O Reino de Deus, por Dom Manoel

O Evangelho que vai ser proclamado no próximo domingo convida-nos a fazer do Reino de Deus nossa prioridade de vida. Qualquer outro valor deve passar para segundo plano, diante deste “tesouro” ou desta “pérola de grande valor” que é o Reino de Deus. Para compreendermos melhor o que Jesus quer nos

Pai, por Dom Manoel

Pai No Evangelho do próximo domingo Jesus nos apresenta Deus como Pai. Em apenas três versículos repete cinco vezes a palavra “Pai”. “Eu te louvo ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim Pai, porque assim foi do

Solenidade da Santíssima Trindade

Em relação à Páscoa e ao Pentecostes, a solenidade da Santíssima Trindade é uma celebração tardia. Os primeiros testemunhos aparecem somente no século XI. Mais que das origens, as notícias falam da oposição sofrida, inclusive do Papa Alexandre II, morto em 1181. A este Papa devemos a seguinte informação: “Não

O Grave Momento Nacional

Os Bispos do Brasil estiveram reunidos em Assembleia do dia 26 de abril até o dia 05 maio, na cidade de Aparecida, SP. Durante este período, vários temas foram refletidos. Enquanto pastores da Igreja, não podiam se omitir de dar uma palavra de orientação aos seus fiéis, diante da delicada

Domingo da Divina Misericórdia, por Dom Manoel

No próximo domingo, segundo da Páscoa, no mundo inteiro, nós católicos estaremos celebrando O Domingo da Divina Misericórdia, instituído pelo Papa São João Paulo II em maio do ano 2000. “Ser misericordioso é próprio de Deus e é pela misericórdia que ele principalmente manifesta a sua onipotência” (São Tomás de Aquino

Missa do Crisma, por Dom Manoel

Até o século VII, na liturgia romana, a quinta feira santa foi reservada para a celebração de reconciliação dos penitentes. Contudo, no decorrer daquele mesmo século, como atesta o sacramentário gelasiano, houve uma mudança substancial. Passaram a ser celebradas três missas: Uma, de manhã cedo, para a reconciliação dos penitentes,

Quaresma, por Dom Manoel

No início da Igreja, os cristãos, com seu estilo de vida, apareciam como sendo diferentes e até estranhos às demais pessoas da sociedade. Uma carta anônima, daquela época, dirigida Diogneto, faz a seguinte descrição: “Não se distinguem os cristãos dos demais, nem pela região, nem pela língua, nem pelos costumes.