O Círculo Católico Estrela da Manhã (CCEM), grupo de jovens da Paróquia Pessoal Nipo-brasileira Imaculada Conceição, celebrou nessa terça-feira, 24 de maio, uma Missa em Ação de Graças pelos 65 anos de atuação em Londrina. A celebração, presidida pelo pároco padre Emanuel José de Paula e concelebrada pelo padre Luiz Laudino, pároco da Paróquia Imaculada Conceição, contou com circulistas, ex-circulistas e membros da comunidade paroquial.

Na homilia, o padre falou da importância da vivência em comunidade que o grupo proporciona. A partir da experiência dos Atos dos Apóstolos da leitura do dia, o pároco destacou que assim como Jesus se mostra na Palavra e na Eucaristia, Ele se mostra também na comunidade: “onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles, diz Jesus”.

Celebrar 65 anos é manter o legado de fé daqueles que iniciaram o grupo, de uma vivência que evangelizou muitos e trouxe muitos para perto de Jesus. Formou pessoas, casais, famílias e lideranças que hoje estão à frente da comunidade, destacou padre Emanuel, que participou do CCEM na época em que estava no seminário. “Assim como colhemos hoje o que outros plantaram, o amanhã do grupo depende daquilo que semeamos hoje.”

Terço e Jantar Comemorativo

No sábado, 28 de maio, o grupo promoveu a oração do Santo Terço e um jantar comemorativo, com a presença do pároco, padre Emanuel, participantes, ex-participantes, familiares e a comunidade, um momento de confraternização que possibilitou aos presentes relembrarem um pouco da história do CCEM. Antes do terço, membros do ministério de música de várias fases do grupo conduziram um momento de animação.

CCEM

Ligado à Pastoral Nipo-brasileira (PANIB), o Círculo Católico Estrela da Manhã (CCEM) é o grupo de jovens mais antigo de Londrina. Foi fundado em 1957 com o objetivo de aproximar descendentes japoneses da religião católica. Foi fundado em Presidente Prudente (SP) em 1953 e se expandiu para outras cidades onde a PANIB está presente.

O nome do grupo faz referência a um título de Nossa Senhora: Maria Estrela da Manhã. Maria é a Estrela da Manhã, aquela estrela que primeiro brilha no céu anunciando o sol, que é Jesus Cristo. Ela não é o centro, mas brilha trazendo a luz que vem de Deus.

Pascom Paróquia Pessoal Nipo-brasileira Imaculada Conceição

Fotos: Guto Honjo

O evento reuniu pioneiros, que ajudaram a construir a igrejinha a partir da década de 1940 e foram homenageados, além de autoridades

 

Uma cerimônia realizada na manhã desta sexta-feira (1º) abriu, oficialmente, as comemorações do Ano Jubilar do Santuário de Nossa Senhora Aparecida do Norte do Paraná, que celebra em 2022 o Jubileu de Platina (70 anos como paróquia) e o Jubileu de Ouro (25 anos como santuário). O evento reuniu pioneiros, que ajudaram a construir a igrejinha a partir da década de 1940 e foram homenageados, além de autoridades, entre elas o arcebispo dom Geremias Steinmetz, senador, deputados e vereadores. A cerimônia, transmitida pela internet, está disponível nos canais do santuário. Clique no <link> para assistir a transmissão ao vivo da cerimônia.

 

“A festa de Nossa Senhora não é simplesmente religiosa, mas, também, cultural. É isso que celebramos, com o selo comemorativo e a presença de tantas autoridades e da comunidade. A festa tem se tornado um evento evangelizador”, afirma o arcebispo dom Geremias, em discurso no cerimonial. De acordo com ele, é preciso olhar para a história da figura de Nossa Senhora Aparecida, que apareceu em um momento particular de muitas mazelas políticas e sociais. Para o arcebispo, é preciso olhar para Nossa Senhora Aparecida à luz das mazelas do mundo atual e contemporâneo.

 

Além de dom Geremias e do anfitrião, padre Rodolfo Trilstz, pároco e reitor do santuário, estiveram presentes diversas autoridades políticas, como os deputados estaduais Cobra, Evandro Araújo, Márcio Pacheco, Tercílio Turini e Tiago Amaral, o deputado federal Diego Garcia, os vereadores Eduardo Tominaga, Lenir de Assis, Jairo Tamura e Matheus Thum, além do secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Marcio Nunes. E os grandes homenageados do dia, alguns dos pioneiros que ajudaram a construir a história do santuário, sete décadas atrás.

 

Obliteração
Um dos momentos importantes da cerimônia foi o lançamento do selo comemorativo do santuário, com foto do paroquiano Wanderley Tolomi e presença do superintendente dos Correios do Paraná, Paulo Cezar Kremer dos Santos. Os primeiros a realizarem a obliteração do selo foram o arcebispo dom Geremias e o padre Rodolfo. Assim, o selo carimbado ficará guardado no acervo dos Correios e se manterá para a história.

 

Terço personalizado
Para homenagear os pioneiros, o santuário confeccionou terços personalizados com a logomarca do Ano Jubilar, marcando, assim, o período de comemorações. A lembrança foi entregue também às autoridades presentes, algumas das quais receberam uma capelinha em formato da logomarca do santuário. “Este singelo presente é uma maneira de reconhecer o trabalho de nossos pioneiros, sua história e memória, que contribuíram para nos tornarmos quem somos hoje”, ressalta o padre Rodolfo Trisltz.

 

Santuário Nossa Senhora Aparecida de Londrina

Fotos: Wanderley Tolomi

No dia 18 de maio, o Santuário de Schoenstatt de Londrina (PR) celebra aniversário. São 71 anos da presença materna e educadora de Maria na vida de milhares de pessoas, que encontram no Santuário um lugar de paz e renovação espiritual.

 

A celebração festiva será no domingo, dia 23, iniciando com a Santa Missa às 18h na Catedral, em seguida acontecerá uma peregrinação drive thru no Santuário. Tudo será transmitido pelo canal do Youtube da Catedral e do Santuário.

 

Na comemoração deste ano, a Família de Schoenstatt celebra também o ano jubilar dos 75 anos de entronização da imagem da Mãe Três Vezes Admirável na Catedral de Londrina, realizada pelo Pe. José Kentenich, fundador da Obra de Schoenstatt, no dia 20 de abril de 1947. Este acontecimento reforça os laços históricos entre a Catedral e o Santuário.

 

A Mãe de Deus quer estabelecer-se entre seus filhos.

O Pe. José Kentenich se refere à entronização do quadro da Mãe e Rainha na Igreja Matriz como um novo documento de fundação, ou seja, um marco importante no início de Schoenstatt no Brasil. Assim ele explica:

 

“Sabemos que ela, a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, quer ser para esta terra o que Schoenstatt é para o mundo. Quer educar os povos a partir daqui, quer restituí-los para Cristo, abri-los para Deus” (21/04/1947).

 

Confira a programação completa das celebrações de aniversário:

 

 

Santuário Schoenstatt

No último sábado, 31 de outubro, assessores, coordenadores, jovens, adolescentes e todos que fizeram e fazem parte da Infância e Adolescência Missionária (IAM) comemoraram juntos em uma missa celebrativa os 25 anos de implantação da IAM na Arquidiocese de Londrina.

 

Pessoas que deixaram marcas nessa caminhada foram lembradas carinhosamente durante a celebração.

 

A missa foi transmitida através das mídias sociais da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Decanato Leste, e da Arquidiocese de Londrina, assim as crianças puderam acompanhar e fazer a consagração e sua entrega à vida missionária, o que os possibilita levar a Palavra de Deus a toda criatura e de celebrarem os próximos 25 anos como membros da IAM.

 

A missa foi encerrada com os agradecimentos do assessor Padre Cláudio Marinoni, da primeira e última coordenadoras arquidiocesanas Marlene e Jessica.

“De todas as crianças e adolescentes do mundo, sempre Amigos”.

IAM

 

Fotos: Francisca Alves

Uma programação especial vem sendo desenvolvida por todo o Brasil para celebrar os 50 anos de criação do Encontro de Casais com Cristo (ECC) criado pelo padre Alfonso Pastore, em abril de 1970, data em que o religioso teve uma inspiração e anotou o que veio à mente: uma sequência de palestras, testemunhos e sociodramas. Nascia assim o Encontro de Casais com Cristo.

 

Jornada do criador

O lançamento do período Jubilar aconteceu durante o XXII Congresso Nacional do ECC realizado em Brasília em julho de 2019. Em 50 anos de existência, mais de 3 milhões de casais vivenciaram o Encontro de Casais com Cristo e testemunham as mudanças em suas vidas.

 

Padre Alfonso Pastore nasceu no dia 8 de novembro de 1932 no município de Soledade, no Rio Grande do Sul. Quando ainda era criança, a família resolveu se mudar para Iomerê, em Santa Catarina, onde mais tarde ele ingressou no seminário.

 

Embora tenha se tornado conhecido como o criador do ECC, o padre Alfonso Pastore criou encontros semelhantes para jovens, adolescentes e famílias incompletas; trabalhou na formação de pequenas comunidades em todos os lugares por onde passou; criou uma forma diferenciada de preparar os casais para o matrimônio e teve uma atuação destacada na Pastoral Carcerária, denunciando as condições precárias dos presídios brasileiros. Participou das discussões sobre este assunto na Assembleia Nacional Constituinte em 1987.

 

Vítima de um câncer no cérebro, o padre Alfonso morreu, aos 67 anos, no dia 17 de março de 2000 na cidade de Vitória (ES) e foi sepultado, a pedido, em Iomerê. Na lápide de seu túmulo está a frase que o acompanhou por toda a vida: “Se não for para ir para o céu, não vale a pena viver”.

 

ECC na história

O mundo passou por grandes transformações sociais, econômicas, políticas e culturais na segunda metade do século XX, o que afetou – em demasia – a vida da sociedade como um todo, com claras evidências da expansão do materialismo.

 

Essa “nova visão” do mundo começou a preocupar um jovem sacerdote de nome Alfonso Pastore, criado em um ambiente de interior e em uma família muito religiosa. Alfonso foi ordenado sacerdote em 1958, com 25 anos, pela ordem de São Camilo, conhecidos como padres camilianos.

 

Em 1968, Padre Alfonso Pastore foi transferido para a Paróquia Nossa Senhora do Rosário, no bairro Pompeia, em São Paulo. A paróquia já desenvolvia um trabalho de evangelização voltado às famílias, mas o sacerdote ainda achava pouco. A preocupação dele com a evangelização só aumentava e ele queria agir com urgência.

 

A inquietação tomava conta daquele sacerdote. Em uma noite, no mês de abril de 1970, ele teve uma inspiração e anotou o que veio à mente: uma sequência de palestras, testemunhos e sociodramas. Nascia assim o Encontro de Casais com Cristo. A proposta foi encaminhada à Arquidiocese de São Paulo e teve a aprovação do então arcebispo, dom Paulo Evaristo Arns.

 

Padre Alfonso Pastore não perdeu tempo e tratou de organizar o primeiro encontro com a máxima urgência. E nos dias 10, 11 e 12 de julho de 1970 foi realizado o primeiro ECC na Paróquia Nossa Senhora do Rosário em Pompeia. Outros encontros foram realizados logo em seguida, nos meses de agosto, setembro e outubro.

 

O ECC se expandiu rapidamente para outras paróquias de São Paulo, para outras cidades do Estado de São Paulo, gradativamente para outros brasileiros e, finalmente, para todo o País.

 

O rápido crescimento exigia a criação de normas que mantivessem a essência do encontro onde quer que ele fosse realizado em qualquer lugar do País. Assim, em 1985, foi criado o Documento Nacional, reunindo os conteúdos produzidos pelo próprio Padre Alfonso Pastore e pelo casal Kleber Antonio Ferreira e Laureci Henriqson Ferreira, de Porto Alegre, com a contribuição das coordenações regionais. O Documento Nacional é uma espécie de Constituição do ECC.

 

Prece

Rogamos a Deus que continue abençoando a evangelização das famílias no Brasil através do Encontro de Casais com Cristo que celebra seu jubileu de Ouro. Cremos na vida, cremos na família. Rezemos!

 

CNBB

Foto capa: XXVII Encontro de Casais da PM em Goiás

Em preparação ao Jubileu de 25 anos da Infância e Adolescência Missionária da Arquidiocese de Londrina, aconteceu no último sábado, dia 22 de fevereiro, o retiro para os assessores da Infância e Adolescência Missionária (IAM).

 

Estiveram presentes cerca de 40 assessores. O retiro foi realizado no Seminário Xaveriano na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Decanato Leste.
No encontro, o grupo meditou sobre a vida missionária de São Paulo e de como suas cartas podem inspirará-los para que os próximos anos possam ser ainda melhores para a IAM quanto nos anos que já se passaram.

 

Trouxeram à memória figuras importantes que deram início à história da IAM na arquidiocese, como o da Irmã Terezinha Dias que se dedicou à obra desde o começo.

 

Como compromisso para a celebração do Jubileu, que será no dia 31 de outubro, foi lançada a campanha de coleta de roupas para crianças.

 

O retiro encerrou-se com uma missa campal presidida pelo assessor padre Claudio Marinini SX e com o testemunho de vida missionária do reitor do seminário xaveriano padre Michel da Rocha.

Jessica Baeza
Infância e Adolescência Missionária (IAM)

 

 

O arcebispo dom Geremias Steinmetz celebrou no sábado, 20 de julho, o Jubileu de Ouro de vida religiosa da irmã salesiana Marina Mathew.
A celebração foi na Capela Nossa Senhora do Carmo, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Km 9, Decanato Sul.

 

Irmã Marina foi uma das primeiras irmãs salesianas a virem para o Brasil. Chegou aqui em 1998 com outras três religiosas. Hoje ela trabalha no Centro Social Dom Bosco, em Cambé.

PASCOM Arquidiocesana

 

 

<Mais fotos clique aqui>

 

Fotos Angelita Santini Niedziejko

No sábado, 11 de maio, as Irmãs Oblatas de São José da Arquidiocese de Londrina celebraram o Jubileu de 25 anos da congregação. A celebração iniciou-se com Santa Missa em agradecimento pela caminhada e em seguida os convidados puderam confraternizar-se na alegria desse momento.

As Irmãs Oblatas reafirmaram o seu compromisso para com os mais pobres, os jovens e o resgate da dignidade da mulher. O carisma Josefino é vivenciado cotidianamente na dedicação e serviço prestados junto às comunidades da Paróquia Cristo Bom Pastor, Conjunto Lindoia, onde residem e mantém uma casa de retiro.

 

Oblatas

As Oblatas de São José têm por finalidade principal a glória de Deus e a própria santificação. Inspirando-se no Carisma de São José Marello, pretendem reproduzir na própria vida e no apostolado o mistério de Cristo, como o viveu São José ao lado de Maria: na intimidade com Deus, na fé, na humildade, na vida simples e escondida do mundo, na laboriosidade, na ‘dedicação aos interesses de Jesus’.

O apostolado das Irmãs Oblatas de São José nasce a partir do relacionamento íntimo com Jesus através da oração, da vida comunitária, vivendo no ordinário da vida de forma extraordinária, ou seja, com zelo e amor às pequenas coisas. O estilo de vida, a espiritualidade, ensina São José, se desenvolve na simplicidade, na humildade, no escondimento, no silêncio, e a partir daí cuidar e viver dos interesses de Jesus. Por isso, tudo aquilo que é interesse de Jesus é também das Oblatas, com uma dedicação em particular aos mais pobres, aos jovens, e ao resgate da dignidade da mulher.

“EIS A NOSSA MISSÃO: FAZER CONHECER, FAZER AMAR, FAZER CUMPRIR A DOUTRINA DE JESUS CRISTO! (SÃO JOSÉ MARELLO).

Irmã Deise Murakami

 

 

 

Fotos: paroquiacristobompastor.com.br

Com o lema “Eu vos fiz, disse Jesus – fazei-o também aos outros”, 26 missionárias claretianas comemoraram em fevereiro Jubileu de Ouro e de Prata de consagração

 

No Santuário Eucarístico Mariano – sede geral da Congregação das Missionárias Claretianas, no dia 3 de fevereiro de 2019, ocorreu a celebração de jubileu de consagração religiosa, sendo 21 Irmãs de 50 anos e cinco irmãs de 25 anos. Todas presentes, agradecidas, em comunhão com a Congregação e a Igreja nos lugares onde vivem sua missão.

A celebração foi presidida por dom Geremias Steinmetz, arcebispo da Arquidiocese de Londrina, Igreja-Mãe da fundação da Congregação Claretiana.

As jubilandas participaram de um mês de encontro, com retomada do passado de forma reconhecida e agradecida, conscientes do significado do jubileu para revigorar a energia missionária no tempo presente e relançar o futuro. Vindas do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Alagoas; da Argentina, Chile, Itália, Austrália, Filipinas, Costa do Marfim e Gabão, na África.

As irmãs recordaram agradecidas que a década de 1960 foi de intenso florescimento vocacional na Congregação Claretiana, com jovens que ingressavam em dezenas, vindas de vários estados brasileiros. Animadas pelo espírito alegre e missionário de Madre Leônia, eram acolhidas desde muito jovens, recebiam a formação necessária para responder ao chamado do Mestre Jesus e desejavam arriscar-se no serviço missionário, numa paixão pelo Reino, sem fronteiras, sem medo e sem medidas.

Isso possibilitou a expansão geográfica e missionária da jovem Congregação londrinense, chegando muito cedo aos cinco continentes. A consciência e compromisso eclesial de Dom Geraldo Fernandes e o ardor missionário de Madre Leônia, transmitiam confiança e segurança às jovens irmãs, sendo grande número delas ainda menor de idade, necessitando da autorização dos pais para seguir a outros países como missionárias.

Os dois grupos de jubilandas apresentam uma característica bem peculiar: a maioria delas empreendeu uma itinerância missionária admirável! Várias delas têm assumido lideranças em serviço de governo na Congregação, inclusive a terceira e a atual superiora geral. As jubilandas de ouro revelam um aprendizado do Carisma na convivência com os Fundadores, Dom Geraldo e Madre Leônia e firmaram os passos com muita audácia e determinação. As jubilandas de prata não conheceram os Fundadores, mas herdaram do perfil deles e do testemunho da primeira geração das irmãs, igual coração missionário, livre para ir além-fronteiras, servir corajosamente e assumir o exercício da liderança com qualidade evangélica.

 

Ir. Neiva Maria Fiorentin
Missionária Claretiana

 

Fotos: Terumi Sakai

Mais fotos <clique aqui>

O missionário xaveriano, Pe. Camilo Didoné, pároco da Paróquia Jesus Cristo Operário e Mãe da Igreja, Decanato Norte, celebrou no sábado, dia 13 de outubro, uma Missa de Ação de Graças pelo Jubileu de Ouro de ordenação sacerdotal.  A celebração teve a presença da comunidade, de padres do decanato, religiosas e do superior regional dos xaverianos. Logo após a Missa, um jantar de confraternização no Salão São Guido Maria Conforti.

Padre Camilo é italiano e veio para o Brasil há 40 anos. Já trabalhou em São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Está há 10 anos em Londrina e 5 na Paróquia Jesus Cristo Operário e Mãe da Igreja.

<Mais fotos clique aqui>

Fotos: Júlio Bernardelli