Pastorais e Movimentos Útimas Notícias

SER Igreja 

Papa Francisco abençoa criança durante missa pelos imigrantes nesta segunda-feira (8) — Foto: Vatican Media/Reuters

Ser Igreja não é tarefa fácil! Exige do cristão superar todas as imperfeições do mundo, que impõem injustiças e sofrimento humano.

 

O Papa Francisco tem chamado muito a atenção sobre a hipocrisia religiosa e reafirma em todas as suas manifestações,a responsabilidade dos cristãos com a defesa e o cuidado dos pobres, sem o que, não há sentido da fé e da religião.

 

  Segundo o Papa Francisco na Bula de Proclamação do Jubileu extraordinário da Misericórdia.2015. (15) o mundo contemporâneo cria de forma dramática situações de precariedade e sofrimento presentes no mundo atual, feridas gravadas na carne de muitos que já não têm voz, porque o seu grito foi esmorecendo e se apagou por causa da indiferença dos povos ricos. Que o seu grito se torne o nosso e, juntos, possamos romper a barreira de indiferença que frequentemente reina soberana para esconder a hipocrisia e o egoísmo. A pregação de Jesus apresenta-nos as obras de misericórdia, para podermos perceber se vivemos ou não como seus discípulos/as.

 

Não podemos escapar da Palavras do Senhor, com base nas quais seremos julgados: se demos de comer a quem tem fome e de beber a quem tem sede; se acolhemos o estrangeiro e vestimos quem está nu; se reservamos tempo para visitar quem está doente e preso (cf. Mt 25, 31-45). Em cada um destes « mais pequeninos », está presente o próprio Cristo. A sua carne torna-se de novo visível como corpo martirizado, chagado, flagelado, desnutrido, em fuga … a fim de ser reconhecido, tocado e assistido cuidadosamente por nós.

 

Quando Jesus se encarnou no meio de nós, não combateu nem publicanos, nem prostitutas, mas sim combateu a hipocrisia religiosa dos fariseus e dos saduceos. Aqueles que hoje proclamam uma ortodoxia da fé e ignoram as distorções da realidade do povo, não levando em conta a importância profética da Igreja, assim como fez Jesus,denunciando os poderosos do mundo e defendendo os pequenos, os pobres, não compreenderam o critério da Salvação e do verdadeiro sentido da Igreja.

 

Neste momento sombrio, os trabalhadores/as vem sucessivamente perdendo direitos historicamente conquistados com muita luta, e assegurados na Constituição Federal de 1988. A Igreja de Londrina, se coloca em defesa dos trabalhadores/as , cada vez mais ameaçados com a  proposta de Reforma da Previdência do governo Bolsonaro. Essa proposta de reforma tira direitos dos mais pobres, de idosos e pessoas com deficiência que terão os seus benefícios reduzidos em torno de 60%,  tira direitos das mulheres e dos  trabalhadores rurais.. Além desses segmentos mais prejudicados, ainda reduzirá o valor da aposentadoria de uma grande maioria de trabalhadores (considerando uma nova base de cálculo dos salários),  comprometendo o futuro da população e do próprio desenvolvimento do país, ela está justamente seguindo a sua missão.

 

Quando a Igreja analisa a realidade e chama a atenção para os riscos das injustiças, não se trata jamais de partidarizar, mas sim, de ter a coragem como Jesus, que foi duríssimo com os vendilhões do templo, com os fariseus, com todos aqueles que ameaçavam a construção do reino de justiça e paz.

 

Portanto, quem se coloca fora da Igreja não é o arcebispo de Londrina, mas aqueles que negam  a missão essencial do Evangelho, que é viver a fé em todas as suas dimensões e desprezam o seguimento de Jesus que é a luta pela justiça, pelos oprimidos e mais fracos.

 

Enquanto Igreja de Londrina, comprometida com os valores do evangelho, da doutrina social da Igreja, em seu magistério, das orientações da CNBB, que tem como base de sua missão, a prática e o ensinamento no Evangelho de Jesus de Nazaré, em defesa dos pobres e dos excluídos, queremos reafirmar a posição da Arquidiocese contra essa proposta que além de desmontar a previdência, fragiliza todo o sistema de seguridade social, claramente explicitada na cartilha, por  ela publicada.

 

 Nos colocamos à disposição para esclarecer qualquer dúvida ou identificação de erro fundamentado, em relação aos 10 pontos nela elencados.

 

Imploramos a Luz do Espírito de sabedoria e unidade sobre nossa Igreja para que ela seja instrumento na defesa dos direitos e da vida dos mais vulneráveis.

Pastorais Sociais, Comissão De Justiça e Paz e Organismos da arquidiocese de Londrina

 

Foto destaque: Vatican News

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *