Artigos Clérigos

Quem foi São Francisco de Assis…

São Francisco nasceu em Assis, na Itália, em 1182. Seus pais, de origem francesa, faziam parte da classe dos comerciantes da cidade. Seu pai era ambicioso, avistava para o filho a alta classe; e sua mãe era humilde e simples, de alma nobre instruía Francisco, desde muito pequeno, pelos caminhos da generosidade para com o próximo e da oração. Se comparado aos de sua época, pode-se dizer que Francisco recebeu uma ótima educação.

 

Foi um jovem radiante e entusiasta, um típico líder juvenil de seu tempo. Tinha um coração fervoroso e um turbilhão de idéias. Era cortês, alegre e muito empolgado. Francisco era de estatura pequena, mas ágil e de caráter forte; espalhava alegria e tinha modo festeiro. Passava pelas ruas cantando serenatas, arrastando colegas para suas festas e deixando encantadas as belas jovens de Assis. Suas canções eram apaixonantes e românticas.

 

O sonho de Francisco…

O santo viveu num período de grandes transformações do regime feudal. Seu sonho era o de ser cavaleiro célebre. Sonho que o fazia almejar a glória e a fama. Desde a juventude participou das lutas políticas de sua cidade contra a rival Perúgia, com o desejo de vencer.  Armou-se cavaleiro e partiu para a guerra. Seu exército, no entanto, foi derrotado e Francisco acabou preso pelas tropas de Perúgia. Mesmo assim não se desanimou, não se deixou derrotar, e durante o tempo que esteve preso fez-se cordial e solidário para com os colegas encarcerados. Depois que saiu da prisão Francisco acabou contraindo uma grave doença que quase o levou à morte. Depois de curado, no entanto, voltou a buscar seu sonho: armaduras, palácios, soldados, guerras…enfim, ser cavaleiro!

 

A mudança de vida do jovem Francisco…

Absorto e se interrogando, Francisco, sente dentro de si o desejo de solidão, de silêncio. Os seus companheiros julgam que ele estava apaixonado. Numa noite teve um sonho, ouve uma voz que o chama: “Francisco!”. Ele então responde: “Quem sois, meu Senhor?”. Indagou-lhe a voz: “Quem é mais forte, o escravo ou o senhor?”. Respondeu o jovem: “o senhor, é claro”. Sentenciou a voz: “escolhe melhor”. Francisco passava por uma reviravolta espiritual, tornava-se interiormente uma nova criatura. Algo radical e decisivo acontece na vida do jovem de Assis. Francisco tomou ao pé da letra o desejo revelado ao seu coração através do sonho, como um bom jovem sabe fazer, faz o que deve fazer no agora, no de sua vida.

 

O agir de Francisco…

Em oração com o Crucificado, Francisco pergunta: “Que quereis que eu faça?” e a resposta é: “Vai e reconstrói a minha Igreja!”. Francisco realiza nesse momento um encontro com a pessoa de Jesus Cristo. Ele começa a vender os tecidos da loja do seu pai, arruma tijolos, ferramentas, e começa a trabalhar como pedreiro…reconstruindo a pequena Igrejinha de Nossa Senhora dos Anjos que estava caindo, em ruínas. É… nada disso agradou ao seu pai.

 

A nova vida…

Diante do bispo o pai de Francisco o deserda, ele fica sem nada de próprio. Francisco compreende, ao romper os laços de familiar, que poderia então rezar livremente: “Pai nosso que estais no céu. Vós sois o meu tesouro e a minha esperança”. Aqui entendemos que Francisco confiou tudo ao Pai do Céu, e sendo filho irmão em Cristo fizera-se irmão de todos os homens e de todas as criaturas, sobretudo: dos mais pobres, dos deserdados, dos leprosos… Irmão universal.

 

Do asco ao beijo…

Os leprosos viviam fora das cidades na época de Francisco. Esperando a morte eles eram desamparados e excluídos. Os desejos de Francisco do jovem rico, vaidoso e bem sucedido, estavam longe da aproximação de um leproso, o que lhe causava asco e nojo. Conseguiu vencer-se de tal maneira que beijou o leproso quando o encontrou. Profundamente, no seu ser, havia acontecido uma transformação… “Foi assim que o Senhor me concedeu a mim, Frei Francisco, iniciar uma vida de penitência … o que antes me parecia amargo se me converteu em doçura da alma e do corpo … E depois que o Senhor me deu irmãos ninguém me mostrou o que eu deveria fazer, mas o Altíssimo mesmo me revelou que eu devia viver segundo a forma do santo evangelho”. (Test. de São Francisco de Assis). Francisco assume o Evangelho de Jesus Cristo como norma de vida. Mesmo diante das exigências e imposições de seu tempo.

 

Hoje nos ensina…

Francisco respondeu aos anseios de seu tempo. Tinha por prática o forte desejo de obediência a Igreja. Tanto que assim nos ensina sua Regra: “Frei Francisco promete obediência e reverência ao senhor papa Honório e a seus sucessores e à Igreja Romana. E os outros frades estejam obrigados a obedecer a Frei Francisco e a seus sucessores” (RB 1).  Outro aspecto da vida de Francisco é a busca pela paz, o santo exorta aos seus confrades da seguinte maneira: “Em qualquer casa em que entrem, digam primeiro: Paz a esta casa” (RG 3) ou “Como saudação, revelou-me o Senhor que disséssemos: O Senhor te dê a paz” (Test. de São Francisco de Assis). Francisco também mostra sua preocupação com o próximo, com os que passam necessidades e que precisam de cuidados: “Bem-aventurado o irmão que ama ao seu ‘irmão’, que não lhe pode ser útil, tanto como ao que tem saúde e está em condições de lhe prestar serviços” (cf.Adm 25).

E nós, como respondemos aos anseios de nossa atualidade?

Que inspirados em São Francisco de Assis sejamos anunciadores da Paz e do Bem!

Frei Wainer José de Queiroz FMM
Frades Menores Missionários
Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Piedade

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *