Você está aqui
Home > Útimas Notícias > Pentecostes um fato permanente na Igreja

Pentecostes um fato permanente na Igreja

Espirito Santo

No dia 15 de maio celebramos uma festa muito importante na Igreja, que é Pentecostes, a vinda do Espirito Santo sobre Maria e os Apóstolos reunidos no cenáculo. Vamos entender um pouco do que é Pentecostes.
Pentecostes é uma das três grandes festas do povo judeu, essa palavra significa quinquagésimo dia. É uma festa de muita alegria que acontece cinquenta dias após a pascoa, festa agrícola o qual celebra o final da colheita que começou na festa da páscoa.
Para esta festa muitas pessoas subiam para Jerusalém, para oferecer as primícias de suas colheitas. Portanto esta festa está ligada a grande revelação de Deus feita a Israel no monte Sinai, o qual Moisés recebeu as tábuas da lei, contendo os Dez Mandamento ou dez palavras.
Estes mandamentos não são para ser entendidos como peso, mas como meio para que a dimensão espiritual permeie todos os elementos da vida, um amor que seja a Deus, mas que seja ao próximo também, uma proximidade de amor entre ambos. Aqui então se instaura uma relação bonita de Deus para com os seus filhos, uma proximidade de amor que deve refletir no cotidiano do povo. E por meio deste povo o qual Deus faz uma aliança e vai se revelando, como um Deus que vê, ouve, e que vem ao encontro do seu povo sofredor.
No monte Sinai, lugar elevado onde Moisés se encontrou com Deus, na sarça ardente, o fogo que ardia, mas que não consumia a planta. Assim agora na igreja primitiva no dia de uma festa de pentecostes, numa sala, um cenáculo, lugar alto de Jerusalém, vem sobre a Igreja um fogo novo, com barulhos e sinais, como também aconteceu no dia do recebimento das tabuas da lei.
Neste contexto de pentecostes o Espirito Santo vem sobre a comunidade cristã, o prometido por Jesus, o paraclito, o advogado, consolador. Pentecostes, marca o nascimento da Igreja, uma efusão sobre os apóstolos que os torna aptos a missão que Jesus confiou, e a lei que antes fora gravada em pedra, agora é gravada no coração dos homens e mulheres que se decidiram pelo Senhor. “Mas recebereis uma foça, o Espirito Santo que virá sobre vós; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, até os confis da terra” At1,8
Por conta desta festa, é que hoje podemos celebrar a Páscoa, o Natal, pois neste agir de Deus, é que a Igreja, nos seus primeiros cristãos, agora encontram força e coragem, para fazer aquilo que antes estavam temerosos, fechados e que até não tinham noção do que é preciso fazer ao se Conhecer Jesus Cristo, que é testemunhá-lo. Por isso a Igreja na sua essência, no seu nascimento é missionária, pois é um marco de envio, para o testemunho, para o anuncio, com as palavras sim, mas muito mais com a vida, com o testemunho de uma vida transformada por Jesus e impulsionada pelo Espirito Santo.
O Espirito Santo era desconhecido antes de Cristo nos ter revelado essa verdade. É o último na revelação das Pessoas da Santissima Trindade. São Gregório nos explica esta pedagogia, este jeito de Deus Uno e Trino se revelar a nós: O Antigo Testamento proclamava manifestamente o Pai e mais obscuramente o Filho. O Novo manifestou o Filho e fez entrever a divindade do Espírito. Agora, porém, o próprio Espírito vive conosco e manifesta-se a nós mais abertamente.
É o Espirito Santo que nos desperta para a fé em Cristo e na adesão a Ele, que nos motiva ao arrependimento sincero no coração, a uma mudança de vida, a luta pela santidade. É o Espirito Santo que molda em cada homem e mulher, o rosto e o agir de Cristo Jesus, e o faz àqueles que lhe dão livre acesso.
O Espirito Santo é continuamente derramado sobre a Igreja, sopra onde e como quer. Ele que move o agir da Igreja, e a medida que a ele submetemos nossa decisão e vontade, assim a Igreja vai sendo edificada. Assim vemos o seu agir:
— Nas Escrituras, que Ele inspirou:
— na Tradição, de que os Padres da Igreja são testemunhas sempre atuais;
— no Magistério da Igreja, que Ele assiste;
— na liturgia sacramental, através das suas palavras e dos seus símbolos, em que o Espírito Santo nos põe em comunhão com Cristo;
— na oração, em que Ele intercede por nós;
— nos carismas e ministérios, pelos quais a Igreja é edificada;
— nos sinais de vida apostólica e missionária;
— no testemunho dos santos, nos quais Ele manifesta a sua santidade e continua a obra da salvação.

Que o Espirito Santo continue agindo na Igreja, nos impulsionando e formando um povo fiel ao projeto de Deus. Peçamos que este Pentecostes que é ação permanente na Igreja, nos ajude e nos conduza ao Pai. Para sermos essa Igreja em saída. Que não tenhamos medo de nada, mas anunciemos como nos diz São Paulo, “corajosamente o Evangelho”. E quando as fraquezas e nossas limitações quererem nos dominar, lembremos o Espirito Santo vem ao nosso socorro como nos diz são Paulo: Espírito Santo vem em auxílio da nossa fraqueza, porque não sabemos o que pedir nas nossas orações; mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis» (Rm 8, 26)

Pe. MarceloPe. Marcelo Gomes dos Santos
Paróquia São Lourenço

 

 

 

 

 

 

PASCOM Arquidiocesana
Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de Londrina

Artigos similares

Deixe uma resposta

Topo
Translate »