A lei foi um dos assuntos destacados na XVII Semana Teológica da PUC, realizada de 31 de maio a 2 de junho

O curso de Teologia da PUC-Londrina, em parceria com os cursos de Medicina, Psicologia, Direito e Mestrado em Bioética, promoveu a XVII Semana Teológica da PUCPR, nos dias 31 de maio, 1 e 2 de junho. Com o tema: “Teologia e Multiversidade: três grandes desafios da atualidade”, o evento explorou, a cada dia, um assunto diferente: a ética do cuidado, a terminalidade da vida e a esperança cristã; questões raciais e minorias; e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

“Foram debatidos a finitude da vida (diálogo com a Medicina); o racismo (diálogo com a Psicologia) e a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (diálogo com o Direito)”, explica o frei Roberto Silva Souza, presidente do Centro Acadêmico São João Paulo II. “Pela participação dos colegas e a qualidade das discussões, do aprendizado, podemos afirmar que o evento foi além das nossas expectativas”, completa.

Um dos assuntos que mereceu destaque no evento foi a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Em vigor desde 2020, a LGPD foi criada para promover a proteção dos dados pessoais de todo cidadão e estabelece algumas regras para empresas e órgãos públicos no que diz respeito ao tratamento da privacidade e segurança dos usuários e clientes. Essas regras também devem ser seguidas pela Igreja, sob pena de multa, com os dados que os fiéis fornecem, como informações para cadastro de catequese, batizados e casamentos.

LGPD

O terceiro dia da semana se dedicou aos impactos da LGPD nas paróquias e as mudanças pastorais que ela exige. A professora Patrícia Sardeto, coordenadora do curso de Direito da PUCPR Campus Londrina e pesquisadora na área, falou sobre a lei em si, e a professora Sueli de Almeida, que também é notária do Tribunal Eclesiástico da Arquidiocese de Londrina, tratou sobre a aplicabilidade da LGPD, e como as dioceses e as paróquias poderão aplicá-la no seu dia a dia, na vida paroquial.

“Nós temos os cadastros para catequese, para os dizimistas, de noivos, as pastorais de voluntários, circulam muitos dados e temos que tomar um cuidado muito grande com quem pode ter acesso e quem não pode. É preciso estabelecer a responsabilidade de cada um e também investir na formação dos seus funcionários, das pessoas que vão lidar com esses dados que nós chamamos de dados sensíveis. O fiel, ao fornecer os dados dos quais é o titular, sempre vai ter que saber para qual finalidade está fornecendo. A partir do momento em que se determinou a finalidade, não pode desvirtuar esses dados para outra.”

Sueli explica que na palestra foi discutido o modo correto de proceder para que a Igreja resguarde os dados dos fieis e não seja penalizada. “Então, a orientação sempre é passada para os seminaristas no sentido de que eles devem, cada vez mais, procurar se aprofundar no tema porque tudo isso vai fazer parte do cotidiano de cada um em suas paróquias e nas dioceses na qual vierem a trabalhar”, completa.

Enfim, são muitas coisas que terão que ser modificadas nas fichas, nos cadastros e termos de responsabilidade, de consentimento, nos contratos que as igrejas têm com o sistema gestor de sacramento, sistema gestor financeiro, nestes é preciso também incluir cláusulas referentes à LGPD”, finaliza professora Sueli.

Pascom Arquidiocesana

(Com informações: Assessoria de Imprensa da PUCPR)

Foto: Divulgação

Cerca de 25 padres da Arquidiocese de Londrina concluíram nesta manhã, 3 de junho, o retiro dos presbíteros, pregado por dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre e primeiro vice-secretário da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), sobre o tema: “Eis o homem”. A partir do capítulo 18 do Evangelho de São João, quando se inicia a experiência dolorosa da vida pública de Jesus, dom Jaime conduziu uma reflexão teológica, bíblica e filosófica sobre a convivência de Jesus com os apóstolos, a condenação de Jesus, a experiência espiritual pessoal com Jesus e a convivência entre os padres. “Só podemos deixar Deus entrar onde estamos, onde vivemos uma vida de verdade”, destacou dom Jaime.

O retiro iniciou na segunda-feira, 30 de maio, e concluiu nesta sexta, 3 de junho, com a Santa Missa, que teve a participação do arcebispo dom Geremias Steinmetz, e o almoço, no Centro de Espiritualidade Rainha da Paz, em Maringá. Diariamente os padres celebraram juntos a Santa Missa e no final de cada dia, realizaram um momento de espiritualidade, como adoração ao Santíssimo, oração do Santo Terço e celebração penitencial.

“[O retiro] é uma forma que a Igreja encontra para manter vivo o ânimo, o pique, dos nossos presbíteros. A oportunidade de pararmos, refletirmos e falarmos sobre as nossas coisas sempre é uma oportunidade que enriquece a todos”, explica dom Jaime, que destaca, por fim, uma mensagem: “primeiro: depois de Deus o maior dom são os irmãos, então cuidarmos uns dos outros e nos deixarmos cuidar uns pelos outros. E ao mesmo tempo jamais deixar de amar aquilo que somos e gostar daquilo que fazemos. Talvez seja o melhor testemunho que nós possamos dar para a sociedade de hoje: nós amamos o que somos e gostamos do que fazemos”, conclui dom Jaime.

Para o padre Rafael Solano, cura da Catedral e vigário geral da arquidiocese, o retiro foi uma experiência muito significativa. “O tema proposto pelo pregador: Jesus, pessoa e sujeito, permitiu-me a luz da paixão do quarto evangelho ver as minhas paixões, vazios e conteúdos”, conclui.

Para a vida sacerdotal
As reflexões e perguntas propostas por dom Jaime buscaram um olhar sobre o ministério sacerdotal de cada padre. Contemplando a missão, o sofrimento e a força de Jesus, os sacerdotes tiveram a oportunidade de refletir sobre como acolher a pessoa de Cristo na sua vocação.

O retiro proporcionou momentos de meditação pessoal e de diálogo entre os padres, que partilharam ministério, dificuldades e esperança. À luz da pessoa de Jesus morto e ressuscitado, dom Jaime também partilhou um pouco da sua história vocacional, episcopal e os desafios da Igreja.

Pascom Arquidiocesana

Fotos: Divulgação

Teve início no sábado, no dia 14 de maio, mais uma formação para Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) do Decanato Rolândia. No total, serão sete encontros para preparação deste grupo, que é formado por fiéis leigos escolhidos de todas as paróquias do Decanato Rolândia.

A formação está sendo ministrada pelo pároco da Paróquia São José, padre Joel Medeiros, e organizado pela coordenadora dos Ministros do Decanato Rolândia, Marta Kolarovic, no no Centro de Pastoral João de Deus da Paróquia São José.

Ao final da formação do último sábado, dia 21 de maio, todos quiseram registrar este momento único e precioso com uma foto que demonstrasse a alegria e presença do Espírito Santo em cada um.

Pascom Paróquia São José

Fotos: Pascom

No dia 30 de abril, reuniram-se no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor, a equipe de formadores da catequese da Arquidiocese de Londrina, dando continuidade ao segundo encontro de formação de aprofundamento sobre a Iniciação à Vida Cristã.

O assessor dom Geremias Steinmetz levou os participantes a refletirem sobre o Querigma, cuja terminologia significa o primeiro anúncio das verdades da fé, tendo como ponto central na evangelização a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. É o primeiro anúncio no sentido qualitativo, porque é o anúncio principal, aquele que sempre se tem que voltar a ouvir de uma forma e outra, durante a catequese em todas as suas etapas e momentos… (EG nº 164).

Dom Geremias explicou de uma forma bem clara que todos os que desejam seguir Jesus precisam passar pelo primeiro anúncio do Evangelho, pelo despertar do amor a Jesus, levando o evangelizado a perceber que o sentido mais profundo da nossa vida está no encontro pessoal com Jesus e no seu seguimento como discípulos missionários.

Os catequistas tiveram a oportunidade de trabalhar alguns textos bíblicos que dão destaques a uma catequese querigmática, nos quais entenderam que a Palavra transforma a vida daquele que se deixa envolver pelo querigma.

Aparecida Peixoto da Silva
Catequese

Fotos: Guto Honjo

A Pastoral da Saúde promove, no próximo dia 28 de maio, uma formação para novos agentes, no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor, das 13h às 17h.


ARQUIDIOCESE DE LONDRINA
PASTORAL DA SAÚDE
COORDENAÇÃO
COMUNICADO

Vimos pela presente, comunicar aos (as) Senhores (as) Coordenadores (as), que vamos ter formação para novos agentes de Pastoral da Saúde, que será na data de 28 de maio de 2022, das 13h às 17h, no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor, localizado na Rua Dom
Bosco, nº 145, Jardim Dom Bosco, na sala 330, na cidade de Londrina – PR.


A formação contará com os seguintes palestrantes:
13h – Espiritualidade e abertura da dimensão solidária – Frei João Henrique Santana
14h – Dimensão Solidária – psicóloga Michelle Moreschi
15h – Dimensão Comunitária – enfermeira Silvana Verlingue
16h – Dimensão político institucional – pedagogo e participante da Comissão da Catequese da Arquidiocese: Vitor Henrique dos Santos.


Na oportunidade, aproveitamos para informá-los de que serão abertas 80 (oitenta) inscrições para novos agentes, bem como pedimos a gentileza de nos enviarem as fichas preenchidas o mais rápido possível.

Contamos com a colaboração de todos, bem como pedimos a gentileza de divulgarem em vossas comunidades.


Londrina, 12 de abril de 2022.

Márcia Mendes
Coordenadora Arquidiocesana


“Na cruz do Senhor, todo teu!” (Jo 19,25-27)

Transmissão ao vivo da Solene Celebração Eucarística de ordenação presbiteral do diácono Renato Aparecido Ferraz Pelisson, presidida pelo arcebispo dom Geremias Steinmetz. 23 de abril, 19h Paróquia Nossa Senhora da Paz, Ibiporã.

Reze por esse nosso neossacerdote!

Assista a transmissão da Santa Missa de Ordenação.

A Escola de Formadores da Arquidiocese de Londrina realizou no dia 19 de março, seu primeiro encontro de formação, sobre o tema: um resgate histórico do Catecumenato – sua origem e como se desenvolveu ao longo dos séculos. Estiveram presentes 50 pessoas vindas de 10 decanatos da arquidiocese. O encontro contou com momentos de estudo, partilha em grupos e celebração com o rito da eleição.

A escola de formadores tem o objetivo de capacitar mais e melhor um grupo de pessoas que possa compreender o caminho de Iniciação à Vida Cristã, com a nova linguagem e metodologia conforme o projeto catequético da arquidiocese.

O catecumenato foi uma das iniciativas e instituições da Iniciação à Vida Cristã mais bem-sucedidas da história da Igreja, explica a irmã Angela Soldera, coordenadora arquidiocesana da Animação Bíblico-catequética. “Iniciada nos primeiros séculos do cristianismo e resgatada nas últimas décadas para responder, com as devidas adaptações, aos atuais desafios da transmissão da fé, o catecumenato é hoje a grande descoberta da Igreja, torna-se referência para as mais diversas formas de iniciar a fé”, destaca. 

Testemunho – Anúncio – Conversão – Fé – Batismo, estes foram os passos que desencadearam o processo de “Iniciação à Vida Cristã na Igreja Antiga”. A catequese (o “ecoar” do primeiro anúncio) era dada por um grupo de ministros, chamados “doutores” nas comunidades paulinas.

A vida das comunidades cristãs primitivas firmava-se sobre quatro pilares: o anúncio e a doutrina dos Apóstolos; a fração do pão (ceia do Senhor/ Eucaristia); a oração e a comunhão de almas e corações; que levava à partilha dos bens, ao cuidado dos pobres e dos necessitados.

 “Vejam como eles se amam!”, admiravam-se as pessoas ao olhar os primeiros cristãos (cf. Atos 2, 42-46; 4, 32-35). Anúncio e vida estavam intimamente ligados. Catequese e inserção progressiva na vida da comunidade eram inseparáveis.

O grupo de formação terá sequência nos próximos meses seguindo os passos da Catequese de Iniciação à Vida Cristã com inspiração catecumenal: o Kerígma, primeiro anúncio; o catecumenato; o Tempo de Purificação e Iluminação; e a Mistagogia.

Pascom Arquidiocesana

Foto: Divulgação

O objetivo da Pastoral da Música é contribuir com a liturgia nas comunidades paroquiais, religiosas e casas de formação

Levando em consideração que muitas pessoas que atuam com a música nas celebrações desconhecem o sentido do salmo na Liturgia da Palavra e não dispõem de subsídios adequados, a Pastoral da Música da arquidiocese promove formação arquidiocesana sobre os Salmos Responsoriais, nos dias 21 a 23 de março, das 19h30 às 21h30. O evento presencial será ministrado pelo irmão Fernando Vieira, SJ, assessor da CNBB para música litúrgica, no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor.

O encontro vai possibilitar aos participantes entenderem a relação da música com a oração do salmo, com o objetivo de que a execução do salmo como um todo fique harmoniosa, assim como enriquecer a variedade de repertório e motivar o zelo dos cantores e músicos na preparação dos salmos.

Além da parte teórica, a formação contará com oficinas práticas em que serão abordadas técnicas específicas, como postura, respiração, dicção e articulação. Os participantes também vão receber partituras e gravações das músicas a serem utilizadas para os diversos salmos.

As inscrições podem ser feitas pelo link: https://forms.gle/CgLPdWDx6DmwQPvo8.

Pascom Arquidiocesana

Neste ano voltamos com as formações presenciais da Pastoral da Música. Seguindo a caminhada iniciada no ano passado, trataremos sobre os Salmos, nos dias 21, 22 e 23 de março, no Centro de Pastoral Jesus Bom Pastor.

É de fundamental importância a participação dos coordenadores gerais e de grupos, cantores e instrumentistas que fazem parte dos ministérios de música de todas as nossas paróquias, pois assim conseguiremos manter a unidade da nossa atuação enquanto ministérios de música e mantermos viva a nossa escola CEMUL.

FAÇA A INSCRIÇÃO PELO FORMULÁRIO E ACESSE A CHAVE PIX CORRETA PARA O PAGAMENTO: https://forms.gle/CgLPdWDx6DmwQPvo8