Pastorais e Movimentos Útimas Notícias

33ª Semana do Migrante 2018

Tema: A vida é feita de encontros
Lema: De braços abertos sem medo para acolher.

Convocadas pelo Papa Francisco, as instituições da Igreja no Brasil que atuam “para, entre e com migrantes” e refugiados se unem para intensificar os esforços e consolidar ainda mais o compromisso na construção de uma Cultura do Encontro. “O nosso objetivo é promover a “cultura do encontro” motivada pelo Papa Francisco, fazendo crescer os espaços e as oportunidades para que os imigrantes e as comunidades locais possam se reunir, dialogar e passar à ação. Devemos acolher e defender os direitos dos imigrantes e refugiados. Queremos que todos aqueles e aquelas com uma experiência de migração compartilhem a história da sua viagem – desde os próprios imigrantes, até pessoas que vivem em comunidades de onde estes imigrantes saem, por onde passam ou aonde chegam e se estabelecem. Mais pessoas vão ouvir e compreender os motivos pelos quais as pessoas migram e as suas razões”. 

O convite que a Semana do Migrante traz este ano é para ir ao encontro, como gesto inato dos crentes que vivem uma igreja em saída, para abraçar, escutar, apoiar, dar a mão, compartilhar trajetórias, alegrias e também dores, fazer-se próximo. Migrantes, refugiados ou moradores da comunidade que nela nasceram ou dela fazem parte há mais tempo, juntos, podemos ser a nova sociedade que queremos e a Igreja que sonhamos, numa convivência em que todos e todas saem de si mesmos e acolhem quem chega ou simplesmente quem precisa de amor e de algum tipo de apoio. Amar, perdoar, acolher, proteger e promover, uns aos outros e todos com especial carinho e misericórdia pelos migrantes, imigrantes, refugiados que chegam de longe.

Cartaz

De braços abertos sem medo para acolher indica também a atitude e a mentalidade de quem sabe entender, relacionar-se, respeitar, valorizar e defender, se necessário, as muitas alteridades que aparecem cada vez mais nas comunidades locais, as que vêm com as migrações e as que se multiplicam social e culturalmente, unindo a todos e todas contra xenofobias, discriminação ou violência de sorte. Assim, descobrimos nas migrações mais uma oportunidade para toda a Igreja e a sociedade, um dom para o país e uma ocasião de crescimento e enriquecimento para quem sabe ir ao encontro.

A humanidade está em movimento

Conforme estimativas da ONU, a população que vive fora do país em que nasceu é de 3,3% da humanidade, o que corresponde a 244 milhões de pessoas, com um aumento de 41% entre 2000 e 2015. O número de migrantes internacionais aumentou mais rápido do que o crescimento da população, de acordo com as Nações Unidas. Na América Latina, a média de estrangeiros sobre a população local é inferior a 2%. O Brasil tem uma incidência ainda menor de imigrantes e refugiados sobre a população do país, com acerca de 1%, incluindo as estimativas sobre aqueles que se encontram em situaçãomigratória irregular. São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal foram destinos de quase metade dos fluxos de imigrantes. Contudo, deve-se destacar o aumento da presença de imigrantes nos Estados de Goiás,Ceará, Mato Grosso do Sul e Amazonas. Roraima e Amazonas vêm registrando intenso fluxo de pessoas provenientes da Venezuela, enquanto que o fluxo de ingresso de haitianos vem diminuindo nos últimos anos.

Informações sobre a região de Londrina

Desde 2017 vem aumentando o número de haitianos em nossa região com a vinda das esposas e filhos. A cada dia que passa há novos pedidos de mandatos para solicitar reunião familiar.Os novos rostos da migração são identificados por alguns venezuelanos, senegaleses, beninenses, bengaleses e de países fronteiriços. As demandas recorrentes dessa realidade migratória incluem maior número de atendimentos na documentação,procura por emprego, acesso aos serviços públicos na saúde, educação e assistências social, orientações e encaminhamentos pontuais, ajuda solidária com alimentos, roupas e utensílios domésticos por parte das comunidades locais.

DADOS DE 2017 – Caritas e Pastoral do Migrante
Documentação -930 atendimentos

Atendimento social– 430 casos
Doações de alimentos, roupas e utensílios – 421
Visitas domiciliares: Cambé, Rolândia, Jaguapitã, Londrina – 318
Encontros de Convivência com Imigrantes e Refugiados -08
06 Turmas de Português–total de 90 alunos nos seguintes locais: Salão Paroquial de Rolândia, Salão Paroquial do Jd. Ana Rosa, Escola Pe. Symphoriano Kopf -Jd. Sto Amaro, Salão da Catedral de Londrina e Salão Paroquial Jd. Maria Lúcia – Londrina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *