Cursos Formação / Seminários Pastorais e Movimentos Útimas Notícias

Delegado da Universidade Gregoriana de Roma visita Mestrado em Direito Canônico de Londrina

Com 18 anos de existência, o curso é uma extensão do Instituto do Rio de Janeiro vinculado à universidade italiana e já formou mais de 150 canonistas

 

Monsenhor José Gomes Moraes, padre Damián Astigueta SJ, dom Geremias Steinmetz, padre César Braga de Paula e Sueli Almeida de Oliveira

 

O Mestrado em Direito Canônico da Arquidiocese de Londrina recebeu nesta semana a visita do delegado da Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, padre Damián Astigueta SJ, e do diretor do Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico do Rio de Janeiro, Monsenhor José Gomes Moraes. Além da conversa com alunos e coordenador do curso, os dois também se encontraram com o arcebispo dom Geremias Steinmetz.

 

O Mestrado de Londrina é uma extensão do Instituto do Rio de Janeiro, agregado à Universidade Gregoriana de Roma. Esta última inclusive é que emite o certificado aos que concluem o curso, por isso a visita do delegado de Roma. “Meu trabalho aqui é tomar contato com o Instituto do Rio e com as extensões, como Londrina, mais para ver que propostas podem ser feitas para que o ensino seja melhor”, explica padre Damián, jesuíta argentino que trabalha na Universidade Gregoriana há 20 anos.

 

“Meu trabalho aqui é tomar contato com o Instituto do Rio e com as extensões, como Londrina, mais para ver que propostas podem ser feitas para que o ensino seja melhor”, explica padre Astigueta

“Com as visitas vemos que tanto Londrina quanto o Rio tem crescido muito, melhorado a qualidade do ensino, e os resultados do ensino. Com a visita, também recebo as expectativas de cada um, como espera crescer, o que espera da Gregoriana, porque o intuito é de colaborar”, acrescenta Astigueta.

 

O delegado explica que para se emitir o diploma do Mestrado em Direito Canônico, a Universidade Gregoriana exige alguns requisitos, como bom ensino, bons professores, e que o curso esteja crescendo. O intuito, explica ele, é que futuramente o Mestrado de Londrina seja independente, cresça “e continuaremos como dois institutos de igual categoria”. “Percebo que há um grande esforço para que terminem bem, para que tenham uma boa biblioteca, por isso tenho muita esperança que continue crescendo e que algum dia Londrina também possa ter extensões como o Rio e criar uma rede de Direito Canônico e de Canonistas, isto seria muito bonito.”

 

Sobre a visita também ao arcebispo, padre Astigueta destaca que um instituto não se faz apenas com os coordenadores e o seu pessoal, mas também com toda diocese que o apóia. “Isto funciona não só porque as pessoas estudam, mas porque há gente que os ajuda a estudar e aí há um pessoal muito comprometido, por isso funciona. Não é simplesmente ter uma semana ao mês de aula. O trabalho não é somente acadêmico, também se faz de orações. Se quer bons canonistas, tem que se rezar para tê-los”, conclui.

 

O coordenador da extensão de Londrina, Pe. César Braga de Paula, reitor do Seminário Teológico Arquidiocesano Paulo VI, explica que ao longo dos anos o curso vem crescendo, criando bases sólidas de trabalho e de estudo. “Cada ano tem crescido o número de padres, bispos e dioceses interessados na formação dos sacerdotes e leigos para que trabalhem com o Direito Canônico. O curso tem sido uma bênção e o Espírito Santo vai nos conduzindo para que possamos crescer cada dia mais. Crescer com qualidade e crescer respondendo ao anseio principal que está no Código de Direito Canônico: a salvação das almas.”

 

A visita do delegado, explica ele, estreitou relações e possibilitou estabelecer melhores políticas com relação à arquidiocese e aos alunos. “Um crescimento sempre em comunhão e unidade com a Universidade Gregoriana de Roma”.

 

“Estamos em sintonia, o que nos dá novas esperanças para incrementarmos nosso trabalho acadêmico”, monsenhor José Gomes Moraes

Crescimento

Monsenhor José Gomes de Moraes, diretor do Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico do Rio de Janeiro, explica que nas visitas juntamente com o delegado da Universidade Gregoriana, observa grande sucesso. “Estamos em sintonia, o que nos dá novas esperanças para incrementarmos nosso trabalho acadêmico.”

 

O diretor percebe um aumento de interesse, demonstrado não só em números, mas também na qualidade.”Através das dissertações, do trabalho, da procura, e do apoio do episcopado paranaense. Isso é para nós um grande conforto e alegria. Vejo esse interesse por parte dos alunos, conversando com um, com outro. É um grande sacrifício que fazem, voltando para suas casas, para suas paróquias, comunidades, conseguem ainda manter esse elo com a biblioteca, ou até mesmo com o mundo online, da pesquisa, da especulação jurídica”, afirma monsenhor.

 

 

Aulas

O Mestrado Eclesiástico em Direito Canônico de Londrina é organizado em módulos de aulas, com aulas concentradas em uma semana do mês, no Centro de Espiritualidade Paulo VI. Em setembro as aulas estão sendo nesta semana, de 17 a 21. O curso tem duração de três anos e hoje conta com 82 alunos de diversas dioceses do país. Do total de alunos, 77 são padres, quatro diáconos e uma leiga.

O curso, reconhecido pela Congregação para Educação Católica, conta também em sua grade de pessoal com nomes importantes da área, como o da presidente da Associação Brasileira de Canonistas, a juíza e chanceler do Tribunal Eclesiástico de Londrina, Sueli Almeida de Oliveira, que atua na secretaria geral do curso.

A biblioteca do Mestrado conta com 2.600 livros, inclusive coleções que datam do século 18 e 19, e exemplar do primeiro Código de Direito Canônico, de 1917. Sueli explica que nos últimos meses foram investidos R$40 mil em livros.

 

“Houve uma renovação muito grande dos canonistas do Brasil, e isso é uma contribuição nossa aqui de Londrina”, explica Sueli

Contribuição

A presidente da Sociedade Brasileira de Canonistas, Sueli Almeida de Oliveira conta também que o Mestrado em Direito Canônico de Londrina propicia uma renovação dos profissionais de Direito Canônico. “Houve uma renovação muito grande dos canonistas do Brasil, e isso é uma contribuição nossa aqui de Londrina. Aqui acabou se tornando um centro”, conclui. O Mestrado em Direito Canônico de Londrina iniciou suas atividades no ano 2000 e nesse período já formou cerca de 150 canonistas.

 

 

Informações

O Mestrado de Direito Canônico de Londrina é voltado para padres, diáconos, religiosos e leigos. Interessados entrar em contato no e-mail [email protected] ou pelo telefone: (43) 3371-3141.

Juliana Mastelini Moyses
PASCOM Arquidiocesana

 

 

Fotos: Tiago Queiroz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *