fraterna e solidária.

Nós vos pedimos que, em nossas comunidades e em toda a Igreja no Brasil, cresça o sentimento de partilha e que, por meio da Coleta para a Evangelização e do testemunho de comunhão, todas as comunidades recebam a força do Evangelho.

Por nosso Senhor Jesus Cristo vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Amém.

 

(Com informações: CNBB)

Santa Missa solene presidida pelo arcebispo dom Geremias Steinmetz comemorou os 34 anos da dedicação e o aniversário de 84 anos de Londrina

 

A Catedral de Londrina celebrou no domingo, 9 de dezembro, os 34 anos da cerimônia de sua dedicação e o aniversário de 84 anos da cidade de Londrina, este último comemorado no dia 10 de dezembro.  “É todo um processo histórico, litúrgico, celebrativo, onde encontramos grandes oportunidades para mais uma vez sustentar a nossa filiação com Deus, porque nós somos as pedras vivas do seu templo”, explica padre Rafael Solano, pároco da Catedral.

A Santa Missa foi presidida pelo arcebispo dom Geremias Steinmetz e concelebrada pelos padres da Catedral, padre Rafael Solano e padre Dirceu Júnior dos Reis. Na homilia, dom Geremias destacou o significado de se comemorar o aniversário da dedicação de uma igreja. “A Catedral, essa igreja física, tem que ser sinal de uma igreja concreta, no dia a dia, onde somos tijolo nesta construção, cada um de nós, todos nós batizados. Sempre gosto de repetir com que orgulho olha-se para a Catedral no centro da cidade, no alto da colina, mostrando que o povo fez sim uma experiência muito concreta, uma experiência da fé para construir esta cidade.”

O arcebispo parabenizou a cidade e pediu a Deus que abençoe os londrinenses. “Que Deus continue nos abençoando, nos faça ter muito trabalho, mas que seja um trabalho abençoado, para que possamos crescer e ser uma cidade cada vez melhor. E a Catedral do Coração seja um espaço de cultivo de santidade, de cultivo do seguimento de Jesus Cristo, do discipulado, e assim uma igreja santa, que se dedica à evangelização, possa ser um sinal para esta cidade”, conclui dom Geremias.

Em homenagem a Londrina, os fiéis cantaram, junto com o Coral Santa Cecília, o hino da cidade. Na procissão das oferendas, o pão e o vinho foram conduzidos até o altar pelas irmãs Maria Antonieta e Maria Eugênia Balan, filhas de Olinda e Luiz Balan, família pioneira da cidade. A procissão relembrou também as pessoas de tantas nacionalidades que se instalaram aqui e fazem de Londrina a “cidade do Senhor”.

Celebrar

A dedicação de uma igreja representa o selo, o carimbo que é colocado naquele lugar mostrando que ele pertence a Deus, explica o padre Rafael Solano. “Tudo na igreja está dedicado para Deus, mas o gesto do bispo de vir, abençoar o altar, incensar o altar, abençoar as cruzes, abençoar o sacrário, cada uma das partes da igreja tem um significado realmente sobrenatural para nós, porque assim como somos pedras vivas do templo de Deus, também nós encontramos e percebemos a grandeza de uma vida que através dos sinais, neste caso de uma igreja construída com tijolos materiais, nos representa. Por isso a dedicamos ao Senhor”

A cerimônia de dedicação deve ser celebrada anualmente, assim como se celebra o aniversário de casamento ou de ordenação sacerdotal, por exemplo. “A Catedral é a Igreja mãe de todas as igrejas desta região. Por isso o bispo vem na celebração. A Catedral como um todo se abre para a realidade de acolhida de todas as igrejas”, explica padre Rafael.

Decoração de Natal

Ao final da Missa, padre Rafael explicou aos fiéis sobre a decoração natalidade deste ano. O presépio em arte contemporânea, criado pela artista Márcia Vince com materiais reciclados e reaproveitados, está exposto do lado esquerdo da igreja. Traduz o contraste entre o luxo e a simplicidade, a riqueza e a humildade de onde Jesus nasceu. Os personagens humanos do presépio são todos retangulares, para simbolizar que todos são iguais diante de Deus.

Dentre os materiais utilizados, o lírio de São José, por exemplo, foi feito com guardanapos. As asas do anjo são compostas de 230 latinhas recortadas no formato de penas. A coroa de Nossa Senhora foi feita com uma peneira e utensílios de fritura que a mãe da artista usava na década de 1960. Os retalhos das capas dos reis magos formam uma colcha de retalho. Em meio à simplicidade da estrebaria onde Jesus nasceu, a renda por sobre o telhado expressa a divindade presente ali.

Compondo a decoração de Natal da Catedral de Londrina, junto ao presépio, e por toda lateral da igreja, estão expostas pinturas natalinas de crianças portadoras de Síndrome de Down da APS-DOWN Londrina.

 

Juliana Mastelini Moyses
Pascom Arquidiocesana

<Mais fotos clique aqui>

Fotos: Daniel Kanki / Guto Honjo